O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "ADORADORES DO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE" 24 de abril de 2020

"ADORADORES DO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE" 24 de abril de 2020

reprodução da transcrição disponível em: https://mensajes.carpa.com/mensajes/1998/10/adoradores-del-padre-en-espiritu-y-en-verdad/?lang=pt-br

Muito boa noite amados amigos e irmãos presentes aqui em Santiago do Chile, aqui nesta área do Chile. Que as bênçãos de Jesus Cristo, o Anjo do Pacto, sejam sobre todos vocês e sobre mim também, e nos permita entender Sua Palavra e adorá-lo e glorificá-lo neste Último Dia. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         Quero ler em São João, capítulo 4, versículo 20 ao 24, onde nos diz… Aqui, quando Jesus está falando com a mulher samaritana: aqui, capítulo 4, versículo 19 ao 24, diz:

         “Disse-lhe a mulher: Senhor; vejo que és profeta.

Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.

Disse-lhe Jesus: Mulher; crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.

Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus.

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”

         Que Deus abençoe nossas almas com Sua Palavra e nos ajude para sermos verdadeiros adoradores de Deus: em espírito e em verdade.

         Nosso tema para esta ocasião é “ADORADORES DO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE”.

         Este tema da adoração a Deus vem desde Gênesis, porque ainda a palavra Deus significa ‘objeto de adoração’; e quando Deus criou anjos e o adoraram, se tornou Deus, porque se tornou objeto de adoração da Sua Criação.

         Agora, encontramos que em Gênesis, capítulo 4, houve duas pessoas que foram diante da presença de Deus para adorá-lo; e vejam estes dois casos, que são muito importantes, porque todo verdadeiro adorador; adora a Deus corretamente. Não basta a sinceridade da pessoa: é necessário que seja uma adoração correta, conforme o que Deus requer para essa adoração.

         Logo depois da queda do ser humano encontramos Caim e Abel, os quais foram adorar a Deus. Capítulo 4 de Gênesis, versículo 1 em diante, diz:

         “E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu, e teve a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um varão.

         E teve mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.

         E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.

         E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.

         Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante.

         E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?

         Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás.”

         Aqui podemos ver Caim e Abel, que vêm a Deus para trazer uma oferta a Deus e para adorar a Deus; e Deus olhou a Caim e Abel, e nos dois houve sinceridade para vir adorar a Deus, mas a sinceridade não é suficiente: não basta a sinceridade, para Deus se ver obrigado a aceitar o sacrifício ou oferta de quem a traz para Deus.

         Em Hebreus, capítulo 11, versículo 39, diz o apóstolo São Paulo, falando a sobre a fé, nos fala que aqueles homens de Deus do passado “tendo recebido  bom testemunho pela fé.”

         E agora, falando a Escritura a respeito de Abel, vamos ver o que nos diz São Paulo: na sua carta aos Hebreus, capítulo 11, versículo 4, diz:

         “Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e, por ela, depois de morto, ainda fala.”

         Caim trouxe para Deus uma oferta dos frutos do campo e Abel trouxe um animalzinho, um cordeirinho, dos mais gordos das suas ovelhas, e o sacrificou e o ofereceu a Deus, um sacrifício para Deus; porque Abel pela fé (e fé é revelação), pela fé, por revelação, a fé que tinha, a revelação que tinha, sabia como se aproximar diante da presença de Deus.

         Toda pessoa que se apresenta diante de Deus necessita fazer na forma correta para adorar a Deus, e Deus receber essa adoração.

         Caim e Abel se aproximaram de Deus, e ambos eram sinceros; mas a Caim não lhe bastou a sinceridade: precisava ter a fé, a revelação, para saber como se aproximar de Deus.

         Agora, vejam vocês, o que trouxe Caim em nada representava o Sacrifício de Cristo pelo pecado; mas a oferta que trouxe Abel sim representava o Sacrifício de Cristo pelo pecado na Cruz do Calvário. E por quanto a oferta de Abel era tipo e figura de Cristo, o Cordeiro de Deus, nos tipos e figuras e sombras do Antigo Testamento; encontramos a Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, representado no cordeirinho que trouxe Abel diante de Deus, e também naqueles cordeiros e bodes que no meio do povo hebreu eram oferecidos a Deus pelo pecado; pelo qual, o pecado das pessoas que ofereciam a Deus com fé e por fé esses sacrifícios, o pecado dessas pessoas era coberto com o sangue daqueles animalzinhos; mesmo que não era tirado o pecado, somente era coberto, no que chegava o Sacrifício perfeito, o Cordeiro perfeito, nosso amado Senhor Jesus Cristo, o qual não cobre o pecado, mas que tira o pecado. O Sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo pecado.

         E João Batista, quando apresentou Jesus disse: “Eis aqui o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João conhecia os tipos e figuras do Antigo Testamento que davam testemunho do Messias, que viria como o Cordeiro de Deus para tirar o pecado do mundo.

         Agora, se nos tipos e figuras do Antigo Testamento funcionava nessa forma, e Deus aceitava a adoração das pessoas que vinham com esses sacrifícios desses animalzinhos (que representavam o Sacrifício de Cristo que deveria ser efetuado na Cruz do Calvário); se nos tipos e figuras funcionava, quanto mais na realidade do Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário!

         Agora, vimos que os adoradores no Antigo Testamento tinham que vir com uma oferta: uma oferta de um sacrifício pelo pecado; porque Deus não aceita a adoração dos pecadores. E por isso é necessário que o pecador tenha um sacrifício, para que com o sangue desse sacrifício seus pecados sejam tirados.

         Mas no Antigo Testamento, por quanto os sacrifícios dos animalzinhos não eram perfeitos…, somente era coberto o pecado, até que chegasse o Cordeiro perfeito, o Sacrifício perfeito, que tiraria o pecado do mundo.

         E todos aqueles adoradores no Antigo Testamento, que tinham devotado a Deus esses sacrifícios, tinham seus pecados cobertos; mas quando Cristo morreu na Cruz do Calvário, o pecado dessas pessoas, que estava coberto, foi tirado. E então quando Cristo ressuscitou, ressuscitaram com Cristo os Santos do Antigo Testamento, como diz o Evangelho segundo São Mateus, no capítulo 27 e versículos 51 ao 53, onde diz:

         “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras.

E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados;

E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele (ou seja: depois da ressurreição de Jesus Cristo), entraram na Cidade Santa e apareceram a muitos.”

         Aqui temos o Sacrifício de Cristo, o Sacrifício perfeito, o Sacrifício do Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

         E assim como no Antigo Testamento era necessário que a pessoa tivesse um sacrifício pelo pecado, para se aproximar de Deus e para adorar a Deus e for aceita a adoração por Deus (dessa pessoa que a oferecia a Deus), agora encontramos que já esses sacrifícios de animalzinhos foram tirados.

         Encontramos que no meio do povo hebreu já não têm o templo, onde adoravam a Deus e onde ofereciam a Deus esses sacrifícios pelo pecado, como o sacrifício da páscoa e o sacrifício do bode no dia 10 do sétimo mês de cada ano: o sacrifício da expiação, do bode para a reconciliação do povo hebreu com Deus.

         Por que já não se têm esses sacrifícios nem esse templo? Porque já se passou do Antigo Testamento ao Novo Testamento; e no Antigo Testamento somente o que se tinha eram as figuras, os tipos e figuras do que Deus teria no Novo Testamento.

         A realidade corresponde ao Novo Testamento. O Novo Testamento é a realidade do que foi refletido no Antigo Testamento.

         Por isso é que Deus já não necessita, nem Deus aceita, sacrifícios de animalzinhos pelo pecado, porque já foi feito um Sacrifício perfeito: o Sacrifício do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo nosso Salvador; e esse Sacrifício não cobre o pecado, mas que tira o pecado.

         E agora, ao tirar o pecado, a pessoa está justificada diante de Deus. E o que significa estar justificado diante de Deus? Significa que a pessoa está como se nunca na sua vida tivesse pecado; portanto, pode se aproximar de Deus; porque o Sangue de Jesus Cristo nos limpou que todo pecado.

         E nos apresentamos a Deus para adorar a Deus com o Sacrifício do Cordeiro de Deus, sobre o qual nós confessamos nossos pecados.

         E se alguém na sua vida cristã chega a cometer algum erro ou pecado, confessa a Jesus Cristo seus enganos e seus pecados, e o Sangue de Jesus Cristo o limpa de todo pecado; porque o Sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo pecado.

         E enquanto o Sangue de Jesus Cristo estiver no Propiciatório, sobre o Propiciatório, na Arca do Pacto, sobre o Propiciatório do Templo que está no Céu, do Trono de Deus, lá há misericórdia para os filhos e filhas de Deus.

         O Sangue de Cristo está sobre o Propiciatório, ou seja: sobre o assento ou cadeira de misericórdia no Céu; onde Cristo ascendeu e levou Seu próprio Sangue, e o colocou lá no Templo de Deus que está no Céu, o colocou sobre o Propiciatório, a cadeira de intercessão, o lugar de intercessão lá no Céu; o colocou lá, sobre o Trono de Deus no Céu, porque Jesus Cristo é o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu.

         E o único que podia entrar no Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu, para fazer intercessão por todos os que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo, era nada menos que o Senhor Jesus Cristo, que é o Melquisedeque que apareceu a Abraão e lhe deu pão e vinho. Ele é o Melquisedeque, Príncipe e Rei de Salem, e Sacerdote do Deus Altíssimo. Ele é o Sacerdote do Templo que está no Céu.

         E por isso, quando Jesus Cristo morreu aqui na Terra, Ele não tomou Seu Sangue e o levou ao templo terreno que estava lá em Jerusalém, porque Ele não é sacerdote da ordem de Arão. O sumo sacerdote da ordem de Arão era quem levava o sangue ao lugar santíssimo e espargia com seu dedo sete vezes sobre o propiciatório. Mas agora Jesus Cristo é Sumo Sacerdote segundo a ordem não de Arão, mas de Melquisedeque; essa é a Ordem Sacerdotal Celestial.

         O terreno foi de Arão pela tribo de Levi, a ordem sacerdotal Levítica, do qual Arão foi o sumo sacerdote; e todo sumo sacerdote tinha que vir por meio da descendência de Aarão; e o sacerdócio pertencia a Arão e a seus descendentes.

         Mas agora, um Sumo Sacerdote de outra ordem, da Ordem celestial do Templo que está no Céu, levou Seu próprio Sangue ao Céu, ao Templo que está no Céu, e a colocou sobre o Propiciatório do Templo que está no Céu, onde os sacerdotes da ordem de Arão não podem ministrar.

         E agora vejam vocês, este mistério do Templo que está no Céu e da Ordem Sacerdotal do Templo que está no Céu. Para poder compreender essa Ordem celestial, temos que compreender a ordem sacerdotal Levítica ou de Arão, porque na ordem de Arão ou Levítica, essa ordem sacerdotal, se refletiu a Ordem Sacerdotal Celestial de Melquisedeque.

         A ordem Levítica ou de Arão é temporária, porque é a ordem que corresponde à Dispensação da Lei; e os hebreus já não têm templo, e a Dispensação da Lei já terminou.

         Por isso é que Cristo esteve falando também sobre o templo, que seria destruído, e também Ele disse diante do templo: “Eis aqui um maior que o templo”. Estava falando de Si mesmo; porque Ele, sendo o templo humano de Deus, é maior um templo humano que um templo de quatro paredes de pedras.

         E agora, todos os filhos e filhas de Deus são templos também de Deus, como seres humanos, para morada de Deus em Espírito Santo dentro da pessoa: lá, no trono da sua alma, é onde Deus mora.

         E assim como Moisés aspergia sangue, o sangue da expiação sobre o propiciatório, e também sobre as coisas que estavam ali, e sobre o templo; assim também o Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque aspergiu Seu Sangue sobre nossa alma e sobre todo nosso ser, para nos limpar de todo pecado, para realizar a expiação em cada um de nós.

         E agora, estamos vendo como Deus estabeleceu a adoração. Ele estabeleceu que os verdadeiros adoradores, adorem ao Pai em espírito e em verdade; e para isso o adorador, no Novo Testamento tem que ter o Sacrifício pelo pecado (que é o Sacrifício de Cristo) e ter lavado seus pecados no Sangue de Cristo e ter recebido Seu Espírito Santo, e assim ter nascido de novo.

         Como disse Cristo a Nicodemos, quando Nicodemos foi a Ele e disse: “Nós sabemos que ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes; estas coisas que tu fazes; se Deus não estiver com ele”. Jesus Cristo em seguida lhe fala do novo nascimento e lhe diz: “De certo, de certo te digo, que o que não nasça de novo, não pode ver o Reino de Deus”, ou seja: não o pode entender. Vamos lê-lo o aqui como Jesus diz: capítulo 3 de São João, versículo 3 em diante, diz:

         “Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus.

Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer?

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.

O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.

Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.”

         Agora vejam como é necessário o novo nascimento, porque por meio do novo nascimento a pessoa entra para formar parte da Casa de Deus, da Igreja do Senhor Jesus Cristo, nasce dentro da Igreja do Senhor Jesus Cristo; essa é a forma para pertencer à Igreja do Senhor Jesus Cristo. E a Igreja do Senhor Jesus Cristo é a Casa de Deus, é a Família de Deus, é um Templo espiritual de Deus; esse é o Novo Templo que Jesus Cristo está construindo, e o está construindo com seres humanos.

         Por isso é que nos diz São Paulo na sua carta aos Efésios, nos falando sobre este Novo Templo que está sendo construído por Jesus Cristo, diz da seguinte maneira: capítulo 2, versículo 19 em diante:

         “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da família de Deus;

edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;

no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor,

no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito.”

         Aqui podemos ver a construção deste Novo Templo; já não é um templo feito com pedras e madeira, como foi construído o templo de Salomão (e outros templos, que foram a restauração do templo de Salomão), e também não está sendo construído como Moisés construiu o tabernáculo; mas agora Cristo está tomando pedras vivas, que são seres humanos, como nos diz São Pedro.

         Assim como Cristo é uma Pedra viva, a Pedra que os edificadores desprezaram; agora Cristo está construindo Seu Templo e está tomando pedras vivas, está tomando seres humanos; e com eles Ele está construindo um Novo Templo, para morada de Deus em Espírito Santo nesse Templo. E Deus morará em toda Sua plenitude nesse Templo espiritual, na Sua Igreja.

         Atualmente encontramos; desde o Dia de Pentecostes para cá, Cristo esteve manifestado nas primícias do Espírito no Seu Templo e também nos membros desse Templo; porque as primícias do Espírito Santo é o batismo do Espírito Santo.

         Mas para o Último Dia, em acréscimo às primícias, virá a plenitude do Espírito Santo, tanto sobre a Igreja de Jesus Cristo como Corpo Místico de crentes, como também sobre cada membro da Igreja de Jesus Cristo, sobre cada cristão nascido de novo.

         Agora, vejam o que diz São Pedro em Primeira de Pedro, capítulo 2; versículo 4 em diante diz:

         “E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa,

vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.

Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.

E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina;

e uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.”

         Agora, vejam vocês como Cristo está construindo um Templo espiritual.

         Por isso já não é necessário o templo que o povo hebreu tinha em Jerusalém, também não é necessário o tabernáculo que Moisés construiu e também não é necessário os sacrifícios que se ofereciam no Antigo Testamento; porque já temos um Sacrifício perfeito, o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário, e Seu Sangue nos limpa de todo pecado; e temos um Templo espiritual que Cristo está construindo, o qual é Sua Igreja.

         E agora, cada membro do Corpo Místico de Jesus Cristo foi redimido pelo Sangue de Cristo e foi cheio do Espírito de Cristo (tem as primícias do Espírito, o batismo do Espírito Santo) e, consequentemente, nasceu de novo e nasceu na Casa de Deus, na Igreja do Senhor Jesus Cristo.

         E agora, sendo descendentes de Melquisedeque, que é Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu, agora encontramos que somos sacerdotes de Deus também.

         Ao que Cristo é herdeiro e o que Cristo é, somos também nós. Ele é Sacerdote do Templo que está no Céu, da Ordem de Melquisedeque. E agora nós somos sacerdotes de Cristo, somos sacerdotes de Melquisedeque, somos sacerdotes do Sumo Pontífice do Templo que está no Céu. Por isso São Pedro diz:

         “… e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus por meio de Jesus Cristo.”

         Por quê? Porque temos o Sacrifício perfeito, o Sacrifício de Cristo e Seu Sangue aplicado em nossas vidas.

         E agora, somos sacerdotes, para oferecer a Deus sacrifícios espirituais e oferecer a Deus adoração.

         Veem a forma correta em que se oferece a Deus uma adoração perfeita? É preciso ter primeiro o Sacrifício pelo pecado, que é o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário, para assim sermos limpos com Seu Sangue e ser cheios do Seu Espírito, e assim nascer de novo, nascer na Casa de Deus, e ser feito sacerdote de Deus.

         E agora, vejam vocês o que nos diz em Apocalipse, capítulo 1, sobre o que Cristo fez conosco. Capítulo 1, versículo 5 em diante, diz-nos:

         “e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos ama, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,

e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai, a ele, glória e poder para todo o sempre. Amém.”

         E em Apocalipse, capítulo 5, versículo 9 em diante, diz (9 ao 10, diz):

         “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;

e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.”

         Agora vejam tudo o que Cristo tem feito com Seu Sacrifício; porque o Sacrifício de Cristo é o que nos reconciliou com Deus. Não há outro sacrifício para o ser humano.

         Deus, já não aceita os sacrifícios que se ofereciam no Antigo Testamento porque Deus já enviou à Terra um Sacrifício perfeito, o Cordeiro de Deus, e já realizou esse Sacrifício; e esse é o único Sacrifício pelo pecado que Deus aceita.

         Deus foi quem proveu esse Sacrifício, esse Cordeiro perfeito; e se já temos um Sacrifício perfeito, qualquer outro sacrifício é imperfeito. Somente há um Sacrifício perfeito, e é o Sacrifício de Jesus Cristo; pelo qual Deus, já não aceita outro sacrifício, a não ser o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário.

         Em Apocalipse, capítulo 20, versículo 4 ao 6, diz:

         “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.

Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.”

         Serão sacerdotes de quem? De Cristo, e reinaremos com Ele mil anos; esse é o Reino Milenial. E sendo sacerdotes, durante o Reino Milenial, a Ordem Sacerdotal, pertence a quem? Ao Sumo Sacerdote Melquisedeque e a todos os redimidos com o Sangue de Cristo.

         E o Sumo Sacerdote Melquisedeque é nosso amado Senhor Jesus Cristo. Ele é quem está fazendo intercessão no Céu, e já levam uns dois mil anos; assim como o sumo sacerdote, no dia 10 do sétimo mês, entrava com o sangue da expiação, o sangue do bode, e o levava a lugar santíssimo, e o aspergia sobre o lugar santíssimo, sobre o propiciatório, que estava sobre a arca do pacto.

         E o trabalho que o sumo sacerdote realizava nesse dia, onde entrava umas quantas vezes ao lugar santíssimo (era uma vez ao ano, ou seja: um dia no ano, que entrava no lugar santíssimo, mas entrava e saía umas quantas vezes ao lugar santíssimo), realizando os trabalhos para a reconciliação do povo hebreu com Deus, e assim o povo hebreu ficar perdoado de todos seus pecados e começar um novo ano cheio das bênçãos de Deus.

         Por isso esse dia para o povo hebreu era tão importante, e o sumo sacerdote não podia falhar nos trabalhos correspondentes a esse dia, como tampouco Jesus Cristo podia falhar nos Seus trabalhos como Intercessor no Céu, no Lugar Santíssimo, fazendo intercessão com Seu próprio Sangue por todos os que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro, que são as pessoas que pertencem ao Israel celestial; porque há um Israel terreno, que é o povo hebreu, e está o Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo.

         E agora para Israel celestial temos o Templo celestial, onde o Sumo Sacerdote Jesus Cristo, Melquisedeque, esteve fazendo intercessão por estes últimos dois mil anos; e ainda está ali fazendo intercessão, até que entre até o último dos escolhidos de Deus, até que entre até o último que tem seu nome escrito no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo.

         São Paulo falando deste mistério, que está oculto no Programa Divino, e falando do povo hebreu e a cegueira que teve o povo hebreu na Primeira Vinda de Cristo, diz-nos em Romanos, capítulo 11, versículos 25 em diante:

         “Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.”

         Ou seja: até que tenha entrado até o último dos gentios, até o último filho ou filha de Deus, que tem seu nome escrito no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo; até que tenha recebido a Cristo como seu Salvador e tenha entrado no Corpo Místico de Cristo, lavando seus pecados no Sangue de Cristo e recebendo Seu Espírito Santo.

         E quando tiver entrado até o último dos escolhidos terá se completado o Corpo Místico de Cristo, terá se completado o número dos membros da Igreja de Jesus Cristo, terá entrado a plenitude dos gentios. E então o que acontecerá? Pois os mortos em Cristo ressuscitarão em corpos eternos e nós os que vivemos seremos transformados.

         E em seguida o que? Vamos ver o que acontecerá com o povo hebreu quando tiver entrado até o último dos escolhidos da Igreja de Jesus Cristo. Diz:

         “E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades.

         E este será o meu concerto com eles, quando eu tirar os seus pecados.

         Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.

         Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.”

         Aí podemos ver como o Programa Divino com Sua Igreja está se realizando durante estes últimos dois mil anos que transcorreram, e ainda Deus está atuando no meio da Sua Igreja; e quando se completar o número do Corpo Místico de Cristo, os mortos em Cristo ressuscitarão em corpos eternos e nós os que vivemos seremos transformados. E em seguida se abre a porta para o povo hebreu.

         Por isso é que mesmo que durante estes dois mil anos muitos pregadores tentaram de converter o povo hebreu a Cristo, como também os apóstolos de Jesus Cristo e o apóstolo São Paulo tentaram, não puderam. Deus trata com o povo hebreu como nação.

         E eles estiveram cegos durante todos estes anos; estes dois mil anos que transcorreram; e por essa causa eles estiveram sob o juízo divino, porque, vejam vocês, já não têm templo (desde ano 70 o general romano Tito destruiu o templo), não têm sacrifício pelo pecado (não têm o sacrifício do bode para a reconciliação do povo hebreu com Deus cada ano) e, consequentemente, o juízo divino esteve caindo sobre o povo hebreu.

         E ainda mais: Deus, não aceita outro sacrifício pelo pecado e para a reconciliação do ser humano com Deus, se não for o Sacrifício do Cordeiro de Deus, de Jesus Cristo nosso Salvador. Deus já não aceita — do Sacrifício de Cristo em diante — os sacrifícios que o povo hebreu realizava lá no templo.

         Assim que, o que não tiver o Sacrifício de Cristo e tiver lavado seus pecados no Sangue de Cristo e recebido Seu Espírito, está sob o juízo divino. E por isso o povo hebreu quase é extirpado de sobre a face da Terra, porque o juízo divino esteve caindo sobre o povo hebreu.

         E por quanto eles também disseram: “Seu sangue seja sobre nós, e sobre nossos filhos”, o Sangue de Cristo esteve sendo demandado da mão do povo hebreu, e o juízo divino esteve caindo sobre o povo hebreu. “Porque a recompensa do pecado é morte”, e por isso a morte os seguiu por estes dois mil anos em todas as nações, e estiveram sendo perseguidos e estiveram sendo massacrados; mas eles não sabem por que esteve acontecendo isto com eles.

         Mas já vimos que é porque eles já não têm sacrifício pelo pecado; e o único sacrifício pelo pecado, que Deus aceita, é o Sacrifício de nosso amado Senhor Jesus Cristo; e eles não o têm, porque não o receberam; e por isso o juízo divino esteve caindo sobre o povo hebreu.

         Mas nós os amamos, e desejamos que Deus tenha misericórdia deles. E Deus terá misericórdia do povo hebreu quando tiver entrado o último dos escolhidos dentre os gentios; e em seguida Deus se tornará ao povo hebreu, lhes abrirá os olhos; e então eles verão, eles compreenderão, e então serão convertidos a Cristo, a Deus; pois em seguida diz:

         “E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades.

         E este será o meu concerto com eles, quando eu tirar os seus pecados.”

         Cristo vai tirar seus pecados, Deus vai tirar seus pecados; e somente há um Sacrifício que tira o pecado do ser humano; não o cobre, mas o tira. E se Deus vai tirar o pecado do povo hebreu, tem que ser com um Sacrifício perfeito; porque o sacrifício dos animalzinhos somente cobria o pecado, mas o Sacrifício de Cristo tira o pecado.

         Agora podemos ver a situação do povo hebreu; mas Deus está tratando ainda com os gentios, e dentre os gentios está chamando um povo para Seu Nome; um povo: está formando uma Igreja, um Corpo Místico de crentes.

         Essa é a Igreja de Jesus Cristo, e esse é o Novo Templo que Cristo está construindo, do qual Jesus Cristo é a cabeça; porque Ele é a cabeça da Sua Igreja, e Ele é o princípio da Criação de Deus, dessa Nova Criação que Cristo está realizando, uma Nova Criação onde está criando seres humanos.

         Quando a pessoa crê em Cristo como nosso Salvador e lava seus pecados no Sangue de Cristo, se opera o novo nascimento na pessoa ao receber o Espírito Santo, e nasce de novo: nasce no Reino de Deus e, consequentemente, tem um corpo teofânico da sexta dimensão. E no Último Dia e para o Último Dia, Cristo prometeu que nos dará um novo corpo físico. Isto Cristo falou em São João, capítulo 6.

         Se uma pessoa morre, não tem por que se preocupar. Se já recebeu o Sacrifício de Cristo, lavou seus pecados no Sangue de Cristo e recebeu Seu Espírito Santo, não tem por que se preocupar, porque vai ao Paraíso viver no corpo teofânico, que é um corpo parecido ao nosso corpo, mas da sexta dimensão. E lá nessa sexta dimensão há árvores, há lagos, há passarinhos, há animais também; é outra dimensão.

         E agora, para os mortos em Cristo vejam o que Cristo disse. Em São João, capítulo 6, versículos 39 ao 40:

         “E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia.

Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho e crê nele tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último Dia.”

         E o Último Dia é o sétimo milênio; porque “um dia diante do Senhor é como mil anos e mil anos como um dia”, diz Segunda de Pedro, capítulo 3, versículo 8, e o Salmo 90, versículo 4, esse Salmo do profeta Moisés.

         E os últimos dias, pois são o quinto milênio, sexto milênio e sétimo milênio. Dos últimos dias diante de Deus, que para os seres humanos são os últimos três milênios, já transcorreram dois dias diante de Deus, que são estes dois milênios que transcorreram de Cristo até aqui, pois se acrescentamos ao calendário os anos de atraso que tem já estamos no sétimo milênio.

         E para o sétimo milênio, que é o Último Dia e Dia do Senhor, e dia grande e terrível do Senhor, Cristo prometeu a ressurreição de todos os crentes n’Ele que partiram.

         E agora, vejam vocês que para o Último Dia há grandes bênçãos para a Igreja de Jesus Cristo que está vivendo nesta Terra; e para os que partiram também há grandes bênçãos, porque Cristo os ressuscitará em um corpo eterno, e nos os que vivemos transformará; e assim nos dará um novo corpo eterno e glorificado, igual ao corpo de nosso amado Senhor Jesus Cristo, e assim seremos a imagem e semelhança de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Agora vimos este mistério dos verdadeiros adoradores do Pai, que adoram ao Pai em espírito e em verdade; porque são os membros da Igreja de Jesus Cristo, nascidos de novo, os quais servem a Deus em espírito e em verdade; e são sacerdotes de Deus, e são da Nova Ordem Sacerdotal: da Ordem de Melquisedeque; e por isso podem oferecer a Deus adoração e sacrifícios a Deus, sacrifícios espirituais, como nos diz São Pedro.

         Agora vimos quem são os verdadeiros adoradores, que adoram o Pai em espírito e em verdade.

         É necessário que o adorador tenha o Sacrifício pelo pecado, o qual com Seu Sangue tira o pecado da pessoa; de outra forma, Deus não aceita a adoração da pessoa.

         Por isso a adoração que Caim ofereceu a Deus, a oferta que Caim ofereceu a Deus, não foi aceita por Deus, porque o que Caim trouxe diante de Deus em nenhum momento representava Cristo e Seu Sacrifício na Cruz do Calvário, pois com frutas não se tira o pecado. Mas com o Sacrifício de Jesus Cristo, do Cordeiro de Deus, foi tirado o pecado; e isso foi representado nos sacrifícios daqueles animalzinhos que o povo hebreu fazia, e faziam também Adão, Abel, Set e todos esses homens de Deus.

         Agora, vimos porque Deus aceitava aqueles sacrifícios, vimos por que eles faziam esses sacrifícios: porque eles tinham a revelação desse Sacrifício que o Messias faria em Sua Vinda, como Cordeiro de Deus, e estava se refletindo naqueles sacrifícios que eles realizavam.

         E agora, vejam vocês como Abel representou o Sacrifício de Cristo na oferta do cordeirinho que trouxe para Deus sacrificado por seu pecado; e Deus viu com agrado a oferta de Abel, porque representava Jesus Cristo e Seu Sacrifício na Cruz do Calvário para tirar o pecado do mundo.

         Agora podemos ver que é necessário ter a revelação de como adorar corretamente a Deus. Primeiro, tirando nossos pecados, tendo para isso o Sacrifício do Cordeiro de Deus, nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         E agora, o que Jesus disse à mulher samaritana: “Mas vem a hora vem, e já chegou, quando os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em espírito e em verdade. Não será nem neste monte nem naquele monte lá do templo em Jerusalém, a não ser em espírito e em verdade”.

         E agora, a Igreja do Senhor Jesus Cristo, composta pelos redimidos com o Sangue de Cristo, lavados com o Sangue de Jesus Cristo e nascidos de novo por meio do Espírito Santo, são os adoradores do Pai que adoram o Pai em espírito e em verdade.

         É um privilégio e grande bênção ser um adorador do Pai em espírito e em verdade, porque isso significa que a pessoa foi redimida com o Sangue de Cristo: o Sangue de Jesus Cristo nos limpou que todo pecado e nos encheu de Seu Espírito, e produziu em nós o novo nascimento.

         E agora, querem saber quem irá no rapto ou translação com Cristo à Ceia das Bodas do Cordeiro? Todos os verdadeiros adoradores do Pai, que adoram o Pai em espírito e em verdade. Todos eles irão com Cristo à Ceia das Bodas do Cordeiro, pois todos eles — se estiverem vivos aqui na Terra — serão transformados; e terão o novo corpo, e serão a imagem e semelhança de nosso Senhor Jesus Cristo.

         E a pergunta para muitos será: “E a que igreja pertencerá os que serão transformados?”. Minha pergunta é: “Quantas Igrejas há?”. Somente há uma Igreja: a Igreja do Senhor Jesus Cristo! Ele é o único que tem Igreja! E está composta pelos redimidos, os que Ele redimiu com Seu Sangue precioso!

         Assim que o importante é ser um redimido com o Sangue de Jesus Cristo. E quanto ao grupo religioso que a pessoa assista; isso não é o que tem importância: o que tem importância é que pertença à Igreja redimida do Senhor Jesus Cristo.

         E devemos manter companheirismo uns com os outros porque somos redimidos com o Sangue de Cristo e pertencemos à mesma Igreja: à Igreja de Jesus Cristo, o Filho de Deus!

         “ADORADORES DO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE”.

         Vimos quem são os adoradores do Pai em espírito e em verdade: os redimidos com o Sangue de Cristo, cheios do Espírito de Cristo, renascidos, nos quais Cristo produziu o novo nascimento.

         Foi para mim um privilégio muito grande estar com vocês, amáveis amigos e irmãos presentes, e os que através desta conferência gravada em vídeo estarão escutando e vendo esta conferencia através da televisão.

         Que as bênçãos de Jesus Cristo nosso Redentor, nosso Salvador, nosso Cordeiro de Deus, que tirou nossos pecados, sejam com vocês e comigo; e em breve todos sejamos transformados e levados a Casa de nosso Pai celestial, ao Céu, à Ceia das Bodas do Cordeiro. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         Sigam em frente adorando a Deus, porque essa é uma parte muito importante da nossa vida cristã, sabendo que somos sacerdotes, para oferecer a Deus adoração e sacrifícios espirituais por meio de Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu. E por meio de Jesus Cristo, nossas ofertas e sacrifícios espirituais chegam à presença de Deus.

         Que Deus os abençoe, que Deus os guarde, e deixo conosco novamente ao reverendo Miguel Bermúdez Marín para continuar e finalizar nossa parte nesta noite.

         Passem todos muito boa noite.

         “ADORADORES DO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE”.

         [Revisão abril 2020]

 

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16