O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS" - 8 de março de 2020

"A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS" - 8 de março de 2020

Reprodução da transcrição disponível em: https://mensajes.carpa.com/mensajes/1998/09/la-dedicacion-del-tabernaculo-de-dios/?lang=pt-br com os demais arquivos disponíveis para download

 

Muito boa noite amáveis amigos presentes e radiouvintes, aqui em Cidade Guatemala, República da Guatemala. É para mim um grande privilégio estar com vocês nesta ocasião, para compartilhar uns momentos ao redor da Palavra de Deus e Seu Programa correspondente a este tempo final.

Para o qual quero ler no livro do Êxodo, capítulo 40, versículo 33 ao 38; quando Moisés levantou o tabernáculo de Deus, o templo que Deus ordenou construir, e o dedicou a Deus, vejam tudo o que aconteceu ali:

“Levantou também o átrio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou a coberta da porta do átrio. Assim, Moisés acabou a obra.

Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo,

De maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem ficava sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo.

Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas.

Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até ao dia em que ela se levantava;

Porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.”

E leiamos no livro aos Hebreus, ou carta de Hebreus de São Paulo, capítulo 3, versículo 5 em adiante, onde diz:

“E, na verdade, Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para testemunho das coisas que se haviam de anunciar;

mas Cristo, como filho, sobre sua casa, a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a gloria da esperança até o fim.”

Aqui temos duas casas: a casa de Deus que Moisés levantou no deserto (o tabernáculo que Moisés levantou no deserto), e agora temos a casa onde Cristo está como Filho. E vamos ver este mistério de “A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS”.

E nosso tema para esta ocasião é: “A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS”.

 

A dedicação, nestes tempos chamam “inauguração”, mas o correto é “dedicação”, porque é dedicado a Deus o templo construído, e é dedicado para serviço a Deus.

Também temos a história do templo que o rei Salomão dedicou a Deus, o qual foi construído conforme a com Deus ordenou; e no capítulo 5, também, de Segunda de Crônicas, encontramos essa dedicação que foi feita a Deus. No capítulo 5 de Segunda de Crônicas, versículo 11 ao 14, diz:

“E sucedeu que, saindo os sacerdotes do santuário (porque todos os sacerdotes, que se acharam, se santificaram, sem guardarem as suas turmas) (ou seja que todos estavam ali),

e quando os levitas, cantores de todos eles, isto é, Asafe, Hemã, Jedutum, seus filhos e seus irmãos, vestidos de linho fino, com címbalos, e com alaúdes e com harpas, estavam em pé para o oriente do altar, e com eles até cento e vinte sacerdotes, que tocavam as trombetas,

e quando eles uniformemente tocavam as trombetas e cantavam para fazerem ouvir uma só voz, bendizendo e louvando ao SENHOR, e quando levantavam eles a voz com trombetas, e címbalos, e outros instrumentos músicos, para bendizerem ao SENHOR, porque era bom, porque a sua benignidade durava para sempre, então, a casa se encheu de uma nuvem, a saber, a Casa do SENHOR;

e não podiam os sacerdotes ter-se em pé, para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do SENHOR encheu a Casa de Deus”.

Aqui temos o templo que Moisés construiu também.

Agora, temos três pessoas muito importantes que construiriam templo, um templo para Deus:

Moisés, o qual dedicou esse templo, o tabernáculo a Deus; e a nuvem da Coluna de Fogo — que tinha falado ao profeta Moisés e tinha libertado o povo hebreu e os tinha guiado pelo deserto — agora entrou nesse templo que Moisés dedicou, e estava nesse templo e sobre esse templo; e a glória de Deus era vista pelo povo hebreu, ao estar sobre o tabernáculo, sobre o templo.

Mas dentro do templo, no lugar santíssimo, a glória de Deus estava sobre o propiciatório; e somente Moisés podia vê-la e Aarão uma vez ao ano, quando entrava no lugar santíssimo; e via a glória de Deus na luz da Shekinah sobre o propiciatório, no meio dos dois querubins de ouro, que estavam ali, sobre o propiciatório, no lugar santíssimo.

E agora, vejam a glória de Deus manifestada nesse templo, onde se ministrava diante de Deus a favor do povo hebreu.

Podemos ver, nessa manifestação desse templo, que esse templo que estava ali na Terra era representação do Templo de Deus do Céu; e por isso é que Deus escutava, nesse templo, desde Seu Templo e desde Seu Trono lá no Céu.

Nesse templo se fazia também o sacrifício para a reconciliação do povo hebreu com Deus.

Agora podemos ver a importância desse Templo no meio do povo hebreu: é o templo onde Deus estava manifestado e escutava, e recebia o povo hebreu e escutava suas orações.

É tão importante esse Templo para o povo hebreu no tempo de Moisés (e depois, mais adiante) que, mesmo quando Salomão construiu o tabernáculo, a arca do pacto que estava no templo de Moisés, a colocou no lugar santíssimo do templo que Salomão construiu, e também os utensílios ou coisas que correspondiam a esse lugar santíssimo.

Agora, vejam como também o segundo homem que correspondeu construir um templo, o qual foi o rei Salomão…

O rei e salmista Davi sentiu em sua alma, no seu coração, o desejo de construir um templo para Deus, e esse desejo estava correto; mas Deus disse: “Por quanto tu derramastes muito sangue (nas guerras), tu não me construirás esse templo; mas teu filho Salomão será quem me construirá esse templo” [1ª Crônicas 22:7-10; 28:2-7; 2ª Crônicas 6:7-9; 1ª Reis 8:17-19]. E o rei Davi armazenou muitos materiais para a construção desse templo, os quais seriam usados por seu filho Salomão na construção desse templo; e ainda os planos desse templo, o rei Davi entregou a Salomão. E o rei Salomão construiu esse templo.

Recordem; Salomão é o rei ou um rei de paz, tipo e figura de nosso amado Senhor Jesus Cristo, que é o Príncipe da Paz. Davi também é tipo e figura de Cristo como rei.

A época do rei Davi e do rei Salomão é chamada a época ou era de ouro do povo hebreu; porque estes dois reis… O rei Davi foi escolhido por Deus, e disse Deus sobre o rei Davi que era um homem conforme ao Seu coração [1ª Samuel 13:14; Atos 13:22]; e um rei que tem seu coração conforme ao coração de Deus, é um bom rei.

Agora, o rei Davi, vejam, tinha seu coração posto em Deus; por isso as coisas do coração de Deus eram comunicadas ao coração do rei Davi. E Davi sentiu o desejo de construir um templo para Deus, porque esse era o desejo do coração de Deus. E todos os preparativos para a construção desse templo os fez o rei Davi; mas seu filho seria quem construiria o templo para Deus.

Agora, um templo para Deus é muito importante porque esse é o lugar de morada para Deus; aí Deus habita, nesse templo, no lugar santíssimo, sobre o propiciatório, que está sobre a arca do pacto. O propiciatório é a tampa da arca do pacto, onde estão os dois querubins de ouro (aí, no propiciatório); e aí é onde está a presença de Deus, na luz da Shekinah, manifestada.

Agora, aí também está o Nome de Deus; porque o Nome de Deus; vejam vocês, diz em Êxodo, capítulo 23, versículo 20 em adiante, que está no Anjo. Capítulo 23, versículo 20 em diante, de Êxodo, diz: “Eis aqui…” No capítulo 23 de Êxodo, versículo 20 em diante, diz:

Eis que eu envio meu Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.

Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebelião; porque o meu nome está nele.”

Onde está o Nome Eterno de Deus? Em Seu Anjo.

E este é o Anjo que apareceu ao profeta Moisés, naquela chama de fogo, e disse [Êxodo 3:6]: “Eu sou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”. Era nada menos que o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, Criador dos Céus e da Terra, manifestado nessa luz, chamada a Coluna de Fogo ou Pilar de Fogo ou a Shekinah; e guio o povo hebreu, depois que os libertou, e os levou a terra prometida.

E agora, Deus na Coluna de Fogo ia morar dentro de um templo, ia estar sobre o propiciatório; e por isso esse templo é tão importante; e aí também ia estar o Nome Eterno de Deus.

Quando Moisés perguntou ao Anjo do Senhor, ao Anjo do Pacto (que é o mesmo Deus nesse corpo teofânico, nessa teofania), quando Moisés perguntou qual era Seu Nome, vejam vocês, o Anjo do Senhor disse. Agora, no capítulo 3 de Êxodo, versículos 13 ao 14, diz:

“Então, disse Moisés a Deus: Eis que quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.”

Aqui, o Nome que Deus dá a Moisés como Seu Nome, nos originais diz que é YHWH; esse é o Nome Eterno de Deus dado a Moisés.

Ainda a pronúncia desse Nome, dessas quatro consonantes (chamado o tetragrama), Moisés escutou a pronuncia dessas quatro letras, mas ninguém mais estava ali com Moisés para escutar essa pronuncia; assim que Moisés era o único que sabia a pronuncia desse Nome.

Também em outra ocasião Moisés escutou a pronuncia desse Nome, quando Deus no capítulo 33 de Êxodo passou diante de Moisés e esteve ali proclamando o Nome do Senhor. No capítulo 33 de Êxodo, no versículo 18, diz, em diante, diz:

“Ele então disse (Moisés disse): Rogo-te que me mostre a tua glória.

Porém ele disse (Deus): Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti, e apregoarei o nome do SENHOR diante de ti (assim que Moisés ia escutar o Nome de Deus sendo proclamado pelo próprio Deus); e terei misericórdia de quem eu terei misericórdia, e me compadecerei de quem me compadecer.

Disse mais: Não poderá ver minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.

E disse mais o SENHOR: Eis aqui um lugar junto a mim; ali te porás sobre a penha;

e acontecerá que, quando a minha glória passar, te porei numa fenda da penha, e te cobrirei com minha mão, até que eu haja passado.

E, havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas, mas a minha face não se verá (disse Deus a Moisés).

E em seguida no capítulo 34, versículo 1 em diante, diz:

“Então, disse o SENHOR a Moisés: Lavra-te duas tábuas de pedra, como as primeiras…”

Porque Moisés tinha quebrado as primeiras tábuas que Deus tinha dado com Sua Lei, por quanto — quando Moisés desceu do monte Sinai — encontrou que o povo tinha se afastado de Deus e tinha se voltado à idolatria; e tinha um bezerro de ouro, que tinha sido fundido; e as pessoas estavam em festa, em uma festa de idolatria, e estavam adorando um bezerro de ouro; um bezerro de ouro da religião lá do Egito, de onde tinham visto que tinha na sua religião um bezerro de ouro [Êxodo 32:1-6].

E houve entre os hebreus uns que se levantaram como líderes; enquanto Moisés estava no monte recebendo as tábuas da Lei, por 40 dias e 40 noites sem comer nem beber, se levantaram alguns que tomaram o povo, e o incitaram para que voltasse para o Egito e para fazer um novo deus ou novos deuses e se afastar assim do caminho de Deus.

Essas pessoas que fizeram isso contra o povo hebreu; fizeram contra o próprio Deus. E pediram a Aarão que lhes fizesse esse deus, o qual foi algo mal de parte de Aarão, lhes construir um bezerro de ouro a esses que se rebelaram contra Deus e Seu Programa.

Agora podemos ver que enquanto Moisés estava no monte recebendo as tábuas da Lei, o povo se descarrilou. Quando Moisés desceu com as tábuas da Lei, o povo estava em idolatria.

E Moisés quebrou as tábuas da Lei, e tomou o bezerro de ouro e o moeu, e o lançou no ribeiro; e o povo hebreu, tomando a água do rio ou do ribeiro, estava tomando esse bezerro de ouro moído [Êxodo 32:15-20].

Em seguida Moisés teve que subir de novo ao monte Sinai e ele mesmo preparar duas tábuas; porque foi ele quem quebrou as duas tábuas de pedra que Deus tinha dado com a Lei Divina.

Moisés subiu de novo, conforme Deus ordenou, e… (isso foi no terceiro dia: subiu); e o povo ia estar vendo Moisés subir no monte de novo, para estar lá 40 dias mais e 40 noites sem comer nem beber.

Agora vejam que um profeta dispensacional passa por etapas difíceis por amor ao povo; mas por causa do povo também, algumas vezes pode se aborrecer como Moisés se aborreceu; ou a ira de Deus pode se manifestar nesse homem e trazer juízos também sobre o povo. Mas esse profeta sempre vai tentar defender o povo diante de Deus, ou seja: de impedir que Deus destrua o povo; e estará disposto que Deus destrua a ele e que deixe o povo continuar com vida. Isso foi o que Moisés fez em uma ocasião [Êxodo 32:30-32].

E isso foi o que Cristo fez também, quando chegou o tempo para a destruição da raça humana por causa do pecado; pois era um dia onde Deus destruiria a raça humana, como aconteceu no tempo de Noé; mas Cristo tomou nossos pecados, se tornou mortal, e o juízo divino que tinha que cair sobre a raça humana caiu sobre nosso amado Senhor Jesus Cristo, a tal grau que teve que ir ao inferno também.

Mas lá no inferno pregou às almas em prisão, espíritos em prisão, que tinham sido desobedientes no tempo de Noé, nos diz São Pedro em Segunda de Pedro, nos fala São Pedro estas coisas em sua carta… Corrijo: Primeira de Pedro, capítulo 3, versículo 18 ao 22. Aí nos fala que Cristo foi e pregou às almas em prisão, que tinham sido desobedientes no tempo de Noé, quando a paciência de Deus esperava.

Por que a paciência de Deus esperava? Esperava porque Noé estava construindo a arca, onde iam se salvar Noé e sua família. Portanto o juízo divino não podia cair sobre a raça humana até que Noé terminasse a construção dessa arca, onde entrariam todos e se salvariam Noé e sua família; todos os crentes na Mensagem de Noé, todos os crentes no profeta Noé.

E agora, vejam vocês como Cristo esteve construindo Sua Igreja; e Deus não pode destruir a raça humana, não pode trazer o juízo divino da grande tribulação, até que esteja construída essa Igreja, até que esteja construído esse Templo espiritual.

Agora, veremos por que: porque se Deus traz o juízo divino sobre a raça humana sem estar construído esse Templo espiritual, que é a Igreja de Jesus Cristo, até os escolhidos de Deus seriam destruídos pelo juízo divino.

E os escolhidos de Deus, para o Último Dia, os que já partiram; os que morreram fisicamente; serão ressuscitados em corpos eternos, e nós os que vivemos seremos transformados; e iremos com Cristo à Ceia das Bodas do Cordeiro, à Casa de nosso Pai celestial; e estaremos com Ele por três anos e meio, enquanto a grande tribulação — onde o juízo divino cairá sobre a raça humana — estará se cumprindo aqui na Terra.

Mas os escolhidos não passarão pela grande tribulação, porque o motivo para passar pela grande tribulação é o pecado; e os escolhidos de Deus lavaram seus pecados no Sangue de Cristo, portanto, estão limpos pelo Sangue de Cristo, e o juízo divino não pode cair sobre os escolhidos de Deus; têm que ser então levados a Casa de nosso Pai celestial, ao Céu.

Agora podemos ver que há três homens muito importantes na história bíblica que construiriam templos.

O primeiro foi Moisés, e vejam como construiu esse grande templo, esse tabernáculo para Deus; e quando o terminou, Deus entrou nesse templo, o Espírito Santo entrou na forma da Coluna de Fogo, quando foi terminado e dedicado a Deus esse templo.

Em seguida temos o rei Salomão, o qual construiu o templo para Deus — lá em Jerusalém — e em seguida o dedicou a Deus, e Deus entrou em Espírito Santo na Coluna de Fogo e habitou nesse templo. E os sacerdotes não podiam ministrar por causa da presença de Deus nesse templo, assim como aconteceu no tempo de Moisés [Êxodo 40:34-35].

E agora, o outro que esteve construindo um templo…; porque Cristo disse que aquele templo que estava em Jerusalém seria destruído, em São Lucas, capítulo 19. Cristo fala sobre a destruição do templo em Jerusalém e diz o motivo pelo qual será destruído. Diz capítulo 19, versículo 41 ao 44, de São Lucas:

“E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, (isso foi no dia de Sua entrada triunfal em Jerusalém)

dizendo: Ah! Se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas, agora, isso está encoberto aos teus olhos.

Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todas as bandas,

e te derribarão, a ti e a teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação.”

Jerusalém seria destruída.

Disto também Cristo falou em São Mateus, capítulo 24, quando Seus discípulos (no capítulo 24, versículo 1 em adiante) se aproximam de Jesus e mostram o templo e os edifícios do templo; diz:

“E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.

Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.

E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas (ou seja, a destruição do templo) e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo (ou seja: que sinal haverá da Sua Vinda e que sinal haverá do fim do mundo)?”

Quanto à destruição do templo Ele respondeu neste mesmo capítulo 24 — que é um capítulo profético, de eventos que seriam cumpridos —, disse que quando vissem Jerusalém cercada de exércitos tinha chegado o tempo de sua destruição; e quem estivesse em Jerusalém, que saísse de Jerusalém; e quem estivesse fora de Jerusalém, não retornasse a Jerusalém; porque tinha chegado o tempo para sua destruição [São Mateus 24:15-18, São Marcos 13:14-16].

E Jerusalém foi rodeada por quantos anos Miguel? Por três anos foi rodeada pelo general romano Tito com seu exército, e deu tempo para que os que quisessem sair de Jerusalém saíssem; e assim os discípulos de Jesus Cristo, os crentes em Jesus Cristo, a Igreja do Senhor Jesus Cristo que estava em Jerusalém habitando, pudessem sair, porque era concedida a saída de todos os que quisessem sair.

E os crentes em Cristo recordariam a profecia do sinal da destruição para Jerusalém, que Jerusalém seria cercada de exércitos. E esse sinal os crentes em Cristo, a Igreja do Senhor Jesus Cristo no meio do povo hebreu lá, viram esse sinal e saíram de Jerusalém (foram para outras cidades); e quando o general romano Tito entrou em Jerusalém e começou a destruir Jerusalém, os discípulos de Jesus Cristo já não estavam dentro da cidade de Jerusalém.

A menos que houvesse algum discípulo, algum membro da Igreja de Jesus Cristo que tivesse se apegado aos bens materiais (como fez a esposa do Ló) e se tivesse ficado ali dentro. Teria sido um tonto! Porque Jerusalém seria destruída; e se esse ficasse ali, merecia ser o primeiro a receber o juízo divino, porque sabia que o sinal para a destruição de Jerusalém estava sendo cumprido ali.

Agora, vejam vocês, quando Deus diz que vai destruir um território, e não haverá lugar para evitar essa destruição, pois o melhor é a pessoa estar fora do lugar onde Deus vai trazer essa destruição.

Porque o avisado faz o que? Vê o mal, e o que faz? Escapa, foge. E quem não é avisado (quem é o ignorante, o fátuo, o néscio, o tonto), pois não pode ver, não pode compreender, e fica no lugar e recebe o juízo; ou seja: esse é o ignorante.

Agora podemos ver que o sinal da destruição de Jerusalém se cumpriu.

Muitos dos judeus inimigos de Cristo, quando Cristo falava de Seu próprio corpo…; porque o corpo humano é um templo de Deus, e Cristo é o templo humano de Deus; estando ali presente no meio do povo hebreu, era o templo humano de Deus, onde Deus estava vivendo; e disse [São João 2:19]: “Destruam este templo, e em três dias eu o levantarei.”

E agora, muitos pensaram…, o tomaram literalmente e pensaram que se referia ao templo literal, e depois acusavam Jesus que tinha dito que destruíssem o templo, que tinha dito às pessoas que destruíssem o templo; e também alguns diziam que Ele dizia que iria destruir o templo e em três dias o iria levantar. E eles diziam (em quantos anos? em 47 anos?): “Em 47 anos foi construído este templo, e agora tu dizes que o destruam e em três dias tu o vais levantar.”

Mas vejam; Cristo se referia a Seu corpo como Templo de Deus, o qual iria ser destruído, iria ser crucificado ali em Jerusalém, e ao terceiro dia, Cristo o iria levantar.

Mas agora, o templo literal de Israel, que foi destruído pelo general romano Tito, vejam vocês, era o templo onde o povo hebreu ia para adorar a Deus; e o templo quando foi destruído, o povo hebreu ficou sem templo, portanto ficou sem sacrifícios, ficou sem o sacrifício da expiação; e por isso o juízo divino esteve caindo sobre o povo hebreu, mesmo que eles não o compreendam assim.

E tiveram que fugir a outras nações, e estiveram sendo perseguidos em diferentes nações através destes dois mil anos que transcorreram. Hitler por pouco extermina o povo hebreu.

Mas por quanto Deus tem uma promessa para o povo hebreu para o Último Dia de uma restauração, de uma reconciliação, do povo hebreu com Deus: Deus por amor a Abraão, a Isaque e a Jacó, e aos patriarcas, Ele manteve vivos a milhares de hebreus, ou milhões, até este tempo final.

E os que perseguiram o povo hebreu buscaram tremendo problema com Deus; porque quem os amaldiçoar será maldito, mas o que os abençoe será bendito [Gênesis 12:3]. Até eles passando pelo juízo divino, os que abençoaram ao povo hebreu serão abençoados e os que o amaldiçoaram serão malditos por Deus.

Agora, o povo hebreu, por não ter um templo, não pôde ter o sacrifício da expiação, e por isso o povo hebreu tem estado nessa situação onde os juízos divinos estiveram caindo sobre o povo hebreu; mas Deus para o terceiro dia levantará um templo, um novo templo, e o povo hebreu será reconciliado com Deus. Necessita um novo templo para ser reconciliado com Deus.

E esse novo templo é o Messias quem o constrói; e esse novo templo Cristo o esteve construindo durante todos estes dois mil anos que transcorreram. Se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem, pois já transcorreram dois mil anos de Cristo para cá; e já estamos no terceiro milênio de Cristo até aqui, que é o sétimo milênio de Adão até este tempo no qual vivemos.

E agora, sendo que de Cristo até aqui, já transcorreram dois mil anos e estamos no terceiro milênio de Cristo até aqui, e diante de Deus um milênio nosso, um dia milenial nosso, é para Deus somente um dia (por quanto “um dia diante do Senhor é como mil anos e mil anos como um dia”, diz Segunda de Pedro, capítulo 3, versículo 8, e o profeta Moisés no Salmo 90 e versículo 4), encontramos que no primeiro dia dos três últimos dias diante de Deus (que foi o tempo onde Cristo esteve presente na Terra, e onde também foi crucificado, ressuscitou e subiu ao Céu), levantou o Templo que foi destruído na Cruz do Calvário, o levantou ressuscitado; o restaurou ressuscitado e glorificado.

E agora, para o terceiro dia Milenial, Cristo levantará um templo em Israel; mas não é um templo de pedras nem de madeira terrena, mas que é um templo que Cristo esteve construindo com seres humanos; pois diz a Escritura, conforme a como nos fala São Pedro e também o profeta Isaías, que Jesus Cristo é a Pedra de Ângulo, é uma Pedra viva, a qual os edificadores rejeitaram; mas nos diz que é preciosa para Deus (essa Pedra); e também ele fala de todos nós e diz que somos pedras vivas também. Primeira de Pedro, capítulo 2, versículo 4 em diante, diz:

“E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa,

vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual (ou seja, uma casa espiritual) e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.

Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.

E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina;

e uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”

Aqui podemos ver a Obra de Cristo na construção desse novo templo, com pedras vivas, que são seres humanos; e esse novo templo é a Igreja do Senhor Jesus Cristo.

São Paulo diz em sua carta aos Hebreus (a Escritura que li no princípio), na sua carta aos Hebreus, capítulo 3, versículo 5 em adiante:

“E, na verdade, Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para testemunho das coisas que se haviam de anunciar;

mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós,…”

Qual é a Casa de Deus? É a Igreja do Senhor Jesus Cristo, composta por seres humanos que receberam Cristo como seu Salvador, lavaram seus pecados no Sangue de Cristo e receberam Seu Espírito Santo e, consequentemente, nasceram de novo: nasceram na Casa de Deus, na Família de Deus.

E agora, esta Casa de Deus é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, onde Cristo é a cabeça.

Ele está colocado sobre Sua Casa, e Ele é o Sumo Sacerdote. Ele é Sumo Sacerdote segundo a Ordem de Melquisedeque, porque Ele é aquele Melquisedeque que apareceu a Abraão e deu pão e vinho, o qual também é Rei de Salem e Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu.

Por isso é que Jesus Cristo, quando morreu e ressuscitou, subiu ao Céu e foi ao Lugar Santíssimo do Templo de Deus no Céu e se sentou à destra de Deus no Céu; entrou no Lugar Santíssimo do Templo de Deus no Céu. E tem estado como Sumo Sacerdote com Seu próprio Sangue fazendo intercessão por todos os que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro; como o sumo sacerdote Aarão e demais sumos sacerdotes faziam a cada ano, no dia 10 do sétimo mês, que era o dia da expiação, onde entravam com o sangue da expiação do bode e o levava até o lugar santíssimo e aspergia com seu dedo sete vezes sobre a parte oriental do propiciatório.

E o sumo sacerdote durante esse dia realizava todos os trabalhos correspondentes ao dia da expiação, para a reconciliação do povo hebreu com Deus; ou seja: a reconciliação do Israel terreno, que é a semente de Abraão segundo a carne, a semente de Abraão terrena.

E agora, temos o Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, os que creriam em Jesus Cristo como seu Salvador e lavariam seus pecados no Sangue de Cristo; e assim nasceriam de novo, ao receberem o Espírito Santo, e se tornariam o Israel celestial.

Assim como há um Israel terreno, há um Israel celestial; e o Israel celestial foi refletido no Israel terreno.

Por isso é que no templo terreno o sumo sacerdote entrava para realizar a obra de intercessão; com o sangue do bode, entrava no lugar santíssimo, diante da presença de Deus.

E por isso é que para a intercessão, para a reconciliação do Israel celestial, o Sumo Sacerdote Jesus Cristo entrou no Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu; e esteve no Templo que está no Céu, no Lugar Santíssimo, fazendo intercessão ao colocar Seu Sangue sobre o Propiciatório, sobre o Trono de Deus.

E agora, já leva uns dois mil anos aproximadamente, e não terminará essa Obra até que tenha feito intercessão até pelo último dos que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro.

E, quando terminar esse trabalho, então sairá do Templo de Deus lá no Céu, do Lugar Santíssimo, e reclamará a todos os que Ele redimiu com Seu Sangue precioso, e ressuscitará aos mortos em Cristo e transformará a todos os que estamos vivos no Corpo Místico de Cristo, ou seja: nesse Templo espiritual.

Vejam; São Paulo também em sua carta aos Efésios fala deste Templo, e no capítulo 2 de Efésios, versículo 19 em diante, diz:

“Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e membros da família de Deus;

edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;

no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor,

no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito.”

Aqui temos da parte do apóstolo São Paulo a construção deste Templo espiritual, que é a Igreja de Jesus Cristo.

Diz que estamos crescendo para ser um templo santo no Senhor, nós como indivíduos e como parte da Igreja de Jesus Cristo, que é o Templo espiritual como Igreja. E nós como indivíduos somos um templo também para Deus; porque assim como Ele mora na Sua Igreja, Ele mora em cada um dos membros de Sua Igreja, dos eleitos de Deus.

Agora podemos ver quem é quem construiria o terceiro templo, o templo onde Deus habitará em toda Sua plenitude; porque este é um templo para morada de Deus em Espírito Santo.

Quando Moisés dedicou o templo a Deus, Deus entrou na Coluna de Fogo nesse templo e morou nesse templo. Quando Salomão dedicou esse Templo a Deus, também aconteceu da mesma forma.

E para o Último Dia, no Templo espiritual de Cristo, que é Sua Igreja, quando estiver concluída sua construção (e isto será quando entrar até o último dos escolhidos para fazer parte desse Templo, da Igreja de Jesus Cristo), então Cristo dedicará Seu Templo espiritual, Sua Igreja, para morada de Deus em toda Sua plenitude; e os mortos em Cristo serão ressuscitados em corpos eternos e nós os que vivemos seremos transformados; e isso será a manifestação gloriosa dos filhos de Deus, da qual falou o apóstolo São Pedro e São Paulo.

São Paulo falou em Romanos, capítulo 8, versículo 19 em diante, onde diz:

“Porque a ardente expectação da criação espera a manifestação dos filhos de Deus.

Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou,

na esperança de que também a mesma criação será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.

E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.”

A adoção é a redenção de nosso corpo, que é a transformação de nós os que vivemos e a ressurreição dos mortos em Cristo em corpos eternos, para assim todos terem o corpo eterno e glorificado igual ao corpo de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

Por isso é que para o tempo final, na Igreja do Senhor Jesus Cristo, na etapa final da Igreja, que é a Era da Pedra Angular, temos a promessa da Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final soando, para — em seguida — que com esse som da Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final sejam chamados e juntados todos os escolhidos de Deus, como disse Jesus também no capítulo 24 e versículo 31 de São Mateus:

“E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos…”

É para este tempo final onde os escolhidos do Último Dia serão chamados e juntados no Templo espiritual de Jesus Cristo (que é a Sua Igreja) na Era da Pedra Angular, assim como foram juntados os escolhidos de cada uma das etapas ou eras da Igreja através destes tempos passados, estes dois mil anos que transcorreram.

Para este tempo final, com a Mensagem da Grande Voz de Trombeta, que é a Voz de Cristo falando por meio de Seu Anjo Mensageiro no Último Dia, assim como falou por meio de Seus sete anjos mensageiros nas sete etapas ou eras da Igreja gentia, para este tempo final...

Vejam vocês, assim como falou em cada era por meio de cada mensageiro, Jesus Cristo em Espírito Santo manifestado em cada etapa…

Falou por São Paulo e São Paulo dizia [Gálatas 2:20]: “Já não vivo eu, Cristo vive em mim”; e por meio de São Paulo, Cristo esteve falando e esteve chamando e juntando todos os Seus escolhidos, como Ele tinha prometido. E assim Ele esteve fazendo de etapa em etapa por meio de cada mensageiro que Ele enviou.

E assim Cristo esteve cumprindo Sua promessa de São João, capítulo 10, versículo 14 ao 16, onde Ele disse:

“Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.

Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas.

Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; (ou seja: que não são hebreus); também me convém agregar estas, e elas ouvirão minha voz; e haverá um rebanho, e um pastor.

Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida, para tornar a tomá-la.

Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai.”

Agora vocês vejam como Cristo nos fala que tem outras ovelhas; além das ovelhas hebraicas, tem outras ovelhas que são gentios, os quais Ele disse que deve trazer, deve chamar, e deve colocá-los onde? Em Seu Rebanho.

“… e haverá um rebanho, e um pastor.”

Esse Rebanho é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, que também é o Templo espiritual de Jesus Cristo.

E Ele por meio de cada mensageiro que Ele enviou, esteve chamando e esteve juntando essas ovelhas no Seu Aprisco, no Seu Rebanho, que é Sua Igreja. E agora, para o Último Dia, na etapa da Era da Pedra Angular, chama as últimas ovelhas, por meio da manifestação de Jesus Cristo em Espírito Santo através do Seu Anjo Mensageiro, nos revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

Cristo, com essa Voz de Trombeta ou Grande Voz de Trombeta, nos fala por meio do Seu Anjo Mensageiro no Último Dia e nos mostra todas estas coisas que devem acontecer; ou seja: nos revela todas as coisas que hão de acontecer, todas estas profecias que correspondem a este tempo final; abre-nos todas essas profecias e nos mostra o que tem que acontecer neste tempo final. E com essa Mensagem são chamados e juntados todos os escolhidos de Deus.

Abre-nos as profecias, as Escrituras, relacionadas à Segunda Vinda de Cristo, a Vinda do Filho do Homem com Seus Anjos, e nos mostra esse mistério da Segunda Vinda de Cristo; porque a Mensagem da Trombeta Final ou Grande Voz de Trombeta, que é a Trombeta do Evangelho do Reino, gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo; como o Evangelho da Graça (para a Dispensação da Graça) gira ao redor da Primeira Vinda de Cristo como o Cordeiro de Deus tirando o pecado do mundo, de todos os escolhidos de Deus, onde? Lá na Cruz do Calvário.

E agora, a Segunda Vinda de Cristo é como o Leão da tribo de Judá; e a Mensagem do Evangelho do Reino é a que contém a revelação da Segunda Vinda de Cristo, e essa é a Mensagem da Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final prometida para ser escutada no Último Dia, e essa é a Mensagem de Jesus Cristo por meio do Seu Anjo Mensageiro nos revelando todas estas coisas que correspondem a este tempo final.

Por isso é que a Trombeta Final ou Grande Voz de Trombeta soa no Último Dia, e chama e junta todos os escolhidos de Deus, e depois é que virá a ressurreição dos mortos em Cristo e a transformação de nós os que vivemos. O Corpo Místico de Cristo tem que estar completo, para poder ocorrer a ressurreição dos mortos em Cristo e a transformação de nós os que vivemos.

Por isso levamos a Mensagem para todos os lugares, para que chegue até os ouvidos e a alma de todos os que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro; porque essa é a Mensagem para eles: é a Voz de Cristo chamando-os e juntando-os no Último Dia, na Era da Pedra Angular e Dispensação do Reino.

“Eis aqui, digo-lhes um mistério (diz São Paulo em Primeira aos Coríntios, capítulo 15, versículo 51 em adiante): Na verdade, nem todos dormiremos (ou seja: nem todos vamos morrer); mas todos seremos transformados…”

Ou seja: que vem uma mudança para nossos corpos, uma transformação, onde estes corpos mortais ao serem transformados, serão mudados por um corpo imortal; teremos um corpo imortal, incorruptível e glorificado, igual ao corpo de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

“… mas todos seremos transformados,

em um momento, em um abrir e fechar de olhos, a final trombeta…”

Quando? A Final Trombeta, em um abrir e fechar de olhos.

Olhos representam profetas, videntes, e tivemos um abrir e fechar de olhos. A cada vez que veio um profeta mensageiro, um mensageiro para cada era, veio o que? Um abrir de olhos: apareceu um profeta, um fechar de olhos: partiu esse profeta; e ficou essa era sem visão profética, porque esse olho se fechou, terminou o ministério desse profeta, desse mensageiro.

Mas vejam vocês, os sete olhos do Senhor, que são os sete anjos mensageiros ungidos com o Espírito Santo, vieram: um abrir de olhos e um fechar de olhos, um abrir de olhos e um fechar de olhos, até que os sete olhos do Senhor foram abertos e foram fechados.

Mas agora, temos a etapa da Era da Pedra Angular para a Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final, onde são chamados e juntados todos os escolhidos de Deus; e onde os olhos do Filho do Homem como chama de fogo são abertos, e são os ministérios dos Dois Ungidos, os ministérios de Moisés e Elias; porque olhos representa videntes.

E para o Último Dia, depois dos ministérios dos sete anjos mensageiros, dos sete olhos do Senhor que percorrem toda a Terra, vêm os Dois Olhos do Filho do Homem como chama de fogo. São videntes, Moisés e Elias, as Duas Oliveiras, de Apocalipse, capítulo 11, versículo 3 em adiante, e Zacarias, capítulo 4, que são as Duas Oliveiras, os Dois Ungidos, que estão diante da presença de Deus.

Esses também são os Anjos do Filho do Homem, com os quais Ele vem; “Porque o Filho do Homem virá com Seus Anjos, e então recompensará a cada um conforme a suas obras” [São Mateus 16:27].

E são também os Anjos do Filho do Homem enviados com a Grande Voz de Trombeta para chamar e juntar todos os escolhidos de Deus; os escolhidos de Deus dentre os gentios primeiramente para completar o número da Igreja de Jesus Cristo, e depois os escolhidos de Deus do meio do povo hebreu, que são 144.000 hebreus.

Agora podemos ver que a Trombeta Final ou Grande Voz de Trombeta soa no Último Dia; e depois que tiver soado e chamado e juntado os escolhidos de Deus, revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer, em seguida Jesus Cristo terminará Seu trabalho no Céu, no Lugar Santíssimo, no Templo de Deus, terminará Seu trabalho lá como Sumo Sacerdote; como terminava o sumo sacerdote, no templo que Moisés construiu e no templo que Salomão construiu, quando terminava nesse dia seus trabalhos de intercessão: já saía para fora, mudava suas roupas, sua vestimenta, e pronunciava o Nome Eterno de Deus, e o povo hebreu ficava reconciliado com Deus.

Assim será para este tempo final, onde Cristo terminará Seu trabalho no Céu…

Já fomos reconciliados espiritualmente, em nossa alma e nosso espírito, mas fisicamente necessitamos ter um corpo eterno e glorioso, onde fisicamente também estejamos reconciliados; onde não haja enfermidade, nem haja morte, nem haja velhice, nem haja problemas similares a estes que temos neste corpo terreno.

Isso será para este tempo final, onde a Trombeta de Deus está prometida para soar, a Trombeta Final, e chamará e juntará todos os escolhidos de Deus que estarão vivendo na Terra neste tempo final. Isso é para a Era da Pedra Angular, para a Era do Lugar Santíssimo do Templo de Jesus Cristo, que é a Igreja de Jesus Cristo, o Novo Templo que Deus terá no Reino Milenial.

A esse Templo é ao qual se aproximarão durante o Reino Milenial para obter as bênçãos de Deus; e desde esse Templo é que Deus falará (porque estará manifestado nesse Templo), falará desde esse Templo para os seres humanos; porque esse será o Templo que estará representando o Templo de Deus que está no Céu e, consequentemente, Cristo estará aí nesse Templo.

E, sendo que esse Templo é a Igreja de Jesus Cristo, todos estaremos ali em Jerusalém reinando com Cristo. Ele estará como Rei sobre o Trono de Davi, e com Ele se sentará no Seu Trono o Vencedor que viverá no Último Dia, o qual também tem a promessa de Cristo de Apocalipse, capítulo 3, versículo 12, onde diz:

“A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá (ou seja: nunca mais sairá); e escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.”

Há pessoas que não sabem que Jesus Cristo tem um nome novo. Esse é o Nome Eterno de Deus.

E onde estava esse Nome no templo que Moisés construiu e o templo que Salomão construiu? Estava no lugar santíssimo, sobre a arca do pacto; porque ali estava o Anjo do Senhor, o Anjo do Pacto, sobre a arca do pacto, e Ele é quem tem o Nome Eterno de Deus. Por isso Deus disse:

“Eis que eu envio um Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.

Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz; não lhe provoques à ira; porque ele não perdoará a vossa rebelião, porque meu nome está nele.”

Onde estiver o Anjo de Pacto, estará o Nome Eterno de Deus.

E estando o Anjo do Pacto no Templo de Deus, no Seu Templo, no Lugar Santíssimo sobre o Arca do Pacto, aí está o Nome Eterno de Deus.

E agora, outro lugar onde estava o Nome de Deus, sabem qual é?

Ele, esta promessa de que escreverá Seu Nome Novo e Nome Eterno de Deus sobre o Vencedor, é uma promessa que vem sendo refletida desde o Antigo Testamento; vem em uma linha de pensamento divino do Antigo Testamento.

Agora, que homem tinha escrito sobre ele o Nome Eterno de Deus? O sumo sacerdote. Onde o tinha escrito? Na testa, em uma lâmina ou uma lâmina de ouro que dizia: “SANTIDADE AO SENHOR [JEOVÁ]”; e “Senhor [Jeová]” aí; são as quatro consonantes “YHWH”.

Vejam onde estava — em um homem escrito — o Nome Eterno de Deus; e vejam; esse era o único que podia entrar no lugar santíssimo, dos sacerdotes. Os demais sacerdotes não podiam entrar no lugar santíssimo, somente o sumo sacerdote.

E agora Cristo, o Sumo Sacerdote, vejam vocês, é quem tem o Nome Eterno de Deus; porque Ele é o Anjo do Pacto, onde está o Nome Eterno de Deus.

E para o Último Dia, conforme Sua promessa; vem a Pedrinha branca com um nome novo escrito.

A mesma Pedra que o rei Nabucodonosor viu; e também o profeta Daniel, quando interpretou o sonho do rei Nabucodonosor, disse que essa Pedra não cortada por mãos, viria (essa Pedra não cortada por mãos, cortada do Monte de Deus, do Monte) e feriria a imagem nos pés de ferro e de barro.

Os pés de ferro e de barro é o reino do anticristo, o qual para o tempo final estará manifestado aqui na Terra; e no tempo da Vinda dessa Pedra, o império do anticristo em algum momento receberá o juízo divino; as pragas cairão sobre o império da besta, do anticristo, como caíram sobre o império do faraó lá no Egito quando Deus foi libertar o povo hebreu por meio do profeta Moisés.

Agora, Jesus Cristo sendo o Sumo Sacerdote Melquisedeque, o qual entrou no Templo de Deus no Céu, levava o Nome Eterno de Deus para poder entrar no Lugar Santíssimo lá.

E agora, no Templo de Jesus Cristo (que é Sua Igreja), o Novo Templo que estará funcionando no Reino Milenial, o Sumo Sacerdote Melquisedeque (que é Jesus Cristo), o qual esteve manifestado de etapa em etapa, de era em era, na construção de Seu Templo, manifestado por meio de cada mensageiro, Ele teve Seu Nome, esse Nome Eterno de Deus, mas não o revelou nos mensageiros e através dos mensageiros, por quê? Porque é uma revelação para ser manifestada na Era da Pedra Angular, que é a Era do Lugar Santíssimo. Mesmo que Cristo estivesse com esse Nome todo o tempo, porque Ele o recebeu quando subiu ao Céu, recebeu esse Nome Novo.

E agora vejam como para a manifestação de Cristo no Último Dia, onde estará manifestado por meio de um mensageiro dispensacional, Ele — para entrar no Lugar Santíssimo e construir o Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual, e entrar e ministrar no Lugar Santíssimo como Sumo Sacerdote — terá esse Nome Eterno e Novo, de Jesus Cristo, o terá aí manifestado.

A manifestação de Cristo através do Seu Anjo Mensageiro no Último Dia, na Era da Pedra Angular, que é o Lugar Santíssimo do Templo espiritual de Cristo, será uma manifestação do Nome Eterno de Deus e Nome Novo do Senhor Jesus Cristo.

O único que podia entrar no lugar santíssimo para ministrar era o sumo sacerdote, e era o único que tinha o Nome Eterno de Deus escrito na testa. E agora, vejam vocês, para o Último Dia Cristo constrói o Lugar Santíssimo e ministra no Lugar Santíssimo de Seu Templo, assim como fez em cada uma das eras passadas.

E é para o Último Dia onde Cristo, por meio do Seu Anjo Mensageiro, estará manifestado chamando e juntando todos os escolhidos de Deus e completando assim a construção do Seu Templo; Templo que Ele dedicará a Deus, para morada de Deus em toda Sua plenitude.

E com a Vinda de Cristo no Último Dia, na Sua Obra de Reclamação, Ele ressuscitará os mortos em Cristo e nos transformará os que vivemos, e morará em cada um de nós como indivíduos em toda Sua plenitude; e morará na Sua Igreja como Corpo Místico de crentes em toda Sua plenitude, se manifestando por meio do Seu Anjo Mensageiro em toda Sua plenitude e ministrando na Sua Igreja, no Lugar Santíssimo, em toda Sua plenitude.

E então teremos a reconciliação total de todos os filhos e filhas de Deus. E então virá para o povo hebreu a reconciliação do povo hebreu com Deus, ministrando Cristo em toda Sua plenitude no Seu Templo espiritual, na Sua Igreja, no Último Dia no Lugar Santíssimo.

Por isso é que os sete mensageiros das sete eras, nos seus tempos tentaram converter o povo hebreu a Cristo — alguns deles — e não puderam; por quê? Porque para a reconciliação do povo hebreu, assim como o sumo sacerdote tinha que entrar no lugar santíssimo do templo (com o sangue do sacrifício), Cristo tem que entrar no Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual para aí poder efetuar o trabalho que corresponde ao Último Dia, e chamar e juntar 144.000 hebreus que serão reconciliados com Deus, e receberão as bênçãos de Deus.

Agora podemos ver o porque os mensageiros das eras passadas não puderam converter o povo hebreu a Cristo. E ainda mais: nenhum deles foi um mensageiro dispensacional; todos foram mensageiros de eras.

E desses sete mensageiros, os mais importantes foram São Paulo, o primeiro anjo mensageiro da primeira era da Igreja gentia, que era um profeta também, e apóstolo; e o sétimo anjo mensageiro, mensageiro da sétima era da Igreja gentia, que também foi um profeta; e foi o precursor da Segunda Vinda de Cristo, o qual veio com o espírito e virtude de Elias na quarta manifestação do ministério de Elias.

Por isso é o mensageiro, dos sete anjos mensageiros, o mais sobressalente, o mais importante, o maior deles, porque foi o precursor da Segunda Vinda de Cristo; e veio o Espírito de Cristo manifestado nele operando o ministério de Elias pela quarta ocasião.

Mas o ministério de Elias seria operado por cinco ocasiões, cinco vezes, em cinco mensageiros diferentes: Elias Tisbita foi o primeiro, Eliseu foi o segundo; e vejam que em cada ocasião vem com um véu de carne novo, em um véu de carne novo esse ministério, e com um nome novo.

E em seguida a terceira ocasião foi em João Batista; Cristo disse dele em São Mateus capítulo 11, versículo 14, Ele disse: “Se vocês o querem receber, ele é aquele Elias que tinha que vir”. Mateus, São Mateus, capítulo 11, versículo 14.

E em São Mateus, capítulo 17, versículo 10 ao 13, também Cristo fala sobre de João Batista; quando perguntam Seus discípulos a Jesus, lhe dizem: “Não dizem os escribas que é necessário que Elias venha primeiro e restaure todas as coisas?”. Vamos ver capítulo 17, versículo 10 em adiante, de São Mateus:

“Então…”

Isto foi quando desceram do Monte da Transfiguração, e tinham visto Moisés e a Elias no Monte da Transfiguração; ali estava Pedro também, João o apóstolo e Santiago o apóstolo.

“E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem, então, os escribas que é mister que Elias venha primeiro?

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas.

Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem.

 Então, entenderam os discípulos que lhes falara de João Batista.”

Porque João Batista é aquele Elias que tinha que vir naquele tempo precursando a Primeira Vinda de Cristo, preparando o povo para a Primeira Vinda de Cristo, para que o recebessem; porque João Batista apresentaria o Messias.

E quando João Batista disse: “Eis aqui o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, estava apresentando ao povo hebreu a Primeira Vinda de Cristo cumprida naquele jovem carpinteiro de Nazaré, Jesus. Ali estava o Anjo do Pacto com Seu Nome Eterno, ali estava dentro daquele corpo de carne, chamado Jesus de Nazaré.

Agora, o nome Jesus, que em hebraico é Josué ou Yoshua ou Yeshua, já o tinha tido também um homem muito importante do Antigo Testamento, o qual foi quem continuou com o povo hebreu e foi o instrumento de Deus para introduzir o povo hebreu ao outro lado do Jordão, à terra prometida; e repartiu por meio de Josué a terra prometida ao povo hebreu, às tribos, doze tribos de Israel.

Agora, Josué e Jesus são o mesmo nome. Em hebraico é Josué ou Yoshua e em grego, pois é Jesus, e também em espanhol. Em grego, pois se pronuncia de outra forma, mas, vejam vocês, é Jesus.

E agora, Jesus significa ‘Salvador’ e ‘Redentor’, ‘Salvador’ ou ‘Redentor’; e Josué significa o mesmo.

Ou seja: que já em um mensageiro de Deus do Antigo Testamento, Deus tinha colocado o nome que o Messias usaria na Sua Primeira Vinda; mas Josué não era o Messias prometido para realizar a Obra de Redenção na Cruz do Calvário; Josué era o ungido, Messias, de seu tempo para levar o povo hebreu à terra prometida, passá-los à terra prometida.

Redimir é ‘voltar ao lugar de origem’; e por meio de Josué, vejam vocês, depois da trajetória que o povo hebreu teve do Egito até Moabe, frente ao Jordão, em seguida quem passaria o povo do outro lado do Jordão, seria Josué; e isso é redenção: voltar o povo a seu lugar original; representando que nosso Josué, nosso amado Senhor Jesus Cristo, seria quem nos restauraria à vida eterna.

E agora, em Sua Primeira Vinda realizou a Obra de Redenção na Cruz do Calvário e nos restaurou a um corpo teofânico da sexta dimensão, um corpo eterno. E para o Último Dia nos restaurará a um corpo físico eterno e glorificado, igual ao corpo do nosso amado Senhor Jesus Cristo.

Por isso, para o Último Dia Cristo virá manifestando Seu Nome Novo, que é o Nome Eterno de Deus.

E como no tempo da Primeira Vinda de Cristo houve pessoas que tiveram o nome Jesus, ou seja: o nome Josué, que é Jesus; e também o nome Jesus em grego; o tiveram; e também o teve Josué.

Houve muitas pessoas que se chamaram Jesus ou Josué antes de vir Jesus, e até no tempo de Jesus também. Mas Jesus, o Cristo, o Messias, prometido para aquele tempo, era um; não importa que outras pessoas tiveram também esse nome.

E não importa quantas pessoas tiveram o Nome que Cristo estará usando e manifestando no Último Dia em Sua Segunda Vinda, no cumprimento de Sua Segunda Vinda com esse Nome, não importa que outros o tiveram; tiveram posto esse nome em alguma outra pessoa, isso não importa; mas naquele que estará se cumprindo Sua Vinda, aí é onde conta esse Nome.

E agora, Ele é quem revelará esse Nome.

Disse o precursor da Segunda Vinda de Cristo, o reverendo William Branham, falando sobre esse Nome Novo do Senhor Jesus Cristo na página 354 do livro As Eras, disse:

“128. ‘E escreverei sobre ele meu nome novo.’”

Falando dessa promessa de Apocalipse, capítulo 3, versículo 12, onde Cristo promete escrever Seu Nome Novo sobre o Vencedor; assim como tinha sido escrito o Nome de Deus sobre o sumo sacerdote em uma placa ou lamina de ouro que levava colocada na testa.

“128. ‘E escreverei sobre ele meu nome novo’. Meu Nome novo. Quando TUDO se tornar novo, então Ele também terá um Nome novo; e esse Nome também será o nome da Noiva (ou seja: da Igreja). O que aquele Nome é; ninguém se atreve a conjecturar. Teria que ser uma revelação do Espírito Santo dada tão conclusivamente que ninguém se atreveria negar.”

E toda revelação, tem que vir a quem? A um profeta; portanto tem que haver um profeta na Terra para receber essa revelação da parte de Deus.

E somente temos para o Último Dia, para o tempo final, para o sétimo milênio, a promessa dos ministérios de Moisés, de Elias e de Jesus para serem manifestados na Terra, portanto tem que haver um homem, um profeta, no qual se manifestem esses três grandes ministérios (os manifesta o Espírito Santo através de um homem, de um profeta); e somente esse profeta pode ser o Anjo do Senhor Jesus Cristo, do qual Cristo disse:

“Eu Jesus enviei meu anjo para lhes dar testemunho destas coisas nas Iglesias”.

E, consequentemente, o nome novo de Elias, vejam vocês, foi sendo mudado de Elias Tisbita; depois, para a segunda manifestação de Elias, veio ser Eliseu; para a terceira manifestação veio ser João Batista; para a quarta manifestação veio ser William Marrion Branham; e para a quinta manifestação, pois o nome que o véu de carne tiver, o Anjo do Senhor Jesus Cristo.

Esse será o Elias em sua quinta manifestação, esse será o Elias que no Último Dia levará a Mensagem ao povo hebreu também. Esse será o Elias prometido para o Último Dia como uma das Duas Oliveiras, que virá com a Grande Voz de Trombeta ou Trombeta de Deus, com a Mensagem do Evangelho do Reino, chamando e juntando os escolhidos de Deus.

E o Moisés que estará manifestado no Último Dia — que é o ministério de Moisés manifestado pela segunda vez na Terra — será o espírito ministerial de Moisés, ou seja: o ministério de Moisés manifestado em um homem deste tempo final, pela segunda vez; e esse é um ministério dispensacional, portanto tem que vir em um profeta dispensacional. Por isso não pôde vir em nenhum dos sete mensageiros das sete eras, porque eles não eram profetas dispensacionais.

E para a conversão do povo hebreu a Cristo, tem que vir o ministério de Moisés, que foi o ministério que deu ao povo hebreu a Lei, para poder passar o povo hebreu a uma nova dispensação: a Dispensação do Reino, com uma Mensagem dispensacional: com a Mensagem do Evangelho do Reino, que gira ao redor da Segunda Vinda de Cristo; da Vinda do Messias como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação; como Filho do Homem e Filho de Davi, para se sentar no Trono de Davi, e reinar sobre o povo hebreu e sobre todas as nações, e colocar o povo hebreu na posição mais importante de todas as nações: como cabeça de todas as nações.

Por isso o povo hebreu depende da Segunda Vinda de Cristo, da Vinda do Messias. Ele não sabe que será a Segunda Vinda de Cristo até que se abra esse mistério para o povo hebreu; e quando se abrir esse mistério para o povo hebreu então chorarão por ter rejeitado e pedido a morte do Messias em Sua Primeira Vinda; e se cumprirá o dia da expiação para eles, onde tinham que se lamentar; gemer, chorar, arrependidos por seus pecados.

E para este tempo final, por meio da manifestação do Espírito de Cristo, Jesus Cristo em Espírito Santo através de Seu Anjo Mensageiro, que é o profeta mensageiro da Dispensação do Reino, é um profeta dispensacional, com uma Mensagem dispensacional: a Mensagem do Evangelho do Reino; e com ministérios dispensacionais, como o ministério de Moisés e como o ministério de Jesus, que também estará manifestado em Seu Anjo Mensageiro. E o ministério de Elias passa, sobe a uma posição mais importante, porque passa a um mensageiro dispensacional.

Portanto o ministério de Elias recebe uma adoção, a adoção para ministrar no Último Dia como uma das Duas Oliveiras, e o de Moisés como uma das Duas Oliveiras também; e o de Jesus passa no Último Dia para ministrar também.

E tudo isso é o Espírito Santo, Jesus Cristo em Espírito Santo, o Anjo do Pacto, o qual tem o Nome Eterno de Deus, manifestado no Último Dia através de Seu Anjo Mensageiro.

E, portanto, o Nome Novo de Jesus estará aí manifestado, e o nome novo de Moisés estará aí manifestado também, e o nome novo de Elias estará aí manifestado também.

Será o mesmo nome para Elias, para Jesus e para Moisés, na Vinda do Filho do Homem com Seus Anjos, na Vinda do Anjo do Pacto, do Anjo do Senhor, que é Jesus Cristo em Espírito Santo, vindo no Último Dia manifestado em Seu Anjo Mensageiro, na Era da Pedra Angular e Dispensação do Reino, que é a Era do Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual, desse Novo Templo que neste tempo final será dedicado por Jesus Cristo a Deus, para morada de Deus em Espírito Santo em toda Sua plenitude.

E quando terminar a construção deste Templo espiritual, ao entrar até o último dos escolhidos à Igreja de Jesus Cristo, então os mortos em Cristo serão ressuscitados em corpos eternos e nós seremos transformados; e assim a glória de Deus estará manifestada na Igreja do Senhor Jesus Cristo; e todos seremos iguais ao nosso amado Senhor Jesus Cristo, à imagem e semelhança de Jesus Cristo nosso Salvador: com vida eterna em nossos corpos físicos, que serão corpos físicos imortais, incorruptíveis e glorificados, iguais ao corpo de Jesus Cristo; e com o espírito teofânico eterno da sexta dimensão dentro desse corpo, e com nossa alma dentro desse corpo também. E assim seremos iguais ao nosso amado Senhor Jesus Cristo, para ir com Ele à Ceia das Bodas do Cordeiro.

Quando tivermos o novo corpo, então veremos Jesus Cristo em Seu corpo teofânico; e iremos com Ele à Ceia das Bodas do Cordeiro, no Céu, para desfrutar dessa grande festa celestial, na Casa de nosso Pai celestial.

Vimos o mistério do Novo Templo e vimos quem é quem está construindo esse Novo Templo; e já leva dois mil anos construindo esse Templo, mas o terceiro milênio... Que é o sétimo milênio e dos últimos dias diante de Deus é o último (porque esse é o terceiro dos três últimos dias diante de Deus)… O sétimo milênio é, dos três últimos milênios, o último; por isso é o último (“último” é “último”).

E esse sendo o terceiro dos últimos três dias, no terceiro dia diante de Deus é que Jesus Cristo levanta esse Templo para Deus; um Novo Templo para Deus, no lugar do templo que Moisés construiu e do templo que Salomão construiu e do templo que foi destruído pelo general romano Tito.

Agora haverá um Templo eterno, um Templo glorificado; e a glória desse Templo será maior que a glória do templo que Moisés construiu e que a glória do templo que Salomão construiu. A glória do último Templo é maior; porque diz em Isaías, capítulo 60, versículo 7 ao 8, que Deus glorificará esse Templo, glorificará a Casa de Sua Morada. Capítulo 60, versículo 7 em diante, diz:

“Todas as ovelhas de Quedar se congregarão junto a ti, e os carneiros de Nebaiote te servirão; com agrado subirão ao meu altar, e eu glorificarei a casa da minha glória.”

E a Casa de Sua glória, para o sétimo milênio, para o Reino Milenial, é Sua Igreja; porque Deus morará em toda Sua plenitude na Sua Igreja durante o Reino Milenial, nos membros da Sua Igreja, ou seja: em cada pessoa como indivíduo, porque todos seremos iguais ao nosso amado Senhor Jesus Cristo; e estaremos como reis e como sacerdotes ministrando no Reino Milenial, onde? Na Casa de Deus, no Templo de Deus.

Aí será onde se ministrará, e nós seremos os que ministraremos com Cristo no Reino Milenial como sacerdotes e como reis também; e Cristo é o Melquisedeque, que ministrará na Sua Casa, Sua Igreja, durante o Reino Milenial. Cristo como Sumo Sacerdote segundo a Ordem de Melquisedeque, e como Rei de Jerusalém e do mundo inteiro se sentando sobre o trono de Davi.

Agora podemos ver este grande mistério de A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS, desse glorioso Templo para Deus. É neste tempo final onde Cristo em Espírito Santo dedicará o Templo glorioso para Deus, que é Sua Igreja. Vimos este mistério e vimos como foi refletido lá, no templo de Moisés e o templo de Salomão.

E agora, no Templo de Jesus Cristo, Sua Igreja; vejam como para o tempo final se terminará a construção desse Templo; e nós seremos transformados quando os mortos em Cristo ressuscitarem, e será um Templo glorificado, porque seremos glorificados, teremos corpos glorificados; e assim seremos morada de Deus em Espírito Santo, Deus em Espírito Santo morando em nós, em toda Sua plenitude. Seremos iguais ao nosso amado Senhor Jesus Cristo, à Sua imagem e semelhança.

Por isso é tão importante a dedicação do Templo de Deus, o Templo de Jesus Cristo, que é Sua Igreja.

Por isso é tão importante trabalhar na construção desse Templo, todos com amor divino, levando a Mensagem por todos os lugares, a Mensagem da Grande Voz de Trombeta, com a qual são chamadas e juntadas todas as pessoas que estão ordenadas por Deus, predestinadas por Deus, desde antes da fundação do mundo — e escritas no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo —, para ser parte desse Templo de Deus, dessa Igreja do Senhor Jesus Cristo.

Para este tempo final, o chamado é para a etapa ou Era do Lugar Santíssimo desse Templo. Esse chamado surgiu, saiu, na América Latina e no Caribe. Assim que diríamos que 90%, 99% dos que pertencerão ao Lugar Santíssimo do Templo espiritual de Cristo serão latino-americanos e caribenhos.

E o chamado da Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino, com a revelação do mistério da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em Sua Obra de Reclamação, foi aberto esse mistério na América Latina e o Caribe; e com esse mistério sendo aberto e sendo proclamado, estão sendo chamados e juntados todos os escolhidos de Deus (onde?) na Casa de Deus, na Igreja de Jesus Cristo, que é o Templo de Jesus Cristo; para em breve se completar esse número, e assim se completar a construção desse Templo espiritual, da Igreja de Jesus Cristo; e ser glorificada essa Casa, com a presença de Deus em Espírito Santo morando em toda Sua plenitude em Sua Igreja como Corpo Místico de crentes (como Corpo Místico de crentes) e em Sua Igreja como indivíduos.

E assim ter Jesus Cristo em Espírito Santo manifestado na Sua Igreja em toda Sua plenitude em Seu Anjo Mensageiro, e ter Jesus Cristo manifestado em cada um dos escolhidos em toda Sua plenitude em Espírito Santo. E assim a Igreja de Jesus Cristo, a Casa de Deus, ser glorificada; porque Ele disse: “… glorificarei a casa de minha glória”. A Casa da Morada de Deus, que é Sua Igreja, o Novo Templo, tem a promessa dessa glorificação.

Vimos o mistério de A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS. E agora vimos qual é o templo, o tabernáculo de Deus, para Deus morar em toda Sua plenitude neste tempo final e durante o Reino Milenial e por toda a eternidade: é a Igreja do Senhor Jesus Cristo. Essa é a Casa mais importante, e essa é a Igreja que tem as grandes promessas de Cristo para este tempo final.

Foi para mim um privilégio muito grande estar com vocês dando testemunho de “A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS”, do glorioso Templo de Deus, o qual para este tempo final seria Sua Igreja; assim como no tempo de Moisés foi o tabernáculo que Moisés levantou e dedicou a Deus, e como no tempo de Salomão foi o templo que Salomão construiu e dedicou a Deus.

E agora, o Templo que Jesus Cristo está construindo é o Novo Templo, que será dedicado neste Último Dia para morada de Deus em Espírito Santo em toda Sua plenitude. Cristo o dedica a Deus para Deus morar em toda Sua plenitude.

Estamos vivendo nos últimos retoques da construção desse Templo, onde as últimas pedras vivas, os últimos escolhidos estão sendo chamados e juntados neste tempo final.

E agora, onde estão as pessoas que deveriam fazer parte desse glorioso Tabernáculo de Deus neste Último Dia, na Era da Pedra Angular? Pois aqui estamos presentes, na Cidade da Guatemala um grupo, em San Lucas outro grupo, e em diferentes lugares da República da Guatemala; e também na República Mexicana, e também na República do Brasil, e também na República da Colômbia, e também em todas as repúblicas da América Latina e do Caribe; e demais lugares latino-americanos e caribenhos, e também há alguns que estão em outras nações; mas todos veem fazer parte desse Templo espiritual de Jesus Cristo, da Era da Pedra Angular, da Era do Lugar Santíssimo desse Templo que está chegando a sua etapa final neste tempo final.

E em breve será dedicado a Deus e Deus entrará nesse Templo em toda Sua plenitude; e essa será a manifestação gloriosa de Deus em Espírito Santo no Seu Templo, e será a manifestação gloriosa dos filhos e filhas de Deus com corpos eternos. Essa é uma promessa de Deus feita para os filhos e filhas de Deus deste tempo final.

Que as bênçãos de Jesus Cristo, o Anjo do Pacto, sejam sobre todos vocês e sobre mim também; e em breve se complete o número dos escolhidos de Deus na Casa de Deus, no Templo de Deus, na Igreja de Jesus Cristo; e em breve os mortos em Cristo ressuscitem em corpos eternos e nós os que vivemos sejamos transformados, e sejamos levados à Casa de nosso Pai celestial no Céu, à Ceia das Bodas do Cordeiro. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

Deixo conosco o reverendo Miguel Bermúdez Marín para continuar.

Que Deus os abençoe, e passem todos boa noite.

“A DEDICAÇÃO DO GLORIOSO TABERNÁCULO DE DEUS”.

[Revisão março 2020]

 

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16