O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "FAZENDO A VONTADE DO PAI" 12 de junho de 2020

"FAZENDO A VONTADE DO PAI" 12 de junho de 2020

Reprodução da Transcrição disponível em: https://mensajes.carpa.com/mensajes/1999/02/haciendo-la-voluntad-del-padre/?lang=pt-br

Muito boa noite amáveis amigos e irmãos presentes, e radiouvintes e telespectadores. É para mim um privilégio grande estar com vocês nesta ocasião, para compartilhar com vocês uns momentos de companheirismo ao redor do Programa de Deus correspondente a este tempo final.

         Para o qual quero ler no Evangelho segundo São João, capítulo 6, versículos 37 em diante, onde nos diz Jesus Cristo:

         “Tudo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.

         Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

         E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia.

         Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho e crê nele tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último Dia.”

         Que Deus abençoe nossas almas com Sua Palavra e nos permita entendê-la.

         Nosso tema para esta ocasião é “FAZENDO A VONTADE DO PAI”.

         O exemplo mais perfeito de fazer a vontade do Pai celestial, de Deus, o deu o nosso amado Senhor Jesus Cristo. Ele desceu do Céu não para fazer Sua própria vontade, mas a vontade de quem o enviou. E fazendo a vontade de quem o enviou, estaria realizando a Obra de Deus correspondente àquele tempo, para abrir o caminho da salvação, da vida eterna, para todos os filhos e filhas de Deus, todos os que o Pai tinha dado em Sua mão para redimi-los, para retorná-los à vida eterna.

         Pois por causa da queda no Jardim do Éden, o ser humano perdeu o direito à vida eterna; e por isso é que o ser humano nasce por meio dos seus pais terrenos, vive uma quantidade de tempo aqui na Terra, onde cresce, obtém conhecimentos terrenos (estudando) e trabalha, e leva uma vida de comer, dormir e trabalhar, e ao final dos seus dias morre.

         E agora, o que será de todo seu trabalho terreno, para a pessoa que viveu aqui na Terra? A pessoa não sabe o que foi dele e da sua vida terrena e do seu trabalho terreno. Mas por meio de Jesus Cristo fazendo a vontade do Pai, encontramos que Ele abriu o caminho à vida eterna para serem reconciliados com Deus e serem voltados à vida eterna.

         E nesse Plano de Redenção para o ser humano, realizado por nosso amado Senhor Jesus Cristo (o qual é a vontade de Deus), Cristo vindo e trabalhando nesse Programa, que é a vontade de Deus: fez assim a vontade de Deus.

         E agora, cada ser humano para fazer a vontade de Deus necessita entrar nesse Programa que Cristo realizou; esse Programa de Redenção, de Salvação, para nos dar vida eterna; e ter a promessa de que se nossos corpos mortais morrerem, ser ressuscitados no Último Dia; porque essa é a vontade do nosso Pai celestial.

         A vontade do nosso Pai celestial é que Jesus Cristo viesse à Terra, morresse na Cruz do Calvário, e assim fizesse a Obra de Deus de Redenção, para que assim nos desse vida eterna.

         E agora nós, para fazer Sua vontade, necessitamos receber; crer com toda nossa alma esse Programa Divino e entrar nele.

         Perguntaram a Cristo em uma ocasião: “O que faremos para fazer as obras de Deus?” E Cristo respondeu: “A Obra de Deus é que creiais no que Ele enviou.”

         Agora vejam como cada ser humano que vem a este planeta Terra está chamado para fazer a Obra de Deus, a Obra do Pai celestial, a obra de quem o enviou viver neste planeta Terra.

         É muito triste — para qualquer pessoa — vir a este planeta Terra e viver uma temporada de tempo sem fazer contato com a vida eterna, com Jesus Cristo nosso Salvador, e recebê-lo como nosso Salvador e lavar nossos pecados no Sangue de Cristo e receber Seu Espírito Santo, e assim receber o novo nascimento, e entrar assim no Reino de Deus.

         Você por seus próprios méritos não pode receber vida eterna: tem que ser pelos méritos do nosso amado Senhor Jesus Cristo, o qual veio (conforme a vontade de Deus) para fazer a vontade de Deus aqui na Terra e morrer (conforme a vontade de Deus) na Cruz do Calvário, para Ele levar nossos pecados e assim tirar de nós nossos pecados; e assim todos nós termos a oportunidade de receber vida eterna.

         E recebendo vida eterna, ao recebê-lo como nosso Salvador e receber Seu Espírito: recebemos um corpo teofânico da sexta dimensão, um corpo igual ao corpo teofânico de Jesus Cristo no qual Cristo vivia antes de vir à Terra para viver no corpo de carne.

         Por isso Ele podia dizer: “Abraão desejou ver meu dia; viu-o, e se alegrou”. E lhe dizem: “Não tens ainda cinquenta anos, e diz que viu Abraão?” Jesus disse àquelas pessoas: “Antes que Abraão nascesse; eu sou.”

         E como era antes que Abraão e veio depois de João Batista? E Abraão tinha vivido fazia milhares de anos? Porque Jesus Cristo antes de estar em Seu corpo físico estava em Seu corpo teofânico da sexta dimensão, no qual apareceu a Abraão como Melquisedeque e também apareceu como Elohim; e comeu com Abraão quando apareceu como Elohim no dia antes da destruição de Sodoma e de Gomorra; e antes disso tinha aparecido como Melquisedeque, e tinha dado pão e vinho a Abraão, e Abraão pagou a Melquisedeque os dízimos.

         E vejam vocês, Melquisedeque, Rei de Jerusalém e Sacerdote do Deus Altíssimo, do Templo que está no Céu, vejam como abençoou Abraão; pois a bênção do Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu é tão grande que não tem limites; e essa é a bênção de Jesus Cristo, do Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu.

         Ele é o Melquisedeque que apareceu a Abraão no Antigo Testamento e do qual o apóstolo São Paulo em sua carta aos Hebreus, no capítulo 7, fala como Sacerdote do Deus Altíssimo, sem pai, sem mãe e sem princípios de dia. E quem pode ser? Somente Deus é sem pai, sem mãe e sem princípios de dia, e sem fim de dias também.

         Agora, vejam vocês, Deus estava em Seu corpo teofânico, chamado o Verbo, e chamado também o Anjo do Senhor ou Anjo do Pacto. E o Verbo, que estava com Deus e era Deus, e criou todas as coisas…, ou seja: Deus em Seu corpo teofânico, um corpo parecido ao nosso corpo, mas da sexta dimensão. E estando Deus em Seu corpo teofânico, criou os Céus e a Terra: “No princípio criou Deus os céus e a terra”, diz Gênesis, capítulo 1, versículo 1.

         Agora, temos a boa notícia que esse que criou os Céus e a Terra é um homem da sexta dimensão, chamado o Anjo do Senhor ou Anjo do Pacto, o qual é o Verbo que estava com Deus e era Deus e criou todas as coisas, e em seguida se fez carne e habitou no meio de nós, e foi conhecido pelo nome de Jesus. Esse é o Verbo que se fez carne, esse é Melquisedeque que tinha aparecido a Abraão e Elohim que tinha aparecido a Abraão, e esse é  quem criou os Céus e a Terra.

         Por isso é que em seguida, estando aqui na Terra, falava à tempestade, aos ventos e ao mar, e se acalmavam; e também falava com a Criação, aos peixes e aos pães, e se multiplicavam pela Palavra de Cristo; porque Ele é o Criador dos Céus e da Terra, e tudo o que contêm.

         E agora, vejam como também caminhava sobre o mar; e assim por diante podemos ver como Jesus Cristo falava, ordenava, e todo o obedecia.

         Agora, podemos ver que era nada menos que o Verbo que estava com Deus e era Deus, se fazendo carne, se fazendo homem, para realizar uma Obra muito importante aqui na Terra.

         Vejam; Cristo mesmo diz que Ele veio, não para fazer Sua própria vontade, mas a vontade do que o enviou:

         “Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

         E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia.

         Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho e crê nele tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último Dia.”

         Aqui temos expressadas estas palavras da parte de Cristo, com relação ao motivo da Sua Primeira Vinda: veio não para fazer Sua própria vontade, mas a vontade do Pai, para nos dar vida eterna.

         Agora, vejam vocês como também no capítulo 10 dos Hebreus nos fala algo muito importante aqui, o mesmo apóstolo São Paulo; capítulo 10; nos diz o apóstolo São Paulo as seguintes palavras, no versículo 7, diz:

         “Então, disse: Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade.”

         Para que veio? Para fazer a vontade do Pai, de quem o enviou. Esse é o propósito da Primeira Vinda de Cristo, para que assim cada um de vocês e eu também tenhamos vida eterna.

         Em Hebreus, capítulo 1, também nos diz algo muito importante; capítulo 1 nos diz que Ele veio para um propósito divino. Capítulo 1, versículo 3 em diante, diz:

         “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas;

         feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.

         Porque a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho?

         E, quando outra vez introduz no mundo o Primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem.

         E, quanto aos anjos, diz: O que de seus anjos faz ventos e de seus ministros, labareda de fogo.

         Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos, cetro de equidade é o cetro do teu reino.

         Amaste a justiça e aborreceste a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheiros.

         E: Tu, Senhor, no princípio, fundaste a terra, e os céus são obra de tuas mãos;

         eles perecerão, mas tu permanecerás; e todos eles, como roupa, envelhecerão,

         e, como um manto, os enrolarás, e, como uma veste, se mudarão; mas tu és o mesmo, e os teus anos não acabarão.

         E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, até que ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?

         Não são, porventura, todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?”

         Agora vejam como fala do Filho, de Jesus Cristo, e também como fala dos anjos. Os anjos são espíritos ministradores; ministram a Palavra de Deus, trazem a Palavra de Deus da sexta dimensão, do Céu, a quem? Aos que serão herdeiros de salvação, ou seja: à Igreja do Senhor Jesus Cristo.

         E agora, passando ao capítulo 2 do livro dos Hebreus, versículo 9 em diante, também nos fala, dizendo:

         “vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

         Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse, pelas aflições, o Príncipe da salvação deles.

         Porque, assim o que santifica como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos (ou seja, que Ele não se envergonha de nos chamar a nós irmãos),

         dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, cantar-te-ei louvores no meio da congregação.

         E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-me aqui a mim e aos filhos que Deus me deu.

         E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo,

         e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.

         Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão.

         Pelo que convinha que, em tudo, fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.

         Porque, naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.”

         Agora olhem todas as coisas que Jesus Cristo fez por cada um de vocês e por mim também; e não se envergonha de nos chamar irmãos; e diz: “E eis-me aqui, eu e os filhos que Deus me deu.”

         E agora, todos os filhos de Deus foram dados a Jesus Cristo para que os redima e para que assim os limpe com Seu Sangue de todo pecado; e para que os restaure a vida eterna, à vida eterna da qual Adão e Eva caíram no Jardim do Éden.

         Não há outra forma para o homem viver eternamente, somente por nosso amado Senhor Jesus Cristo; por isso é que Ele em uma ocasião disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; e ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.”

         Agora, podemos ver que também Ele é a Ressurreição e a Vida; ou seja: que tudo o que está relacionado com a vida eterna; o encontramos em nosso amado Senhor Jesus Cristo; não o busque em outro lugar.

         “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; e ninguém vem ao Pai, a não ser por mim”. Ninguém pode chegar a Deus e ninguém pode viver eternamente com Deus a não ser que seja por meio de Jesus Cristo e Seu Sacrifício realizado na Cruz do Calvário.

         E agora, de Cristo até aqui, encontramos que passaram aproximadamente dois mil anos. E o que esteve acontecendo? Cristo subiu ao Céu vitorioso, e o que esteve fazendo no Céu? Pois Jesus Cristo esteve no Céu, no Templo de Deus, porque Ele é o Sacerdote do Deus Altíssimo, Melquisedeque, o Sumo Sacerdote do Templo de Deus no Céu; e Ele foi com Seu próprio Sangue, como fazia o sumo sacerdote no templo ou tabernáculo que Moisés construiu e também no templo que Salomão construiu.

         O sumo sacerdote, no dia 10 do sétimo mês, que era o dia da expiação, entrava no lugar santíssimo com o sangue da expiação do bode, o colocava sobre o propiciatório, que é o assento de misericórdia, enquanto há sangue nesse lugar; e se não era colocado o sangue da expiação nesse lugar no dia 10 do sétimo mês, esse propiciatório (que é o trono de Deus no templo que Salomão construiu e no templo que Moisés construiu), esse lugar se convertia em um trono de juízo.

         E por isso é que toda pessoa que nesse dia não se arrependia dos seus pecados e oferecia a expiação, e estava ali com seus pecados confessados a Deus e com seu coração posto na obra que o sumo sacerdote realizava nesse dia, essa pessoa não ficava reconciliada com Deus nesse dia e, portanto teria um ano de juízos divinos sobre ele.

         Agora vejam o porquê todas estas ordenanças divinas dadas por Deus ao profeta Moisés e estabelecidas no meio do povo hebreu, e o tabernáculo estabelecido no meio do povo hebreu.

         Agora, vejam como naquele tabernáculo que Moisés construiu e o templo que Salomão construiu estava simbolizado, representado, refletido, o Templo de Deus que está no Céu. E o sumo sacerdote desse templo terreno representava o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu; e o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu é nosso amado Senhor Jesus Cristo. Ele é o Melquisedeque do Antigo Testamento, Rei de Jerusalém e também Sacerdote do Deus Altíssimo, do Templo que está no Céu.

         Por isso é que quando Ele veio dois mil anos atrás, não veio como um sacerdote da descendência de Aarão, não veio como um descendente de Levi, porque Ele não é sacerdote do templo terreno e da descendência terrena de Aarão: Ele é Sumo Sacerdote do Templo celestial, do Templo que está no Céu.

         E por isso o Sacrifício de Cristo e Seu Sangue não podiam ser colocados no templo terreno, mas tinha que ser levado Seu Sacrifício e Seu Sangue ao Templo que está no Céu; e ser colocado o Sangue de Cristo por Melquisedeque, o Sacerdote do Templo que está no Céu (que é Jesus Cristo), ser colocado esse Sangre sobre o Propiciatório do Templo que está no Céu, lá no Lugar Santíssimo.

         E agora, vejam como a arca do pacto e o propiciatório (que era a tampa da arca do pacto), tudo isso que estava no templo ou tabernáculo que Moisés construiu e o que Salomão construiu, representavam o que está lá no Céu.

         E agora, o verdadeiro Tabernáculo de Deus, do Céu, recebeu a Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote, levando o Sangue da Expiação; e o colocou sobre o Propiciatório, sobre o Trono de Deus; e esteve fazendo intercessão por todos os que têm seus nomes escritos no Céu, no Livro da Vida do Cordeiro, desde os dias de Sua entrada ao Céu até este tempo final; e ainda está ali fazendo intercessão até que entre até o último dos que têm seus nomes no Céu escritos, no Livro da Vida do Cordeiro.

         Assim como o sumo sacerdote fazia no dia 10 do sétimo mês, que permanecia entrando no lugar santíssimo em todos os ofícios desse dia da expiação; é o mesmo que Cristo esteve fazendo de etapa em etapa, de era em era, até este Dia final.

         Mas quando entrar até o último dos escolhidos de Deus no Programa Divino, e entrar na Obra de Redenção… Que é a vontade de Deus, para a qual Cristo veio: para fazer a vontade de Deus, realizar a Expiação…

         Agora, nós entramos na vontade de Deus entrando nesse Programa Divino, onde recebemos Cristo como nosso Salvador; lavamos nossos pecados no Sangue de Cristo e recebemos Seu Espírito Santo, e assim nascemos de novo; porque “quem não nascer de novo, não nascer da Água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus”, disse Cristo a Nicodemos no capítulo 3, versículo 1 ao 6, de São João, do Evangelho segundo São João.

         Agora, vejam vocês, Jesus Cristo nosso Salvador esteve no Céu, mas Seu Espírito Santo esteve na Terra no meio da Sua Igreja desde o dia de Pentecostes, realizando o novo nascimento de milhões de seres humanos que creram em Cristo como seu Salvador e lavaram seus pecados no Sangue de Cristo; e o Espírito de Cristo veio a essas pessoas e produziu neles o novo nascimento; e obtiveram um corpo teofânico da sexta dimensão, parecido ao nosso corpo, mas de outra dimensão.

         E por isso é que quando um crente em Cristo morre; a pessoa não morreu: somente morreu seu corpo físico; mas a pessoa (que é alma vivente), por quanto tem outro corpo (que é de outra dimensão, da sexta dimensão), continua vivendo, mas vive na sexta dimensão. E não o podemos ver porque está em outra dimensão; onde há árvores, onde há animais, onde há passarinhos, mas de outra dimensão.

         E essas pessoas são, vejam vocês, milhões de seres humanos que se encontram no Paraíso vivendo até que se complete o número dos escolhidos de Deus, e Cristo termine Sua Obra de Intercessão como Sumo Sacerdote lá no Templo de Deus no Céu.

         Então Cristo sairá como Sumo Sacerdote, sairá de Sumo Sacerdote e se converterá no Leão da tribo de Judá, e reclamará todos os que Ele redimiu com Seu Sangue precioso, e ressuscitará os mortos em Cristo e a nós os que vivemos nos transformará; e nos dará um corpo igual ao Seu próprio corpo, ou seja: um corpo eterno, imortal, incorruptível e glorificado; e assim seremos à imagem e semelhança do nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Vejam as bênçãos tão grandes que Cristo ganhou para cada um de vocês e para mim também.

         Agora, Cristo disse: “Quem é de Deus, a Voz de Deus ouve”; e também Ele disse: “Minhas ovelhas ouvem minha Voz, e me seguem”; e também Ele disse: “Ninguém arrebata minhas ovelhas da minha mão”; Ele disse: “Meu Pai que as deu a mim, é maior que todos, e ninguém as arrebatará da mão de meu Pai celestial.”

         Ou seja: que as ovelhas do Senhor, que são os filhos e filhas de Deus, o trigo de Deus, têm a promessa de que ninguém os arrebatará das mãos de Cristo, ninguém os arrebatará da mão de Deus. São pessoas que vêm viver neste planeta Terra, almas viventes, mas vem viver nestes corpos mortais para fazer contato com a vida eterna, com Jesus Cristo, e seus pecados serem lavados no Sangue de Cristo, e receber o Espírito de Cristo; e assim receber o novo nascimento: receber um corpo teofânico da sexta dimensão, e assim começar com um corpo eterno e, consequentemente, com vida eterna.

         Cristo disse: “Quem ouve minha Palavra, e crê no que me enviou, tem vida eterna; e não entrará a condenação, mas passou de morte a vida.”

         Agora, podemos ver que é um Programa de e para vida eterna o qual Cristo veio realizar neste planeta Terra. E tudo Deus o fez tão simples, para que a pessoa não tenha necessidade de ter estudos universitários para poder entender o Programa de Deus que Cristo realizou, para em seguida recebê-lo.

         Por revelação divina, que vem da parte de Deus, o qual abre o entendimento à pessoa e o coração da pessoa, e lhe abre as Escrituras; a pessoa obtém a revelação do Céu; e então percebe que necessita de Jesus Cristo como seu Salvador para que tire seus pecados e o encha do Seu Espírito, e lhe dê assim um corpo da sexta dimensão para poder viver eternamente. Se morrer, pois vai viver, com e nesse corpo, vai viver no Paraíso.

         E é muito importante garantir nossa vida depois desta vida terrena, e a única forma de garanti-la é por meio de Jesus Cristo. Ele morreu e ressuscitou, e Ele é quem sabe como é na outra vida, e Ele é o único que prometeu aos que creem n’Ele vida eterna.

         Assim que toda pessoa que quiser fazer a vontade de Deus: entra no Programa que Jesus Cristo realizou para nos dar vida eterna; e quem é de Deus, a Voz de Deus ouve.

         Não é que você o escolheu, é que Deus escolheu você. Você já veio à Terra como uma alma de Deus; e vem para fazer contato com esse Programa de Salvação, que é a vontade de Deus, para a qual Cristo veio: para realizar esse Programa de Redenção e para que todos nós entremos na vontade de Deus entrando nesse Programa de Salvação.

         E agora, assim como Cristo dizia: “Não desci do Céu para fazer minha vontade, mas a vontade do que me enviou”, assim também toda pessoa que recebe Cristo como seu Salvador pode dizer: “Não vim a este planeta Terra para viver aqui e fazer minha vontade, mas vim para fazer a vontade de quem me enviou.”

         Cristo também em uma ocasião também, tendo somente 12 anos de idade (Seu corpo físico), disse a Maria: “Não sabias que nos negócios de meu Pai me convém estar?” Ele é um exemplo perfeito da pessoa ou de uma pessoa que fez a vontade de Deus desde que nasceu até que morreu, e também quando subiu ao Céu. Ele é nosso exemplo.

         E se Ele por nós se fez carne e habitou entre nós para pagar o preço da Redenção, agora nós o recebemos e recebemos todos os benefícios do Seu Sacrifício na Cruz do Calvário.

         “Por quanto os filhos participaram de carne e sangue (veem? Estamos em corpos de carne e sangue), Ele participou do mesmo (tendo um corpo de carne e sangue), para por meio desse corpo tirar o pecado do mundo”; e assim nos dar vida eterna, nos passar de morte a vida.

         Agora, estamos vivendo no tempo final, no Último Dia; pois os últimos dias são quinto, [sexto] e sétimo milênio; porque “um dia diante do Senhor é como mil anos e mil anos como um dia”, diz o apóstolo São Pedro em sua segunda carta, capítulo 3, versículo 8.

         E agora, nós vivendo no Último Dia…

         Jesus Cristo; vejam vocês aqui, quando esteve na Terra viveu nos últimos dias, porque os últimos dias são o quinto, sexto e sétimo milênio. E Cristo esteve aqui na Terra no quinto milênio; no primeiro século do quinto milênio, Cristo teve Seu ministério e teve também Sua morte na Cruz do Calvário.

         Por isso é que São Pedro e São Paulo falam sobre aqueles dias em que Cristo esteve na Terra como os últimos dias; porque os últimos dias são…, diante de Deus para nós são o quinto milênio, sexto milênio e sétimo milênio; são dias mileniais, dias que estão compostos por mil anos, um dia Milenial.

         E agora, nos correspondeu viver no tempo final. Se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem, já estamos no Último Dia; e é para o Último Dia que Cristo disse: “… e eu o ressuscitarei no Último Dia”. Mas se não acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem, pois falta 1 ano com 10 meses e  uns 15 a 18 dias.

         Agora, em que ano do Último Dia, em que ano do sétimo milênio, Cristo ressuscitará os mortos em Cristo e nos transformará? Não sabemos; mas quando os mortos em Cristo ressuscitarem e nós formos transformados, poderemos ver o calendário e dizer: “Olhe o ano em que Ele cumpriu esta promessa.”

         Agora, o importante é estar preparados para essa transformação que Ele realizará em nós. É uma promessa do nosso amado Senhor Jesus Cristo, para o qual Ele veio em Sua Primeira Vinda: para realizar essa Obra que era necessária para dar vida eterna ao ser humano e para — no Último Dia, em seguida — lhe dar um corpo eterno e glorificado, igual ao corpo do nosso amado Senhor Jesus Cristo. E quando tivermos esse novo corpo; então veremos nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Por isso é tão importante estar fazendo a vontade de quem nos enviou para viver neste planeta Terra: estar no Seu Programa, todos os dias de nossa vida servindo ao nosso amado Senhor Jesus Cristo, e trabalhando em Sua Obra, nas coisas correspondentes ao nosso tempo, e assim estar fazendo a Obra de quem enviou a este planeta Terra.

         Agora vimos o Plano de Redenção para o qual Cristo veio, o qual é o plano da perfeita vontade de Deus, para o qual Deus enviou Jesus Cristo à Terra. Não o enviou para ser uma pessoa importante na política, não o enviou para ser uma pessoa importante nos esportes, não o enviou para ser uma pessoa importante no campo artístico, mas que o enviou para realizar o Programa de Salvação e vida eterna para todos os filhos e filhas de Deus.

         Jesus Cristo é o maior homem que pisou neste planeta Terra. Jesus Cristo é o segundo Adão, com vida eterna; e provou que tinha vida eterna, porque morreu e ressuscitou e subiu ao Céu.

         E Ele veio para nos dar vida eterna a todos nós. E nós que vivemos neste tempo final somos os últimos que estaríamos na Terra recebendo vida eterna.

         Chegamos ao tempo final, ao Último Dia, ao sétimo milênio, se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem; mas não sabemos quando será a ressurreição dos mortos e transformação de nós os que vivemos, ou seja: não sabemos qual será o ano; mas já sabemos que é no sétimo milênio, que é o Último Dia.

         E agora, Deus está chamando e juntando todos Seus escolhidos, como Ele disse:

         “E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos…”. (São Mateus, capítulo 24 e versículo 31).

         É o mesmo Senhor Jesus Cristo profetizando estas coisas.

         Em seguida encontramos também que em São Mateus, capítulo 16, versículo 27 ao 28, nos diz que o Filho do Homem virá com Seus Anjos, e então recompensará a cada um conforme suas obras.

         E agora, quais são os Anjos do Filho do Homem, que vêm com a Grande Voz de trombeta? A Grande Voz de trombeta do Evangelho do Reino, que gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores na Sua Obra de Reclamação.

         Agora, os Anjos do Filho do Homem, vindo com a Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino, são as Duas Oliveiras e Dois Castiçais de ouro de Apocalipse, capítulo 11, versículo 3 em diante; e Zacarias, capítulo 4. Esses são os ministérios de Moisés e Elias se repetindo neste tempo final, e esses ministérios proclamando a Mensagem do Evangelho do Reino, que gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação.

         E com essa Mensagem, todos os escolhidos de Deus estarão escutando a Voz de Deus, a Voz de Jesus Cristo, essa trombeta Final ou Grande Voz de trombeta, que é a trombeta de Deus, a Voz de Deus, chamando e juntando todos Seus escolhidos neste tempo final.

         E quando se complete o número dos escolhidos do Último Dia, terá se completado o número da Igreja do Senhor Jesus Cristo; e Cristo terminará Seu trabalho como Intercessor lá, no Céu, no Templo, no qual Ele está como o Sumo Sacerdote Melquisedeque, intercedendo com Seu próprio Sangue por cada filho e filha de Deus, para assim reconciliar cada filho e filha de Deus com Deus.

         “Reconciliai-vos hoje com Deus”, diz o apóstolo São Paulo. E nos reconcilia Jesus Cristo por meio do Seu Sacrifício e da Sua intercessão que faz no Céu com Seu próprio Sangue.

         Agora, podemos ver o motivo pelo qual nós vivemos neste planeta Terra. Não estamos aqui por mera casualidade, mas por um propósito divino, o qual Ele está nos revelando neste tempo final, como também o revelou aos seus apóstolos e aos Seus ministros das eras passadas e aos Seu povo das eras passadas.

         E agora nos corresponde o privilégio de obter a revelação divina de todo o Programa de Deus correspondente ao nosso tempo, para assim entrarmos no Programa de Deus e fazer a vontade de quem nos enviou a viver neste planeta Terra.

         Recordem que vocês são…, principalmente, a primeira é alma, alma vivente, o segundo é espírito e o terceiro é corpo.

         Agora o mais importante de cada de um de vocês e também de mim, o que é? A alma. Isso é o que na realidade nós somos: alma vivente. O resto, o espírito e o corpo, são dois corpos: um de outra dimensão e outro desta dimensão.

         E Cristo prometeu nos dar um novo corpo desta dimensão, um corpo eterno e glorificado, igual ao corpo de Jesus Cristo; e também um corpo da sexta dimensão, o qual recebemos quando cremos em Cristo como nosso Salvador e lavamos nossos pecados no Sangue de Cristo e recebemos Seu Espírito; e aí recebemos esse corpo novo da sexta dimensão, do Paraíso, e aí é onde obtemos essa bênção de vida eterna.

         Agora, estamos aqui para estar fazendo a vontade de quem nos enviou.

         A parte mais importante em nossa vida aqui na Terra é a de fazer a vontade de quem nos enviou viver neste planeta Terra; como também Jesus Cristo disse: “Não vim…” “Não desci do Céu para fazer minha vontade, a mas a vontade de quem me enviou.”

         E esse foi o prazer para Ele: fazer a vontade de quem o enviou. E esse é o prazer, privilégio e regozijo para nós: fazer a vontade de quem nos enviou para viver neste planeta Terra.

         Vejam o propósito pelo qual vivemos neste planeta Terra. Assim que não estamos aqui por mera casualidade, estamos aqui por causa desse propósito divino para o qual Ele nos enviou: para que entremos no Seu Programa e façamos Sua vontade entrando na vida eterna, para viver com Cristo por toda a eternidade; viver no Reino Milenial e depois por toda a eternidade.

         Agora, Cristo em uma ocasião disse: “Não me escolheram vós a mim; eu os escolhi a vós”. Ele nos escolheu desde antes da fundação do mundo. E agora nos revela, e nos abre as Escrituras, e nos abre o entendimento e o coração, para compreender estas coisas. E para compreender estas coisas neste tempo final, Jesus Cristo disse:

         “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas.” (Apocalipse, capítulo 22, versículo 16).

         E em Apocalipse, capítulo 4, versículo 1, diz, com essa Voz de trombeta:

         “Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

         E em seguida, em Apocalipse, capítulo 22, versículo 6 em diante, por meio do Seu Anjo Mensageiro, são mostradas todas estas coisas que em breve devem acontecer, porque em Seu Anjo Mensageiro estará Jesus Cristo em Espírito Santo manifestado falando aos Seus filhos neste tempo final e mostrando todas as coisas que hão de acontecer.

         Por isso diz Apocalipse, capítulo 22, versículo 6:

         “E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos espíritos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer.”

         Para que envia Seu Anjo Mensageiro? Para mostrar a Seus servos, a Seus filhos, a Sua Igreja, e também ao povo hebreu, as coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

         E é por meio desse Anjo Mensageiro de Jesus Cristo, que é o último profeta que Jesus Cristo envia à Sua Igreja (com a Mensagem do Evangelho do Reino, com a Mensagem da Grande Voz de trombeta do Evangelho do Reino, que gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo), que obtemos o conhecimento de todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final, as quais estão profetizadas no Antigo Testamento e no Novo Testamento.

         Estão também aí, no livro do Apocalipse, onde há grandes bênçãos para cada um de vocês e para mim também. E tudo isto está nestes símbolos do Apocalipse, como também estão nas profecias do Antigo Testamento.

         E agora, nos correspondeu vir a este planeta Terra para fazer não nossa vontade, mas de quem nos enviou. E isso é o que estamos fazendo neste tempo final: FAZENDO A VONTADE DO PAI, que nos enviou viver neste planeta Terra.

         Esta é a maior bênção que obtivemos: vir a este planeta Terra para viver; mesmo que nestes corpos mortais, temporários, corruptíveis, mas é para estar no Programa de vida eterna.

         É a única ocasião em que a pessoa pode fazer contato com a vida eterna. É a única ocasião em que o ser humano pode comer da Árvore da Vida, que é Cristo, para viver eternamente.

         Ele disse: “Eu sou o Pão vivo que desci que Céu”, e também Ele disse: “Quem comer deste Pão, viverá eternamente”. Quem não aproveita a oportunidade que tem aqui na Terra, pois não poderá viver eternamente, porque não comeu do Pão de vida eterna, de Jesus Cristo, a Árvore da Vida.

         Agora vejam a bênção e oportunidade tão grande que temos ao estarmos vivendo neste planeta Terra. E chegamos a este planeta Terra para fazer contato com o Programa Divino, com a vida eterna, e fazer a vontade de Deus e viver eternamente; para isso é que estamos aqui.

         O nascer, comer, crescer, estudar, trabalhar, dormir: comer, ir trabalhar, voltar: tudo isso é o comum da vida; mas o especial da vida é o Programa de Deus que Ele tem para cada um de vocês.

         Agora, do que vale ao homem, se ganhar todo mundo, e perde sua alma? Pois se ocupou somente das coisas comuns da vida terrena, mas se esqueceu do propósito pelo qual Deus o enviou a este planeta Terra; e perdeu então a bênção de Deus, que é para vida eterna, e que é a que enriquece.

         Agora, Deus está neste tempo chamando e juntando todos Seus escolhidos com a Grande Voz de trombeta do Evangelho do Reino, que gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação. E Ele está fazendo essa Obra, chamando e juntando Seus escolhidos com essa Grande Voz de trombeta, onde? Na América Latina e no Caribe.

         E por isso é que vocês estão aqui presentes escutando a Voz de Cristo, o Evangelho do Reino, essa Grande Voz de trombeta soando neste Último Dia e chamando todos Seus escolhidos neste tempo final para entrar no Programa Divino e fazer a vontade do Pai, quem nos enviou viver neste planeta Terra.

         Também para isso eu fui enviado por Jesus Cristo a esta Terra: para viver neste corpo mortal, corruptível e temporário, para fazer contato com Jesus Cristo, a Vida Eterna, e ser redimido, e entrar assim à vida eterna, e estar fazendo assim a vontade de quem me enviou; e estar dando testemunho a vocês de todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

         Vim não para fazer minha vontade, mas a vontade de Jesus Cristo, que me enviou, e dar testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

         E vocês foram enviados ao planeta Terra não para fazer a vontade própria de vocês, mas a vontade de quem lhes enviou: para estarem escutando a Grande Voz de trombeta do Evangelho do Reino e estarem recebendo a bênção de quem enviou a este planeta Terra, e estar sendo preparados para serem transformados neste tempo final.

         Por isso é tão importante estar fazendo a vontade de quem nos enviou, a vontade (de quem?) do Pai celestial, de Jesus Cristo nosso amado Salvador.

         E agora, podemos dizer que estamos aqui na Terra vivendo nestes dias difíceis, mas estamos vivendo nesta Terra FAZENDO A VONTADE DO PAI, que nos enviou a este planeta Terra.

         “FAZENDO A VONTADE DO PAI”, assim como nosso amado Senhor Jesus Cristo fez, que é nosso irmão mais velho.

         E assim como os irmãos seguem o exemplo do seu irmão mas velho, sigamos o exemplo do nosso irmão mais velho, nosso amado Senhor Jesus Cristo, o qual fez a vontade do Pai. Todos também sigamos esse formoso exemplo do nosso irmão mais velho, e continuemos para frente fazendo a vontade do Pai celestial.

         “FAZENDO A VONTADE DO PAI”. Para isso estamos aqui na Terra, enviados por nosso Pai celestial.

         Foi para mim um privilégio muito grande, amados amigos e irmãos presentes, radiouvintes e telespectadores, estar com vocês esta noite dando testemunho de como estar FAZENDO A VONTADE DO PAI, que nos enviou a viver neste planeta Terra.

         Que as bênçãos de Jesus Cristo nosso Salvador sejam sobre todos vocês e sobre mim também, e em breve se complete o número dos escolhidos de Deus, e em breve Jesus Cristo ressuscite os mortos em Cristo e nos transforme os que vivemos, e nos leve a todos; juntos à Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu neste tempo final. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

Que Deus os abençoe e passem todos muito boa noite.

         “FAZENDO A VONTADE DO PAI”.

         [Revisão junho 2020]

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16