O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO" - 14 de fevereiro de 2020

CULTO AO VIVO: "O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO"

Transcrição reproduzida à partir da página: https://mensajes.carpa.com/mensajes/1998/09/el-pueblo-guiado-por-la-columna-de-fuego/?lang=pt-br

 

Muito boa noite amáveis amigos e irmãos presentes e radiouvintes. É para mim um privilégio muito grande estar com vocês nesta ocasião, para compartilhar com vocês este tema: “O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Fala-nos São Paulo na sua carta aos Gálatas no capítulo 4, nos falando a respeito estes dois povos, que são o povo hebreu e a Igreja de Jesus Cristo, diz… Deus tipificou isto no Antigo Testamento e, vejam, diz em Gálatas, capítulo 4, versículo 22 ao 31:

“Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre.

Todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre, por promessa,

o que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos: um, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar.

Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos.

Mas a Jerusalém que é de cima é livre, a qual é mãe de todos nós;

porque está escrito: Alegra-te, estéril, que não dás à luz, esforça-te e clama, tu que não estás de parto; porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido.

Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa, como Isaque.

Mas, como, então, aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também, agora.

Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque, de modo algum, o filho da escrava herdará com o filho da livre.

De maneira que, irmãos, somos filhos não da escrava, mas da livre. (ou seja: da Jerusalém celestial).”

Nosso tema é: “O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Temos o Israel terreno, a descendência de Abraão segundo a carne, que é o povo hebreu, do qual Deus havia dito que seria escravo em terra alheia; ainda antes de Abraão ter o seu filho Isaac, Deus já está dizendo por onde passará a descendência de Abraão. No capítulo 15, versículo 12 em diante, Deus fala ao profeta Abraão e lhe diz [Gênese]:

“E, pondo-se o sol, um profundo sono caiu sobre Abrão; e eis que grande espanto e grande escuridão caíram sobre ele.

Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos.

Mas também eu julgarei a gente à qual servirão, e depois sairão com grande riqueza.

E tu irás a teus pais em paz; em boa velhice serás sepultado.

E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia.”

Agora, podemos ver que Deus já tinha dito ao profeta e patriarca Abraão que sua descendência seria escrava em terra alheia, mas que Deus os libertaria depois de cumpridos os 400 anos de escravidão.

E agora, esse é o Israel terreno: o povo que foi libertado por Deus, o qual se encontrou no Egito escravizado, mas Deus enviou o profeta Moisés, e por meio do profeta Moisés Deus libertou o povo hebreu.

Deus apareceu ao profeta Moisés e disse quem Ele era. Vejam, em Êxodo, capítulo 3, versículo 3 em diante, diz:

“E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima.

E, vendo o SENHOR que se virava para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui.

E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.

Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.

E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.

Portanto, desci para livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do ferezeu, e do heveu, e do jebuseu.

E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel chegou a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem.

Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

Então, Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?

E Deus disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte.

Então, disse Moisés a Deus: Eis que quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.”

  Aqui temos a comissão dada por Deus a Moisés para a libertação do povo hebreu.

  O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó manifestado nessa Luz, nessa Coluna de Fogo ou Chama de Fogo, chamou Moisés: falou; revelou que ele era o enviado para a liberação do povo hebreu, e ele (Moisés) seria o instrumento de Deus nesse grande trabalho da liberação do povo de Deus.

  Agora, podemos ver que Deus libertou o povo hebreu por meio do profeta Moisés: os levou ao monte Sinai depois de cruzar o mar Vermelho, e em seguida os levou rumo à terra prometida, depois de ter dado as leis divinas; e em seguida os levou rumo à terra prometida; e por 40 anos estiveram viajando rumo à terra prometida.

  Este povo que ia viajando rumo à terra prometida era um povo o qual era guiado por Deus. Por isso em cada ocasião em que a Coluna de Fogo se detinha, o povo se detinha; e quando a Coluna de Fogo ou Nuvem de Fogo se levantava de sobre o tabernáculo, o povo se levantava também e caminhava para a direção em que a Coluna de Fogo ia.

  Isto encontramos no livro de Números, capítulo 9, versículo 15 em diante (…) diz:

  “E, no dia de levantar o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo sobre a tenda do Testemunho; e, à tarde, estava sobre o tabernáculo como uma aparência de fogo até à manhã.

Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e, de noite, havia aparência de fogo.

Mas, sempre que a nuvem se alçava sobre a tenda, os filhos de Israel após ela partiam; e, no lugar onde a nuvem parava; ali os filhos de Israel assentavam o seu arraial.

Segundo o dito do SENHOR, os filhos de Israel partiam e segundo o dito do SENHOR assentavam o arraial; todos os dias em que a nuvem parava sobre o tabernáculo, assentavam o arraial.

E, quando a nuvem se detinha muitos dias sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel tinham cuidado da guarda do SENHOR e não partiam.

E era que, quando a nuvem poucos dias estava sobre o tabernáculo, segundo o dito do SENHOR, se alojavam e, segundo o dito do SENHOR, partiam.

Porém era que, quando a nuvem desde a tarde até à manhã ficava ali e a nuvem se alçava pela manhã, então, partiam; quer de dia quer de noite, alçando-se a nuvem, partiam.

Ou, quando a nuvem sobre o tabernáculo se detinha dois dias, ou um mês, ou um ano, ficando sobre ele, então, os filhos de Israel se alojavam e não partiam; e, alçando-se ela, partiam.

Segundo o dito do SENHOR, se alojavam e, segundo o dito do SENHOR, partiam; da guarda do SENHOR tinham cuidado, segundo o dito do SENHOR pela mão de Moisés.”

Agora podemos ver um povo aqui guiado por Deus, um povo onde Deus era seu governante; e por meio do profeta Moisés (porque sempre tem que usar um homem), por meio do profeta Moisés Deus guiava o Seu povo; e os acompanhava essa Coluna de Fogo, que é a presença de Deus.

E a presença de Deus era vista pelo povo, a qual se colocava sobre o tabernáculo. E quando o povo hebreu via a Coluna de Fogo sobre o tabernáculo, ali o povo hebreu se detinha e acampavam ali; quando via que se levantava a Coluna de Fogo de sobre o tabernáculo, então o povo se levantava e partia em direção onde a Coluna de Fogo os guiava. Era um povo guiado pela Coluna de Fogo.

E essa Coluna de Fogo disse a Moisés: “Eu sou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó.”

  Este Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó se manifestou nesta Coluna de Fogo a Moisés e ao povo hebreu; e essa Dispensação da Lei, vejam vocês, esteve acompanhada pela Coluna de Fogo, que é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó guiando o Seu povo nessa quinta Dispensação, e guiando o povo hebreu rumo à terra prometida.

Foi essa Coluna de Fogo, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, quem os libertou e os guiou para a terra prometida, e os introduziu por meio do profeta Moisés e por meio do profeta Josué, os introduziu à terra prometida. Quando Moisés terminou seu ministério, começou Josué e colocou o povo hebreu ao outro lado do Jordão, e distribuiu a terra que Deus lhe tinha prometido.

Moisés é tipo e figura de Cristo, como também o é Josué. Josué representa Cristo. Josué significa ‘Salvador’, ‘Redentor’, e Jesus significa ‘Salvador’ e ‘Redentor’ também; porque Jesus é Josué. Jesus em hebraico é Josué.

Agora podemos ver que nosso amado Senhor Jesus Cristo é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, que se fez carne, se fez homem, e habitou no meio do povo hebreu.

“No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”

“E aquele Verbo se fez carne, e habitou no meio de nós (ou seja: no meio do povo hebreu e, consequentemente, da raça humana).”

E o Verbo, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó (que foi visto naquela Coluna de Fogo), encarnado foi conhecido pelo nome de Jesus (ou seja: Josué em hebraico), e realizou a Obra de Redenção na Cruz do Calvário; pois o povo hebreu o rejeitou na Sua Vinda e, consequentemente, teve que morrer na Cruz do Calvário para realizar assim a Obra de Redenção, para começar um novo êxodo com o povo de Deus, os escolhidos de Deus escritos no Céu, no Livro da Vida do Cordeiro, desde antes da fundação do mundo; e eles pertencem ao Israel celestial.

O Israel celestial é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, a qual — como o povo hebreu — saiu do mundo, que é o Egito espiritual, quando Deus chamou cada pessoa pertencente à Igreja de Jesus Cristo, o chamou do mundo (esse é o Egito espiritual); assim como chamou Israel (ou seja: o povo hebreu), o chamou do Egito; e como também essa profecia se cumpriu em Jesus quando Jesus esteve vivendo no Egito quando tinha 2 anos de idade (2 a 3 anos de idade), e em seguida encontramos que ordenou a José que retornasse à terra de Israel porque o rei Herodes já tinha morrido, todos os que perseguiam e buscavam a morte de Jesus já tinham morrido; portanto, o chamou do Egito para que regressasse à sua terra, a terra de Israel, como chamou os hebreus do Egito para levá-los à terra de Israel.

E agora a Igreja de Jesus Cristo e todos os membros da Igreja de Jesus Cristo são chamados do Egito espiritual — que é o mundo — e são trazidos a Cristo, para assim receberem Cristo como seu Salvador, lavar seus pecados no Sangue de Cristo e receber Seu Espírito Santo.

Agora, podemos ver que cada indivíduo ao receber o Espírito Santo entrou na terra prometida do batismo do Espírito Santo e recebeu um corpo teofânico da sexta dimensão.

Mas a Igreja de Jesus Cristo como Corpo Místico de crentes, encontramos que esteve viajando na mesma trajetória que o povo hebreu viajou: rumo à terra prometida.

E assim como o povo hebreu teve 40 anos viajando pelo deserto, por territórios gentios, até chegar à terra prometida… Durante esses 40 anos morreram muitas pessoas; e todos os que tinham de 20 anos para cima, dos que saíram do Egito, morreram no deserto, exceto Josué e Calebe.

Calebe uns tinha 40 anos quando saiu do Egito, 40 ou mais; e quando Josué saiu do Egito, Josué era jovem, assim que tinha de uns 20 a… menos de 30 anos. E Josué e Calebe foram os que entraram na terra prometida tendo saído do Egito com 20 anos ou mais de 20 anos, de 20 anos para cima; o resto morreu no deserto porque foram rebeldes à Voz de Deus.

Mas os filhos deles que nasceram no deserto e os que tinham de 20 anos para baixo, eles, a maioria, entraram na terra prometida. Os filhos daqueles que diziam que iriam perecer no deserto os seus filhos, pois foram seus filhos os que não pereceram, mas entraram na terra prometida.

Agora, no espiritual estivemos vendo um êxodo. A Igreja do Senhor Jesus Cristo, o Israel celestial, esteve viajando de etapa em etapa, de era em era, pelo deserto; e o Espírito de Deus assentou sobre Sua Igreja, Seu Templo, de era em era; e quando assentou; o povo aí esteve recebendo as bênçãos de Deus.

E quando se levantou o Espírito de Deus de uma era e se moveu para outra era, a Igreja de Jesus Cristo se moveu a uma nova etapa na sua trajetória para a terra prometida do glorioso Reino Milenial.

E agora, cada um como indivíduo, também estamos nessa trajetória, viajando rumo à terra prometida do novo corpo, do corpo eterno que Cristo prometeu para cada um de nós.

E agora, não nos aproximamos do monte Sinai, que ardia em fogo, como descreve São Paulo e também o livro do Êxodo… São Paulo o descreve na sua carta aos Hebreus, capítulo 12, versículo 18 em diante, dizendo:

“Porque não chegastes ao monte palpável (ou seja: ao monte Sinai), aceso em fogo, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade,

e ao sonido da trombeta, e à voz das palavras, a qual, os que a ouviram pediram que se lhes não falasse mais;

porque não podiam suportar o que se lhes mandava: Se até um animal tocar o monte, será apedrejado.

E tão terrível era a visão, que Moisés disse: Estou todo assombrado e tremendo.”

Assim era a situação que o povo hebreu podia ver e sentir estando diante ao monte Sinai, quando Deus estava no monte Sinai falando com o profeta Moisés.

Mas agora não nos aproximamos do monte Sinai; nos aproximamos de um monte mais importante: nos aproximamos do Monte de Deus, à Cidade de nosso Deus, o qual foi representado no monte Sinai. E agora, diz:

“Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos,

à universal assembleia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;

e a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.”

Agora nos aproximamos do Monte de Sião, o Monte de Deus, à Jerusalém celestial.

Estamos no Monte de Deus, a Jerusalém celestial, colocados na Igreja do Senhor Jesus Cristo; onde o povo, as pessoas pertencentes a esse Corpo Místico de crentes, que é a Igreja de Jesus Cristo, estiveram sendo guiados desde dia de Pentecoste até aqui; porque no Dia de Pentecoste nasceu a Igreja do Senhor Jesus Cristo, com o novo nascimento de 120 pessoas ali que receberam o Espírito Santo e obtiveram o novo nascimento. E Cristo, o Anjo do Pacto, a Coluna de Fogo que guiou o povo hebreu, esteve guiando a Sua Igreja de etapa em etapa.

Deus disse aos fariseus e saduceus e doutores da Lei, que o aborreciam muito, Ele lhes disse: “Abraão desejou ver meu dia; o viu, e se alegrou”. Agora, pensavam que Jesus era muito jovem e Abraão tinha vivido fazia centenas de anos. Como era possível? Cristo tinha dito…, disse-lhes: “Antes que Abraão nascesse (ou fosse), eu sou”. São João, capítulo 8, versículo 51 ao 59, aí encontramos essa passagem onde Cristo fala nessa forma. E ainda podemos ver; vejam, capítulo 8, versículo 56 ao 58, diz:

“Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se.

Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão?

Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão nascesse, eu sou.

Então, pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou.”

Agora vejam como Jesus diz a estes judeus que antes que Abraão nascesse Ele era; e lhes disse que Abraão tinha visto Seu dia e se alegrou.

Abraão, quando esteve comendo com Elohim e os Arcanjos Gabriel e Miguel no dia antes da destruição de Sodoma e de Gomorra, aí no capítulo 18 de Gênesis; encontramos que se cumpriu o que Jesus disse: “Abraão desejou ver o meu dia; viu-o, e se alegrou”.

E agora, ainda antes de Abraão, Jesus era também. Ele é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, e de Moisés, e é também o Deus de Noé, é também o Deus de Enoque, é também o Deus de Matusalém, é também o Deus de Sete, é também o Deus de Adão.

Ele é o Verbo encarnado; e o Verbo encarnado: o Verbo era Deus, e o Verbo é o Criador dos Céus e da Terra. Ou seja: o mesmo Deus em Seu corpo teofânico é o Criador dos Céus e da Terra, o qual em seguida se fez carne e habitou no meio do povo hebreu, e por isso podia dizer: “Antes que Abraão nascesse; eu sou”. E podia lhes dizer: “Abraão desejou ver meu dia; viu-o, e se alegrou.”

E agora, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó fez para si um corpo de carne quando criou no ventre de Maria uma célula de vida, a qual se multiplicou célula sobre célula; e assim foi criado o corpo de Jesus, o qual nasceu em Belém da Judéia, e nesse corpo habitou Deus em toda Sua plenitude. Era nada menos que Emanuel, o qual significa: Deus conosco, o mesmo Deus! Por isso podia dizer: “O Pai e eu somos um.”

E quando Felipe, no capítulo 14 de São João, diz: “Senhor, mostre-nos o Pai, e nos basta”, Jesus diz: “Felipe, tanto tempo faz que estou convosco, e ainda não me conheceste? Não sabe que eu estou no Pai, e o Pai está em mim, e quem me viu, viu ao Pai?” Porque o Pai estava dentro daquele véu de carne chamado Jesus.

Agora podemos ver o mistério de Cristo: é a manifestação do Pai celestial, de Deus dentro daquele véu de carne chamado Jesus.

E agora, quando Cristo já sabia que tinha que partir, disse: “Saí do Pai, e volto para Pai. Saí de Deus, e volto para Deus”. E quando morreu, ressuscitou e subiu ao Céu, em seguida começou a Dispensação da Graça em toda sua plenitude; e Jesus Cristo, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Anjo do Pacto nessa Coluna de Fogo esteve guiando Sua Igreja.

São Paulo antes de ser convertido a Cristo foi conhecido pelo nome de Saulo de Tarso; e como Saulo de Tarso, ele cria que os que estavam no caminho de Cristo eram uns hereges; e diz no livro dos Atos, capítulo 9, versículo 1 em diante:

“Saulo, respirando ainda…”

Capítulo 9, versículo 1 em diante, diz, do livro dos Atos:

“E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote

e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita (ou seja: do caminho cristão, do caminho de Jesus Cristo), quer homens, quer mulheres os conduzisse presos a Jerusalém.

E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.

E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

E ele disse: Quem és Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.”

Vejam agora aqui: a mesma Luz que apareceu a Moisés (que é o Anjo do Senhor, o Anjo do Pacto, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó nessa Coluna de Fogo, nessa Coluna de Luz ou Nuvem de Luz), agora aparece a Saulo de Tarso; e Saulo de Tarso sabe que esse é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó.

Esse é quem libertou o povo hebreu; é a mesma Luz, a mesma Nuvem ou Coluna de Fogo ou Pilar de Fogo; e agora lhe está dizendo: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Agora Saulo se encontra perseguindo o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó.

E Saulo pergunta: “Quem és Senhor?” (ou seja: “Quem és; Elohim?”). E agora essa Coluna de Fogo diz: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues”. O Senhor Jesus Cristo tinha voltado para a Coluna de Fogo, e agora estava na forma de Coluna de Fogo guiando a Sua Igreja.

Seu corpo físico e glorificado está sentado no Trono de Deus no Céu, mas em Espírito Santo Jesus Cristo está no meio de Sua Igreja, guiando Sua Igreja na sua trajetória para a terra prometida do glorioso Reino Milenial e à terra prometida do novo corpo que Ele prometeu para cada um de vocês e para mim também.

E agora, na trajetória da Igreja de Jesus Cristo para a terra prometida, temos à Coluna de Fogo, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor (que é o mesmo Senhor Jesus Cristo em Espírito Santo), guiando a Sua Igreja, guiando o Israel celestial.

Agora, vimos que há um Israel terreno, que é o povo hebreu, e há um Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo. A ambos, a Coluna de Fogo, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor (que é Jesus Cristo em Espírito Santo), esteve guiando. Ao povo hebreu os guiou; e agora à Igreja do Senhor Jesus Cristo a está guiando, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, o Espírito Santo.

Por isso é que no livro do Êxodo, capítulo 23, versículo 20 ao 23, Deus diz por meio do profeta Moisés:

“Eis que eu envio um Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.

Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebelião; porque o meu nome está nele.”

Onde está o Nome Eterno de Deus? Está no Anjo do Senhor.

E o Anjo do Senhor é o mesmo Deus em Seu corpo teofânico, pois o Anjo do Senhor disse a Moisés: “Eu sou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”. Deus estando em Seu corpo teofânico é conhecido como o Anjo do Pacto ou Anjo do Senhor.

E em seguida quando se fez carne e habitou no véu de carne chamado Jesus, temos o Anjo do Senhor na forma de um homem chamado Jesus de Nazaré.

E em seguida quando morreu, ressuscitou e subiu ao Céu Jesus Cristo, Seu corpo foi colocado no Trono de Deus; e Ele em Espírito Santo esteve no meio da Sua Igreja, o mesmo Anjo do Pacto que libertou o povo hebreu e o guiou rumo à terra prometida por 40 anos através do deserto; e agora por 2000 anos aproximadamente esteve guiando o Israel celestial, a Igreja do Senhor Jesus Cristo, de era em era e de geração em geração.

E em breve chegaremos à terra prometida do glorioso Reino Milenial, no Último Dia, no sétimo milênio, e à terra prometida do novo corpo, onde os mortos em Cristo ressuscitarão em corpos eternos e nós os que vivemos seremos transformados.

Por isso é tão importante o chamado final de Cristo, que é a Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final; é a Voz de Cristo no Último Dia chamando e juntando todos os Seus escolhidos neste tempo final.

E essa Grande Voz de Trombeta, que é a Voz de Cristo, a Voz do Anjo do Pacto, no Último Dia estará nos revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer; pois em Apocalipse, capítulo 1, temos no versículo 10 ao 11 as palavras de João o apóstolo, que diz:

“Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,

que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último.”

Quem é o Alfa e Ômega? Quem é o primeiro e o último? Nosso amado Senhor Jesus Cristo; a Voz de Cristo como uma Grande Voz de Trombeta falando à Sua Igreja no Último Dia, ou seja: no sétimo milênio; porque o Último Dia diante de Deus é o sétimo milênio para a raça humana.

E agora, no capítulo 4, versículo 1, diz João o apóstolo:

“Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

Cristo com essa Voz de Trombeta promete revelar as coisas que hão que acontecer; mas para isso é preciso subir onde? À Era da Pedra Angular, que é a era onde Ele no Último Dia estaria manifestado.

Porque Ele esteve guiando Sua Igreja de era em era; e agora a guia à Era da Pedra Angular, onde fala e revela todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

Em Apocalipse, capítulo 22, versículo 6 em diante, nos diz por meio de quem são reveladas todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

Assim como quando Deus foi libertar o povo hebreu tinha que ter um homem, e esse foi o profeta Moisés; e por meio do profeta Moisés falou ao povo hebreu e libertou o povo hebreu da escravidão no Egito.

E para o Último Dia, Cristo tem que ter um homem, um profeta na Terra, para por meio desse profeta falar à Sua Igreja todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

E agora vejamos quem é esse profeta mensageiro de Jesus Cristo para o Último Dia. Apocalipse 22, versículo 6 em diante, diz:

“E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer.”

A quem envia para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve hão acontecer? A Seu Anjo Mensageiro, ao profeta mensageiro da Era da Pedra Angular e da Dispensação do Reino com a Mensagem do Evangelho do Reino. E nessa Mensagem do Evangelho do Reino que o Anjo do Senhor Jesus Cristo traz, ungido pelo Espírito Santo, são reveladas todas estas coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

E em Apocalipse 22, versículo 16, novamente Jesus reconfirma que Ele enviou o Seu Anjo, e diz:

“Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas.”

Temos a reconfirmação de que Jesus enviou o Seu Anjo Mensageiro para dar testemunho de todas estas coisas que devem acontecer neste tempo final; na orientação da Coluna de Fogo neste Último Dia. Guiando quem? Guiando Seu povo, Sua Igreja; e em seguida guiará o povo hebreu, quando se revelar ao povo hebreu.

“O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Assim como o povo hebreu foi guiado pela Coluna de Fogo na liberação que Deus realizou lá através de Moisés, libertando o povo hebreu do Egito, da escravidão no Egito, e levando-os pelo deserto rumo à terra prometida; agora Cristo esteve guiando Sua Igreja, a mesma Coluna de Fogo, o mesmo Anjo do Pacto, guiando Sua Igreja através destes dois mil anos que transcorreram aproximadamente; e nos levará à terra prometida do glorioso Reino Milenial de Jesus Cristo, e à terra prometida do novo corpo, do corpo eterno que Ele nos dará quando os mortos em Cristo ressuscitarem em corpos eternos e nós os que vivemos formos transformados.

Isto é assim porque a Igreja do Senhor Jesus Cristo é O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO, pelo Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, Jesus Cristo nosso Salvador, guiando a Sua Igreja: Ele no meio da Sua Igreja em Espírito Santo.

E por meio de Seu Anjo Mensageiro no Último Dia, Ele estará manifestado e estará nos revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer; e com o Anjo Mensageiro estará a Coluna de Fogo, o Anjo do Pacto, guiando a Sua Igreja; assim como esteve em cada era com o anjo mensageiro de cada era, guiando a Sua Igreja.

“O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Foi para mim um privilégio muito grande, amáveis amigos e irmãos presentes e radiouvintes, estar com vocês nesta ocasião dando testemunho de “O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Que Deus continue abençoando a todos, e conosco novamente o reverendo Miguel Bermúdez Marín para continuar nesta noite esta atividade.

Passem todos muito boa noite.

“O POVO GUIADO PELA COLUNA DE FOGO”.

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16