O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "O SENHOR JESUS CRISTO MUDANDO DE CORDEIRO A LEÃO" - 26 de abril de 2020

"O SENHOR JESUS CRISTO MUDANDO DE CORDEIRO A LEÃO" - 26 de abril de 2020

Reprodução da transcrição disponível em: https://mensajes.carpa.com/mensajes/1998/11/el-senor-jesucristo-cambiando-de-cordero-a-leon/?lang=pt-br

Muito boa noite amados amigos e irmãos presentes. É para mim uma bênção grande estar com vocês nesta ocasião, para compartilhar uns momentos de companheirismo ao redor da Palavra e ver onde nos encontramos neste tempo final.

         Vamos ler em Apocalipse, capítulo 5, versículos 1 ao 7, onde nos diz:

         “E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos.

E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?

E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele.

E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele.

E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os seus sete selos.

E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete pontas e sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados a toda a terra.

E veio e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.”

         Nosso tema para esta ocasião é “O SENHOR JESUS CRISTO MUDANDO DE CORDEIRO A LEÃO”.

         Através do Antigo Testamento encontramos que, de Adão em diante, as pessoas usavam cordeiros como sacrifícios, para cobrir seus pecados com o sangue desses animaizinhos. Deus estabeleceu esses sacrifícios desde Gênesis, capítulo 3, onde a Bíblia nos ensina que Deus deu peles a Adão e a Eva para cobrir a nudez deles.

         Em seguida encontramos que daí em diante o ser humano esteve sacrificando animalzinhos, para cobrir seus pecados com o sangue desses animalzinhos. Esses animaizinhos foram substitutos das pessoas; porque é a pessoa quem tem que morrer por seu pecado, porque a recompensa do pecado é morte, mas Deus estabeleceu um substituto para morrer no lugar do pecador; e no Antigo Testamento esse substituto era um animalzinho: um cordeirinho ou um bode.

         Para a reconciliação do povo, no dia 10 do sétimo mês, se sacrificava um bode; e o sangue era levado dentro do lugar santíssimo pelo sumo sacerdote e colocado sobre o propiciatório, e ali se efetuava a reconciliação do povo com Deus.

         Assim acontecia para o Israel terreno, porque Deus no Seu Programa — para mais adiante — teria um Cordeiro perfeito, que seria sacrificado, o qual levaria nossos pecados e, consequentemente, receberia a morte; porque a recompensa do pecado é morte. Consequentemente, a recompensa de nossos pecados cairia sobre esse Cordeiro perfeito, e então a morte para nós seria tirada, e então poderíamos ter vida eterna.

         Agora, vejam vocês, os sacrifícios do Antigo Testamento assinalavam um Cordeiro perfeito que viria, tomaria nossos pecados e morreria por nossos pecados; esse seria o Substituto perfeito para o ser humano.

         E quando esse Sacrifício perfeito aparecesse e efetuasse esse sacrifício, Deus já não aceitaria esses animaizinhos que se ofereciam no Antigo Testamento, porque o ser humano já teria à sua disposição um Sacrifício perfeito, que não cobria o pecado, mas que tirava o pecado; e a pessoa não teria necessidade de estar oferecendo sacrifícios de animaizinhos durante diferentes temporadas do ano.

         E no dia 10 do sétimo mês, em que se oferecia a expiação do bode, também o povo já não teria que oferecer esses animais, porque já teria um Sacrifício perfeito: o do Cordeiro de Deus, no qual se cumpririam todos esses sacrifícios do Antigo Testamento. E os benefícios que produziam aqueles sacrifícios, seriam produzidos em um só Sacrifício: o do Cordeiro de Deus, que tiraria o pecado do mundo.

         Por isso João Batista, quando apresentou o Messias, a Jesus, disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”

         Esse é o Substituto de todo ser humano. E a recompensa do pecado caiu sobre Ele para que nós pudéssemos ter vida eterna e pudéssemos viver eternamente com Deus. Ele tirou a morte de nós. Ele recebeu a morte por nós.

         Cristo disse: “Ninguém me tira a vida; eu a ponho por mim mesmo, para tornar para tomar”. Ele podia tomar nossos pecados, e assim se fazer pecado por nós sem Ele ter pecado e, consequentemente, pagar a pena do pecado.

         A sentença do pecado caiu sobre Ele; mas por quanto Ele de Si mesmo não tinha pecado, foi justificado por Deus.

         Ele era inocente, porque Ele não tinha pecado, mas sobre Ele vieram todos nossos pecados; e assim se tornou mortal, para tirar o pecado e, consequentemente, a pena do pecado, que é a morte.

         E agora podemos ver nosso amado Senhor Jesus Cristo e o mistério da Sua Primeira Vinda. Tinha um propósito divino a Sua Primeira Vinda, o qual estava representado naqueles sacrifícios que o povo hebreu efetuava.

         O povo hebreu tinha o tipo e figura, a sombra das coisas que Cristo realizaria; e quando Cristo realizou Seu Sacrifício na Cruz do Calvário, ali estava a realidade do que aqueles sacrifícios representavam.

         Agora, Jesus Cristo, para realizar essa Obra de Redenção como Cordeiro de Deus na Cruz do Calvário, vejam vocês, teve que vir à Terra; e era nada menos que o Anjo do Senhor, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, vestido de um corpo humano, para por meio desse corpo, realizar a Obra de Redenção; um corpo criado por Deus no ventre de Maria, eleito por Deus esse corpo para ser o Substituto de todos nós, para ser a pessoa que levaria nossos pecados, e pagaria o preço da redenção.

         Agora, vejamos algo muito importante. Isto aconteceu em um entrelace dispensacional; e neste entrelace dispensacional podemos ver o Arcanjo Gabriel visitando Zacarias o sacerdote e anunciando que teria um filho por meio da sua esposa Isabel, o qual seria profeta de Deus, e seria quem viria com o espírito e virtude de Elias preparando o caminho ao Senhor. Isso está em São Lucas, capítulo 1.

         E encontramos que seis meses depois visitou a virgem Maria, e lhe disse que ela teria um menino e o chamaria por nome Jesus; vejam vocês, deu-lhe o nome que colocaria no menino, como também ao sacerdote Zacarias deu o nome que colocaria no filho que ele teria por meio da sua esposa; seria João, o filho de Zacarias e Isabel, e o filho que nasceria a Maria, teria por nome Jesus, que significa ‘Salvador’ ou ‘Redentor’. Em hebraico é Yeshua ou Josué, que significa ‘Salvador’ ou ‘Redentor’.

         E agora, vejam vocês como o Arcanjo Gabriel estava nesse entrelace dispensacional em um trabalho muito importante da parte de Deus.

         Os Arcanjos Gabriel e Miguel sempre estão muito ocupados no Programa Divino, e nos entrelace dispensacionais é que mais trabalho têm; e também entre os entrelace dos impérios gentios, quando há uma mudança de império.

         Por exemplo, do império da Babilônia do rei Nabucodonosor, quando houve uma mudança e mudou esse império para o império medo-persa, aí estavam Gabriel e Miguel. Encontramos que Gabriel falou com o profeta Daniel. Também para a mudança do império medo-persa ao império grego, também estavam Gabriel e Miguel.

         Estes Arcanjos estão na parte administrativa do Programa de Deus; ou seja: que tudo o que se move no Programa de Deus está sujeito ao ministério destes dois Arcanjos principais. São os Arcanjos que estão diante da presença de Deus; e quando Deus envia um deles, ou aos dois, algo grande na Terra acontece.

         Para o tempo em que Sodoma e Gomorra iriam ser destruídas, encontramos que Deus veio com Seus Arcanjos Gabriel e Miguel; eram Elohim e os dois Anjos que o acompanhavam; que comeram com Abraão no dia antes da destruição de Sodoma e Gomorra. E em seguida Gabriel e Miguel desceram a Sodoma e se encontraram lá com Ló. Em seguida, quando amanhecia, o fogo e enxofre estavam caindo sobre Sodoma e Gomorra.

         Sempre que há um entrelace dispensacional, sempre há um profeta dispensacional na Terra e sempre os Arcanjos Gabriel e Miguel fazem ato de presença na Terra, para fazer que se cumpram os propósitos divinos, as profecias correspondentes a esse tempo. Encontramos que isto tem sido assim.

         Para o tempo final nos diz o profeta Daniel o que o Arcanjo Gabriel lhe revelou, no capítulo 12, e diz:

         “E, naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro.

E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para vergonha e desprezo eterno.

Os sábios, pois, resplandecerão como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente.”

         Aqui temos um quadro claro do que estará acontecendo neste tempo final. Disto também fala o livro do Apocalipse no capítulo 12.

         Agora vejam o capítulo 12 de Daniel tem a Arcanjo Miguel, e o capítulo 12 de Apocalipse também tem o Arcanjo Gabriel [Miguel]. E para esse tempo, assinalado aqui, haverá uma grande bênção para os que têm o nome escrito no Livro da Vida; para o povo hebreu haverá uma grande bênção para 144.000 hebreus, que serão chamados e juntados neste tempo final.

         Podemos ver que este é um tempo tão importante, onde os Arcanjos de Deus estarão na Terra trabalhando arduamente no trabalho de Deus, para que se cumpra assim tudo o que está profetizado para este tempo; e assim Cristo dar a vitória a Seu povo, à Sua Igreja, e ao povo hebreu.

         O povo hebreu é Israel terreno e a Igreja é Israel celestial. A Igreja de Jesus Cristo está refletida ou tipificada no Israel terreno, como também está tipificada no tabernáculo que construiu Moisés e o templo que construiu Salomão.

         Agora podemos ver que para este tempo final hostes celestiais estarão a favor do Israel celestial — primeiro — e também do Israel terreno, que é o povo hebreu.

         Agora, Jesus Cristo tem feito intercessão como Cordeiro de Deus. Ele realizou Sua Obra de Cordeiro na Cruz do Calvário, e Seu Sacrifício e Seu Sangue; Seu Sangue foi colocado no Templo de Deus lá no Céu sobre o Propiciatório, sobre o Trono de Deus.

         E Cristo, sendo também o Sumo Sacerdote Melquisedeque, o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu, vejam vocês, quando morreu Seu corpo físico não levou Seu Sangue ao templo terreno, como fazia o sumo sacerdote quando oferecia o sacrifício da expiação e levava o sangue do bode ao lugar santíssimo e o colocava sobre o propiciatório; isso era tipo e figura do que Jesus Cristo, que é o Sumo Sacerdote Melquisedeque, faria no Templo de Deus que está no Céu.

         Agora vejam vocês uma coisa: o bode era sacrificado no átrio, mas seu sangue depois era levado ao lugar santíssimo.

         E agora Jesus Cristo, que é nossa Expiação, tinha que vir a esta Terra, que é o Átrio do Templo de Deus, para que? Para ser sacrificado. Isso já estava ordenado por Deus desde antes da fundação do mundo, mas foi cumprido, materializado, quando Jesus Cristo esteve na Terra, dois mil anos atrás.

         Veio com um propósito: para morrer por cada um de nós na Cruz do Calvário, e assim reconciliar todos os filhos e filhas de Deus, reconciliar o Israel celestial. E nesta reconciliação também entrará o povo hebreu, o qual neste tempo final será reconciliado com Deus por meio desse Sacrifício.

         Não há outro sacrifício para ser reconciliados com Deus; somente o Sacrifício de Cristo.

         E agora, Cristo como Sumo Sacerdote está fazendo intercessão no Trono de Deus, ou seja: no Lugar Santíssimo do Templo de Deus no Céu; e quando tiver terminado de fazer intercessão até pelo último dos escolhidos, até pelo último do Israel celestial, que são os membros da Igreja de Jesus Cristo, em seguida Ele sairá do Trono de Deus, do Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu.

         E aí Ele fará uma mudança: Ele sairá para reclamar tudo o que Ele redimiu com Seu Sangue precioso; e assim ressuscitará em corpos eternos todos os que foram reconciliados com Deus por meio do Seu Sacrifício, e nós os que vivemos seremos transformados; e então desfrutaremos da plena reconciliação com Deus com corpos eternos.

         Estamos reconciliados com Deus por meio do Sacrifício de Cristo, mas somente no espiritual estamos desfrutando dessas bênçãos; ainda o nosso corpo físico é mortal, corruptível e temporário; mas muito em breve seremos transformados, e então teremos um corpo eterno e glorificado, igual ao corpo de Jesus Cristo.

         Agora, temos que compreender que enquanto faltar algum dos escolhidos, algum dos que estiver escrito no Livro da Vida do Cordeiro, que não tiver entrado no Corpo Místico de Cristo e que não tiver subido à era que lhe corresponde, que é a Era da Pedra Angular neste tempo final…; como aos da primeira era lhes correspondia entrar ao Corpo Místico de Cristo, à primeira era.

         E agora, neste tempo final corresponde entrar os escolhidos que vivem neste tempo à Era da Pedra Angular, no Corpo Místico de Cristo.

         E quando se completar esse número, então Cristo mudará de Cordeiro a Leão, terminará Seu trabalho de intercessão como Sumo Sacerdote no Céu, e se converterá em Juiz de toda a Terra; e será o Leão da tribo de Judá, o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

         Agora vejam uma coisa muito importante: neste tempo final estamos vivendo em um tempo paralelo ao tempo da Primeira Vinda de Cristo, estamos vivendo em um entrelace dispensacional.

         Para Cristo realizar a Obra de Redenção na Cruz do Calvário como Cordeiro de Deus, teve que estar na Terra desde 33 anos antes; nascendo em Belém da Judéia; em seguida crescendo: se tornou um menino, um jovem e depois uma pessoa adulta; e nessa etapa de adulto seria que Ele realizaria a Obra de Redenção.

         Mas antes disso teria um ministério, e esse ministério seria realizado em forma perfeita, e Ele obteria a adoção como Filho de Deus; o qual recebeu no dia do Monte da Transfiguração; ali Ele foi adotado, e Deus disse: “Este é meu Filho amado, em quem tenho contentamento; a Ele ouvi”. Essa é a forma para a adoção; e cada filho de Deus para o Último Dia também será adotado.

         Mas teremos que ir ao Monte da Transfiguração lá? Teremos que estar em algum monte? Temos que estar em um monte, e temos que estar na parte alta do monte.

         Mas que monte será esse? O Monte de Deus.

         E onde está esse Monte de Deus? Qual é esse Monte de Deus? É a Igreja de Jesus Cristo; é preciso estar no cume ou topo desse Monte, que é a Era da Pedra Angular. Aí é onde os filhos e filhas de Deus serão adotados, como filhos e filhas de Deus: com a ressurreição dos mortos em Cristo e transformação de nós os que vivemos. Isso é a adoção para os filhos e filhas de Deus.

         E então estaremos como reis e sacerdotes em toda sua plenitude: com um corpo novo; vestidos de reis: com um corpo novo; teremos a vestimenta da Realeza: um corpo eterno.

         Agora podemos ver a bênção tão grande que nosso Salvador Jesus Cristo tem para cada um de vocês e para mim também.

         Em breve Ele mudará de Cordeiro a Leão; estamos no entrelace dispensacional.

         Agora vejam vocês uma coisa muito importante. Em Sua Primeira Vinda tinha chegado o Cordeiro de Deus, mas ainda se efetuavam os sacrifícios; e tinham que se efetuar esses sacrifícios, porque mesmo que estivesse o Cordeiro de Deus ainda não tinha sido adotado; foi adotado no Monte da Transfiguração.

         E em seguida, mais adiante, quando terminou Seu ministério… e podia dizer: “Consumado está.”

         Ele também tinha dito em São João que a Obra que tinha sido dada para fazer, tinha realizado, tinha feito; isso foi sob Seu ministério. E agora correspondia realizar a Obra de Redenção na Cruz do Calvário; isso foi a parte culminante da Primeira Vinda de Cristo: a Obra de Redenção na Cruz do Calvário; mas vejam vocês, teve que ter 33 anos aqui na Terra.

         Desde o momento que chegou, nascendo em Belém da Judéia, ali tinha nascido o Cordeiro de Deus e ali tinha nascido o Substituto de todo ser humano, para Ele levar nossos pecados e receber a recompensa do pecado, que é a morte; mas ainda não podia morrer. O diabo tentou matá-lo usando Herodes e usando um inúmeras de pessoas, mas não podia morrer até o tempo assinalado por Deus.

         Podemos ver que enquanto estava nesse entrelace, o povo hebreu tinha que continuar oferecendo os sacrifícios. Até por Jesus Cristo mesmo, quando nasceu e foi apresentado ofereceram umas pombinhas por Ele.

         Também Jesus Cristo, em algumas ocasiões; quando curava algumas pessoas, leprosos ou pessoas cegas, dizia: “Vão ao sacerdote e ofereçam ali o que está ordenado na Lei de Moisés pela limpeza que vocês receberam”. Isso era para os leprosos.

         E agora podemos ver que ainda as coisas do Antigo Testamento estavam funcionando mesmo que Jesus estiva na Terra, porque era um entrelace dispensacional.

         Encontramos que Jesus nesse entrelace dispensacional, mesmo que fosse o Cordeiro de Deus, ainda não tinha tirado o pecado, porque isso tinha um momento específico; e vejam vocês, tinha que ser em um dia exato; e foi na véspera da Páscoa, em uma das Páscoas do povo hebreu. O dia em que se sacrificava um cordeiro em cada família, esse dia Jesus Cristo foi sacrificado na Cruz do Calvário; foi na véspera da Páscoa.

         E agora, na véspera da Páscoa, o cordeiro pascal era sacrificado.

         Isto também foi tipificado quando o povo hebreu ia sair da escravidão no Egito: eles sacrificaram, no dia 14 do primeiro mês do ano, sacrificaram um cordeiro; cada família sacrificava um cordeiro, aplicava seu sangue no batente das portas e nos portais das suas portas; e assavam o cordeiro, o levavam para dentro da casa e o comiam nessa noite. Com o sangue aplicado no batente e nos portais das portas, evitava que os primogênitos que estavam dentro dessa casa morressem.

         E agora o Sangue de Cristo é o que nos livra da segunda morte. Por meio do Sangue de Cristo somos preservados para viver eternamente.

         Agora podemos ver o simbolismo nesses sacrifícios que o povo hebreu tinha. Todos esses sacrifícios que o povo hebreu efetuava se cumpriram em um só Sacrifício que foi feito por um homem, por nosso amado Senhor Jesus Cristo; n’Ele se cumpriu o sacrifício do cordeiro pascal e o sacrifício do bode e todos os demais sacrifícios. Isso é Jesus Cristo como Cordeiro, para bênção de cada um de vocês e para mim também.

         Agora, houve um entrelace de 33 anos, 33 anos durou esse entrelace. Agora, quanto tempo durará o entrelace do Leão da tribo de Judá?

         Houve um entrelace de 33 anos da Dispensação da Graça com a Dispensação da Lei. Quantos anos durará o entrelace da Dispensação do Reino com a Dispensação da Graça?

         Algum dia, veremos quanto tempo durará. Quando os mortos em Cristo ressuscitarem e nós formos transformados, daí em diante; já poderemos calcular e vão dar exatos, não vamos falhar. E estando em um novo corpo, teremos conhecimento pleno, e correto conhecimento, das coisas que estiveram se realizando.

         Talvez em nosso tempo ainda não captamos o cem por cento todas as coisas, pela limitação humana que temos; mas quando estivermos no novo corpo, não teremos limitações.

         Agora necessitamos compreender que para o Último Dia haverá um entrelace de Leão da tribo de Judá com Cordeiro de Deus. Esse entrelace o temos aí assinalado em Apocalipse, capítulo 5, versículo 5 ao 6, onde o ancião diz a João: “Não chores. Eis aqui o Leão da tribo de Judá”. Vamos lê-lo:

         “E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os seus sete selos.”

         Quem é a raiz e a geração de Davi? Nosso amado Senhor Jesus Cristo. Ele nasceu na Terra por meio de uma virgem descendente do rei Davi e, consequentemente, é um descendente segundo a carne do rei Davi.

Ele é esse renovo do tronco e raiz de Jessé, de Isaías, capítulo 11, versículo 1 ao 15. Vamos ler. Em Isaías nos diz, no capítulo 11, versículo 1 em diante:

“Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará.”

         Agora, vejamos que uma videira (uma videira é de, do que? De uvas) tem muitos ramos, e é nos ramos que produz o fruto. Cristo disse [São João 15:5]: “Eu sou a Videira Verdadeira, vós sois os ramos”, ou seja: os galhos. E agora, onde se produz o fruto? A videira produz o fruto nos ramos.

         E agora, do tronco de Jessé, daí sairá um rebento, uma vara.

         “Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará.

E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, e o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.”

         E assim continua falando sobre essa vara e rebento que brotará de novo das suas raízes, do tronco e raízes de Jessé.

         Agora, podemos ver em Apocalipse, capítulo 22, versículo 16, que Jesus diz:

         “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a resplandecente Estrela da manhã.”

         Cristo é a raiz e a geração de Davi. E se Ele é a raiz e a geração de Davi, Ele é esse rebento e esse renovo, e Ele é também a raiz.

         E agora vejam vocês como para o Último Dia Cristo será manifestado como esse rebento, como esse renovo, para se sentar no Trono de Davi, porque Ele é o herdeiro ao Trono de Davi.

         O Arcanjo Gabriel disse à virgem Maria que Deus lhe dará o Trono do Seu pai Davi, e reinará para sempre. Isso está em São Lucas, capítulo 1, versículo 30 ao 36.

         E agora, como será que tudo isto acontecerá no tempo final? Quem terá a chave para abrir todo esse mistério e para que se cumpra todo esse mistério? Necessitamos uma chave, porque há uma porta aí fechada, que ninguém pode abrir; mas Cristo diz em Apocalipse, capítulo 3, versículo 7:

         “E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi, o que abre, e ninguém fecha, e fecha, e ninguém abre:”

         Aqui temos ao que tem a chave de Davi: é Jesus Cristo.

         Ele também deu a chave do Reino dos Céus ao apóstolo São Pedro, e Pedro abriu a porta do Reino dos Céus no Dia de Pentecoste. O que foi que abriu ali? Cristo é a Porta, e São Pedro abriu a Primeira Vinda de Cristo publicamente, revelando o mistério da Primeira Vinda de Cristo e Sua Obra como Cordeiro de Deus na Cruz do Calvário, Sua Obra de Redenção; e começaram a entrar por essa Porta milhares de pessoas. E estiveram entrando milhões de seres humanos pela Porta da Primeira Vinda de Cristo; porque Cristo é a Porta em Sua Primeira Vinda e Cristo é a Porta em Sua Segunda Vinda.

         Agora, quando Cristo veio como Cordeiro de Deus, esteve 33 anos na Terra e a Porta estava fechada; mas Pedro a abriu no Dia de Pentecoste, quando Cristo cumpriu Sua Obra de Redenção na Cruz do Calvário.

         Agora, podemos ver que para o Último Dia será fechada a Porta da Dispensação da Graça e se abrirá a Porta da Dispensação do Reino, que é a Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação; e Ele se sentará sobre o Trono de Davi, e reinará sobre o povo hebreu e sobre todas as nações.

         Ele reinará como Rei dos reis e Senhor dos senhores, como o Leão da tribo de Judá; como Rei dos reis para o povo hebreu e para todos os seres humanos.

         Agora podemos ver que essa é a Porta para o Último Dia, que se abrirá para entrar na Dispensação do Reino, tanto a Igreja de Jesus Cristo como o povo hebreu. Nenhuma pessoa poderá entrar no Reino Milenial se não entrar pela Porta.

         A Porta do glorioso Reino Milenial é a Segunda Vinda de Cristo. A Porta para os escolhidos de Deus receberem a fé para serem transformados e serem raptados é a Segunda Vinda de Cristo. A Porta para subir à Era da Pedra Angular e ouvir a Voz de Cristo nos revelando todas as coisas que em breve devem acontecer é a Segunda Vinda de Cristo.

         Agora podemos ver que há uma porta; e se houver uma porta, vocês recordem uma coisa: Deus não é um Deus descuidado, Deus é um Deus muito cuidadoso. Não é como algumas pessoas, que nem têm porta nas suas casas ou nas suas chácaras, e muito menos uma fechadura; e depois se queixam se os ladrões se entrarem levarem as coisas. E algumas vezes dizem: “Que há muitos ladrões”; mas também os ladrões podem dizer: “Que há muita gente descuidada”. Assim que são os descuidados os que dão lugar a que a cada dia haja mais ladrões.

         Por isso encontramos que Jesus Cristo, sabendo que há um ladrão que tem um montão de ladrões com ele — que se chama o diabo —, o qual não veio senão para roubar, veio matar também… Agora podemos ver que Jesus Cristo tem tudo bem ordenado e bem protegido.

         E agora vejam vocês como a Porta da Dispensação da Graça ninguém a podia abrir, ninguém podia abrir o mistério da Primeira Vinda de Cristo, até que chegou esse tempo. Houve muitos imitadores, mas nenhum pôde conseguir fazer o que Cristo tinha que fazer.

         Para o tempo final… Houve imitadores, sempre os houve e sempre os há; mas para este tempo ninguém poderá conseguir o que Cristo fará, a não ser o próprio Cristo como Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação.

         Agora, nesse entrelace, Cristo estará.

         Cristo esteve no meio da Sua Igreja, assim como Ele esteve no meio do povo hebreu todo o tempo. Ele esteve como o Anjo do Pacto ou Anjo do Senhor, mas em seguida se fez carne em Jesus. Ele tinha se manifestado nos profetas do Antigo Testamento, na porção correspondente a cada tempo; mas em seguida se manifestou em toda Sua plenitude em Jesus de Nazaré.

         E ali estava o Cordeiro de Deus, nesse entrelace, mesmo que ainda não tinha feito a Obra de Redenção na Cruz do Calvário; mas já estava o Cordeiro presente; mas a Obra de Redenção não estava feita ainda. E, consequentemente, os benefícios da Obra de Redenção ainda não eram efetivos para as pessoas: ainda o novo nascimento não estava se efetuando, mas Jesus Cristo já estava ensinando que era necessário nascer de novo.

         E para nascer de novo, as pessoas tinham que lavar seus pecados no Sangue do Cordeiro de Deus; portanto o Cordeiro tinha que morrer, e ainda não tinha morrido; mas Jesus Cristo já está ordenando todo o trabalho que tem que se realizar na Dispensação da Graça para as pessoas receberem o perdão dos seus pecados e receberem o Espírito Santo.

         Agora podemos ver que Jesus Cristo colocou tudo em ordem, conforme o Programa Divino.

         E em seguida que cumpriu Sua Obra, em seguida começou a funcionar todo esse Programa de Redenção; e milhões de seres humanos receberam os benefícios, e milhões de seres humanos receberam os benefícios da Obra de Redenção de Jesus Cristo. E ainda neste tempo estamos recebendo os benefícios da Sua Obra como Cordeiro de Deus; e ainda estejamos em um entrelace dispensacional, estamos recebendo ainda os benefícios da Primeira Vinda de Cristo como Cordeiro de Deus.

         E agora, neste tempo está sendo feito o entrelace de Jesus Cristo como Leão da tribo de Judá com Sua Obra como Cordeiro de Deus, e para este tempo final estamos nesse entrelace.

         Agora, recordem que para aquele tempo, até que foi adotado o instrumento de Deus para essa Obra de Redenção, não podia se efetuar a redenção; depois da Sua adoção passou muito pouco tempo, e em seguida Jesus Cristo morreu na Cruz do Calvário, e realizou a Sua Obra de Redenção como Cordeiro de Deus.

         Ou seja: que estamos vivendo em um tempo paralelo ao de Jesus Cristo, onde houve um entrelace dispensacional, e houve uma adoção: a adoção do Filho de Deus.

         Para este tempo final estamos num entrelace dispensacional, onde se realizará a adoção dos filhos e filhas de Deus; e onde um filho de Deus, um mensageiro de Deus, será adotado; e com a adoção desse mensageiro virá também a adoção de todos os escolhidos de Deus, do Corpo Místico de Cristo, de nosso tempo e dos que viveram em eras passadas; e ressuscitarão em corpos eternos os das eras passadas e alguns dos nossos que partiram, e nós os que vivemos seremos transformados.

         Vejam todas as bênçãos que há neste entrelace dispensacional de Leão e Cordeiro.

         Estamos vivendo em um tempo muito importante. É o tempo mais glorioso de todos os tempos. É o tempo onde o Senhor Jesus Cristo muda de Cordeiro a Leão; mas recordem que há um lapso de tempo, de anos, de entrelace; e isso significa que estando como Cordeiro, Ele começa todos os preparativos para Sua Obra como Leão.

         Assim como no Antigo Testamento estava o Cordeiro de Deus presente, mas ainda não eram efetivos todos os benefícios que Sua Vinda como Cordeiro de Deus daria aos seres humanos. Por quê? Porque ainda não tinha sido sacrificado na Cruz do Calvário.

         Se Ele não chegasse a ser sacrificado na Cruz do Calvário, em vão foi Sua Primeira Vinda. Ele disse: “Se o grão de trigo cair em terra e não morrer, ele fica só”. Estaria vivo, se não tivesse morrido na Cruz do Calvário; estaria ainda com o corpo físico que teve, e sem morrer; nunca teria morrido, porque não tinha pecado.

         Mas Ele disse: “Se não cair em terra e morrer, fica sozinho”. Ou seja: nós não estaríamos vivendo neste tempo, não haveria seres humanos vivendo neste tempo; e Cristo não teria seguidores crentes n’Ele como os tem das eras passadas e de nosso tempo.

         Todo o juízo divino tinha que cair sobre a raça humana no dia que Jesus Cristo morreu; e por quanto Jesus Cristo tomou nossos pecados, todo o juízo divino caiu sobre Jesus Cristo; e por isso a raça humana continuou vivendo.

         Vejam o benefício para a raça humana, da Primeira Vinda de Cristo e Sua morte na Cruz do Calvário. Somente a raça humana, como gênero, se compreendesse o porque existe ainda, estaria agradecida a Deus pela Primeira Vinda de Cristo.

         Agora, vejam vocês que com Sua morte Ele trouxe grandes bênçãos.

         Ele disse: “… mas se cair em terra e morrer; muito fruto produz”. E um grão de trigo, se cair em terra e morrer, nasce uma plantinha; isso é o grão de trigo em forma de uma planta. E Jesus Cristo o grão de trigo, em forma de uma planta é Sua Igreja; e é na Sua Igreja onde Ele produz o fruto: muitos filhos e filhas de Deus para no Último Dia amadurecer e serem iguais ao primeiro grão de trigo: a Jesus Cristo, o Filho de Deus, ao primeiro filho de Deus que veio a esta Terra e foi adotado, foi manifestado, como Filho de Deus.

         E agora, para o Último Dia, ao amadurecerem os grãos de trigo — que são os filhos e filhas de Deus — por meio de Jesus Cristo, na Era da Pedra Angular, onde o Sol, Cristo, amadurece os grãos de trigo… Ou seja: amadurece os filhos e filhas de Deus na Era da Pedra Angular, pois já não estamos em eras representadas na lua, mas que estamos em uma era representada no sol, onde o trigo amadurece porque amadurece; porque com o sol é que amadurece o trigo.

         Agora podemos ver que para o tempo final, para o tempo em que amadurece o trigo, como nos tempos do povo hebreu (e assim é para todos os tempos)… Para o tempo da colheita, antes de se realizar a colheita, o recolhimento do trigo, o trigo tinha que chegar ao seu amadurecimento; e para isso o sol estava forte, era sol do verão, e também vinha a chuva tardia; e chuva tardia representa o ensinamento tardio.

         O primeiro ensinamento é a primeira Chuva. A primeira Chuva do ensinamento é a Chuva da Primeira Vinda de Cristo, e a Chuva Tardia é o ensinamento da Segunda Vinda de Cristo.

         A Chuva Temporã caiu no leste, na terra de Israel; ali foi a Primeira Vinda de Cristo e ali começou o ensinamento da Primeira Vinda de Cristo. E para o Último Dia a Chuva Tardia cai no ocidente: o ensinamento da Segunda Vinda de Cristo.

         Para amadurecer o trigo com a Chuva Tardia, o ensinamento da Segunda Vinda de Cristo, nos amadurece como filhos e filhas de Deus. E com o Sol de Justiça, que é Cristo em Sua manifestação do Último Dia, nos ilumina o entendimento e nos ilumina as Escrituras, e assim nos abre as Escrituras e o entendimento para podermos compreender todo o Programa Divino; e vai amadurecendo para no Último Dia nós sermos transformados, os que vivemos, e os mortos em Cristo serem ressuscitados.

         Agora vejam vocês, como para este tempo final, Cristo, neste entrelace dispensacional, vai nos amadurecendo no conhecimento do Seu Programa, no conhecimento da Segunda Vinda de Cristo; vai nos enchendo do conhecimento de todo esse Programa correspondente à Segunda Vinda de Cristo, que é o Programa correspondente ao Sol de Justiça resplandecendo e nos amadurecendo. É o Programa correspondente à Vinda do Leão da tribo de Judá.

         Cristo, como o Sol de Justiça, apareceu resplandecendo no Monte da Transfiguração; e Malaquias também nos diz, no capítulo 4, versículo 2: “Mas para vós que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça e em Suas asas trará salvação.”

         E no Monte da Transfiguração, no capítulo 17 de São Mateus, vimos Cristo com Seu rosto como o sol, quando mostrou ali a Vinda do Filho do Homem em Seu Reino; evento que corresponde ao Último Dia, ou seja: ao sétimo milênio.

         O sol representa a Cristo. Cristo disse: “Eu sou a Luz do mundo”. E o sol é o astro rei, e representa Cristo como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Segunda Vinda.

         Assim como também em Sua Primeira Vinda Ele iluminou o entendimento dos seres humanos, e esteve iluminando os seres humanos; para Sua Segunda Vinda também nos iluminará na Dispensação do Reino.

         E neste entrelace dispensacional, Cristo como o Sol nascente vai nos iluminando o entendimento em uma forma progressiva: como sai o sol pela manhã e vai iluminando em uma forma progressiva, e vai dando mais e mais luz até que o dia é perfeito.

         E até que o Milênio seja perfeito, Ele vai nos dando Luz gradualmente, até que tenhamos o dia perfeito: o sétimo milênio perfeito, com o glorioso Reino Milenial de Cristo estabelecido neste planeta Terra. Mas estamos no entrelace dispensacional, entrelace de Leão com Cordeiro.

         Vimos este entrelace. Em seguida falaremos, em outras ocasiões, com mais detalhe sobre todo este mistério do Leão da tribo de Judá.

         Estamos no entrelace. Por isso é que João quando o viu… O ancião tinha dito: “Eis o Leão da tribo de Judá”; e quando João olhou, viu um Cordeiro.

         Esse é o mistério da manifestação de Cristo, o mistério daquele Cordeiro, nosso amado Senhor Jesus Cristo: O Anjo do Pacto, que dois mil anos atrás foi manifestado em carne humana como Cordeiro de Deus, é o mesmo Anjo do Pacto que no Último Dia estará manifestado como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação.

         Agora, vimos o Senhor Jesus Cristo mudando de Cordeiro a Leão; mas isso tem um entrelace, um entrelace no qual; ainda recebemos as bênçãos do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo nosso Salvador, e Sua Obra de Redenção na Cruz do Calvário, até que entre até o último dos escolhidos de Deus.

         E depois, já quando estivermos transformados e os mortos em Cristo ressuscitados, o povo hebreu estará acordado: vai receber Cristo também. Eles o verão como o Leão da tribo de Judá, e eles dirão: “Este é o que nós estamos esperando!” E eles então compreenderão este mistério do Leão e o Cordeiro, e por que o rejeitaram dois mil anos atrás.

         Agora estamos no tempo onde o Senhor Jesus Cristo está nesse entrelace onde realiza a mudança de Cordeiro a Leão.

         “O SENHOR JESUS CRISTO MUDANDO DE CORDEIRO A LEÃO”.

         Que as bênçãos de Jesus Cristo sejam sobre todos vocês e sobre mim também; e em breve se complete o número dos escolhidos de Deus, e os mortos em Cristo ressuscitem em corpos eternos e nós os que vivemos sejamos transformados. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         “O SENHOR JESUS CRISTO MUDANDO DE CORDEIRO A LEÃO”.

         [Revisão abril 2020]

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16