O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO” - 5 de janeiro

CULTO AO VIVO: “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”

Muito boa tarde amáveis amigos e irmãos presentes e radiouvintes. É para mim um privilégio grande estar com vocês neste lugar e através desta estação de rádio amiga, para compartilhar com vocês uns momentos de companheirismo ao redor da Palavra de Deus e Seu Programa correspondente a este tempo final.

         Falaremos o tema: “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”.

         Quero ler no livro de Êxodo, capítulo 3, versículo 1 em diante, onde Deus chamou o profeta Moisés e o enviou para libertar o povo hebreu; aí veremos como Deus usa Seu poderoso Nome para libertar o Seu povo. E em seguida, no Novo Testamento, veremos através da conferência desta ocasião, como também no Novo Testamento Deus usa Seu Nome para libertar o Seu povo.

         Vamos ler em Êxodo, capítulo 3, versículo 1, e também em Gênesis, capítulo 15… Vejamos Gênesis, capítulo 15, primeiro, onde está a promessa, e depois passamos a Êxodo, capítulo 3, onde Deus vai cumprir a promessa.

         Aqui a promessa foi feita ao profeta e patriarca Abraão. Capítulo 15, versículo 12 em diante, do Gênesis, diz:

          “E, pondo-se o sol, um profundo sono caiu sobre Abrão; e eis que grande espanto e grande escuridão caíram sobre ele.

         Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos.

         Mas também eu julgarei a gente à qual servirão, e depois sairão com grande fazenda.

         E tu irás a teus pais em paz; em boa velhice serás sepultado.

         E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia.

         E sucedeu que, posto o sol, houve escuridão; e eis um forno de fumaça e uma tocha de fogo que passou por aquelas metades.

         Naquele mesmo dia, fez o SENHOR um concerto com Abrão, dizendo: À tua semente tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até ao grande rio Eufrates,

         e o queneu, e o quenezeu, e o cadmoneu,

         e o heteu, e o ferezeu, e os refains,

         e o amorreu, e o cananeu, e o girgaseu, e o jebuseu.

         Aí temos a promessa dada ao profeta e patriarca Abraão.

         E agora, em Êxodo, capítulo 3, versículo 1 em diante, Deus desce para cumprir essa promessa ao povo hebreu, à descendência de Abraão. Diz:

“E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe.

E apareceu-lhe o Anjo do SENHOR em uma chama de fogo, no meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.

E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima.

E, vendo o SENHOR que se virava para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui.

E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.

Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.

E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.

Portanto, desci para livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do ferezeu, e do heveu, e do jebuseu.

E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel chegou a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem.

Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

Então, Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?

E Deus disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte.

Então, disse Moisés a Deus: Eis que quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.”

         Que Deus abençoe nossas almas com Sua Palavra e nos permita entendê-la.

         Nosso tema é: “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”.

         Deus tinha feito a promessa ao profeta e patriarca Abraão, que sua descendência seria escrava em terra alheia, ou seja: no Egito. E agora, quando Deus falou essas palavras a Abraão, Abraão ainda não tinha filhos; não tinha nem Isaac, que é o filho prometido, nem sequer tinha Ismael, e agora Deus já está falando do que acontecerá à descendência de Abraão.

         Vejam como Deus, desde antes de uma pessoa existir ou uma nação, Deus já pode estar revelando o que acontecerá com essa pessoa ou com essa nação; porque Deus sabe todas as coisas.

         E agora, Ele vê todas as coisas porque Ele está em um eterno presente; e Ele vê o passado, vê o presente e vê o futuro também, porque Ele é onipresente.

         E agora, o Deus Todo-Poderoso já está revelando a Abraão o que será a vida da sua descendência e, consequentemente, está revelando todas estas coisas que deverão acontecer à descendência de Abraão; e quando Abraão as escreve e as fala, está profetizando o que acontecerá à sua descendência.

         E agora, para que se cumprisse essa profecia, tinham que acontecer certas coisas.

         Vejam; Abraão teve que ter um filho por meio da Sara sua esposa, a qual era estéril; e vejam vocês, passaram muitos anos depois de Deus ter feito a promessa a Abraão de que teria um filho por meio de sua esposa Sara, mas não chegava o filho.

         Em seguida, quando Abraão já tem 99 anos e Sara tem 89 anos, Deus lhe aparece no dia antes da destruição da Sodoma e de Gomorra e reconfirma que vai ter um filho por meio de sua esposa Sara.

         Já para esse tempo tinha tido Ismael, e já para esse tempo Deus tinha mudado o nome para Abraão: de Abrão a Abraão, ou seja: acrescentou um “h” e um “a”; e a Sara, de Sarai mudou para Sara. E diz: “Não chamará mais sua esposa, sua mulher, Sarai, mas Sara.”

         E quanto a Abraão, disse: “Não chamará mais seu nome Abrão, mas Abraão”. No capítulo 17 de Gênese, aí está esta mudança de nome, Deus acrescentando algumas letras no nome de Abraão. Vejam, aqui está: capítulo 17, versículo 1 em diante, diz:

“Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em minha presença e sê perfeito.

E porei o meu concerto entre mim e ti e te multiplicarei grandissimamente.

Então, caiu Abrão sobre o seu rosto, e falou Deus com ele, dizendo:

Quanto a mim, eis o meu concerto contigo é, e serás o pai de uma multidão de nações.

E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome; porque por pai da multidão de nações te tenho posto.”

         Vejam; o nome Abrão significa ‘pai supremo’, mas o nome Abraão significa ‘pai de muita gente’. Assim Abraão tinha que ter o nome correto para se tornar pai de muita gente. E Deus, por quanto está representando todas estas coisas até no nome de Abraão, pois tinha que ser mudado o nome de Abraão.

         E agora continua dizendo:

         “E te farei frutificar grandissimamente e de ti farei nações, e reis sairão de ti.

E estabelecerei o meu concerto entre mim e ti e a tua semente depois de ti em suas gerações, por concerto perpétuo, para te ser a ti por Deus e à tua semente depois de ti.

E te darei a ti e à tua semente depois de ti a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão, e ser-lhes-ei o seu Deus.”

         Agora vejam como Deus fala ao patriarca e profeta Abraão desse nome novo que Deus estava dando e também do Pacto que Deus tinha feito com Abraão.

         “Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás o meu concerto, tu e a tua semente depois de ti, nas suas gerações.

Este é o meu concerto, que guardareis entre mim e vós e a tua semente depois de ti: Que todo macho será circuncidado.

E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal do concerto entre mim e vós.

O filho de oito dias, pois, será circuncidado; todo macho nas vossas gerações, o nascido na casa e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua semente.

Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; e estará o meu concerto na vossa carne por concerto perpétuo.

E o macho com prepúcio, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada dos seus povos; quebrantou o meu concerto.

Disse Deus mais a Abraão: a Sarai, tua mulher, não chamarás mais pelo nome de Sarai, mas Sara será o seu nome.

Porque eu a hei de abençoar e te hei de dar a ti dela um filho; e a abençoarei, e será mãe das nações; reis de povos sairão dela.

Então, caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: A um homem de cem anos há de nascer um filho? E conceberá Sara na idade de noventa anos?

E disse Abraão a Deus: Tomara que viva Ismael diante de teu rosto!

E disse Deus: Na verdade, Sara tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque; e com ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele.

E, quanto a Ismael, também te tenho ouvido: eis aqui o tenho abençoado, e fá-lo-ei frutificar, e fá-lo-ei multiplicar grandissimamente; doze príncipes gerará, e dele farei uma grande nação.

O meu concerto, porém, estabelecerei com Isaque, o qual Sara te dará neste tempo determinado, no ano seguinte.

E acabou de falar com ele e subiu Deus de Abraão.”

         Agora aí podemos ver como Deus falou com o Abraão, como mudou o nome de Abraão e como reconfirmou que iria ter um filho por meio de sua esposa Sara; e disse que nome colocaria: colocaria por nome Isaque, que significa ‘risada’.

         E agora, vejam vocês como Deus fala ao Seu profeta e patriarca Abraão, profeta dispensacional, um profeta dos quais somente há sete profetas em todo o Programa Divino; sete profetas para sete dispensações.

         O primeiro foi Adão, para a primeira dispensação, que foi a Dispensação da Inocência.

         O segundo foi Sete, para a Dispensação da Consciência.

         O terceiro foi Noé, para a Dispensação do Governo Humano.

         Cada um deles tinha a Mensagem correspondente a essa dispensação para a qual eles foram enviados.

         O quarto foi o profeta e patriarca Abraão, para a quarta dispensação, que é a Dispensação da Promessa.

         O quinto profeta dispensacional é o profeta Moisés, para a quinta dispensação, que é a Dispensação da Lei. Por isso Moisés veio com a Mensagem da Lei.

         Em seguida o sexto mensageiro dispensacional, para a Dispensação da Graça, que é a sexta dispensação, é o nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         E o sétimo profeta dispensacional, para a sétima dispensação, que é a Dispensação do Reino, é o Anjo do Senhor Jesus Cristo.

         E depois desse, nenhum outro profeta dispensacional; e nenhum outro profeta: esse é o último profeta, e por isso Deus o envia como profeta dispensacional; e com esse, o Programa de Deus chega à sua feliz conclusão ou cumprimento.

         Agora, vejam vocês como Deus revela ao profeta e patriarca Abraão e diz sobre o filho que vai ter. Já Abraão tem 99 anos e Sara tem 89 anos, e agora Deus diz: “O ano que vem terão o filho”; ou seja: que Sara ao ter 90 anos e Abraão 100 anos iriam receber o filho.

         Um homem de 100 anos e uma mulher de 90 anos não podem estar esperando, ao terem essa idade, receber um filho; mas Deus havia dito que iriam ter um filho, portanto Deus rejuvenesceu Abraão e Sara.

         E agora Abraão e Sara veem ter um filho sendo já anciãos; sendo anciãos em idade, mas tinham sido rejuvenescidos.

         Por isso é que quando Abraão e Sara foram a outro território… Depois da destruição de Sodoma e Gomorra, pois Abraão foi desse território. Já nesse território a radioatividade dessa destruição que houve ali, onde caiu fogo e enxofre do céu (da qual os cientistas dizem ou pensam que pôde ter sido uma destruição atômica)… Abraão foi desse lugar e foi a um território onde o rei era Abimeleque, e Abimeleque se apaixonou por Sara.

         Agora, que rei vai se apaixonar por uma senhora de 90 anos, ou de 89 anos, de uma anciã? Nenhum rei. É que estava rejuvenescida, e Abraão também.

         E agora, iriam ter um filho, e o filho que Sara ia ter não seria do rei Abimeleque, mas de Abraão, que era o que tinha a promessa de um filho por meio da Sara.

         E quando cumpriram 100 anos Abraão e 90 anos Sara, tiveram o filho prometido, como Deus havia dito. Porque há alguma coisa impossível para Deus? Não há. Portanto Deus cumpriu Sua promessa a Abraão.

         Agora, vejam vocês que Abraão tinha estado casado com Sara por muitos anos; e quando tinha uns 50 anos Abraão e Sara 40 anos, não tiveram o filho; e já a essa idade, já quase todos os matrimônios tiveram todos os filhos que iriam ter, e já têm até netos. Mas vejam vocês, Abraão…, e com Abraão não foi assim. Mas agora quando tem 100 anos e Sara tem 90 anos; recebem o filho.

         Agora, quando já se está numa idade de 100 anos o homem e 90 anos sua esposa e recebem um filho, têm mais alegria e felicidade quando recebem esse filho. Não é assim? Um velhinho de 100 anos, ou uma pessoa de 100 anos, e uma senhora de… sua esposa de 90 anos, tendo um filho a essa idade! Pois isso é algo que causa muita alegria, muito regozijo.

         Mas e o que tem tudo isto a ver com o Programa Divino para depois de Abraão? Porque para a semente de Abraão, a descendência de Abraão, tanto terrena, que é o povo hebreu, como a celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo…

         Vejam vocês: o ano 50 de Abraão é o primeiro ano de jubileu; porque Deus estabeleceu ao povo hebreu que a cada 50 anos o ano 50 era o ano do jubileu.

         Toda pessoa que está vivendo o ano 50 da sua vida está vivendo no ano do jubileu, no primeiro ano do jubileu de sua vida; entrou em um ano muito importante da sua vida. E em seguida quando faz 100 anos, quando está vivendo o ano número 100, está vivendo no segundo ano de jubileu de sua vida; e chegar a esse segundo ano de jubileu de sua vida dá um pouquinho de trabalho.

         Agora, vejam vocês uma coisa. Para o primeiro Ano de Jubileu do Programa Divino veio Cristo, e Sua Primeira Vinda foi rejeitada pelo povo hebreu. Ali estava se vivendo na Era da Pedra Angular, que é a Era do Ano do Jubileu atualizado na Igreja.

         O povo hebreu é a Igreja de Deus do Antigo Testamento, porque igreja significa ‘tirados para fora’, e eles foram tirados do Egito; portanto, o povo hebreu é a Igreja do Antigo Testamento.

         E para a Igreja do Antigo Testamento Deus enviou o precursor da Primeira Vinda de Cristo, que foi João Batista, na sétima etapa ou era da Igreja hebraica sob a Lei (do povo hebreu). E apareceu Cristo nesse ano ou ciclo de jubileu do Programa de Deus, que corresponde à Era da Pedra Angular.

         Vamos ver se podem ver aqui neste diagrama que temos da Igreja de Deus, tanto do Antigo Testamento como do Novo Testamento.

         Estas são etapas pelas quais passa a Igreja, e cada uma dessas etapas corresponde a um tempo e a um território. E cada mensageiro é o instrumento de Deus para cada etapa, para cada era onde Deus está manifestado (ou seja: através desse mensageiro) trazendo a Mensagem de Deus sobre o povo.

         Nesta sétima etapa, aqui, da Igreja hebraica sob a Lei, apareceu João Batista dizendo que depois dele viria outro homem: um varão do qual ele não era digno de desatar a cadarço de seu calçado. E quando apareceu, apareceu aqui na Era da Pedra Angular; porque Ele — Cristo — é a Pedra Angular, a Pedra que os edificadores rejeitaram, a qual se tornou Pedra de Ângulo.

         Agora, vejam como Ele apareceu nesse ciclo 50 de jubileu; porque estas sete etapas correspondem a estes 49 anos que antecedem o ano 50.

         Por isso é que em Levítico, capítulo 25, Vejamos aí como Deus nos mostra este ano do jubileu, diz… Capítulo 25, versículo 8 ao 13, de Levítico, diz:

         “Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos, de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos.

Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a vossa terra.

E santificareis o ano quinquagésimo e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; Ano de Jubileu vos será, e tornareis cada um à sua possessão, e tornareis cada um à sua família (Em que ano? No ano 50, que é o ano do jubileu, depois que passaram 49 anos).

O ano quinquagésimo vos será jubileu; não semeareis, nem segareis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das vides não tratadas.

Porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis.

Neste Ano de Jubileu, tornareis cada um à sua possessão (ou seja: à sua herança)”.

         Nesse ano do jubileu, a terra, as propriedades que tinham sido vendidas, ou tinham sido tomadas em empréstimos, ou como dívidas de empréstimos, e tinham sido confiscadas, eram ou ficavam livres nesse ano do jubileu; e o dono original dessa propriedade reclamava sua propriedade e entrava de novo nessa propriedade.

         Os escravos também, os filhos do povo hebreu que tinham sido vendidos como escravos ou tinham sido tomados como escravos por causa de alguma dívida; ficavam livres no ano do jubileu; porque o ano do jubileu é o ano da liberdade; e cada um voltava para sua família e à sua terra, ou seja: à sua herança. E isso é tipo e figura do regresso dos filhos e filhas de Deus à herança de Deus e à Família de Deus.

         Assim como no povo hebreu, estando no Egito, Deus refletiu esse grande evento quando libertou o povo hebreu e os levou de regresso à sua terra, a terra de Israel, a terra prometida. E para essa liberação usou o profeta Moisés, até chegar ao lado, antes de cruzar o Jordão; e em seguida Josué com o povo cruzou o Jordão, e entrou em cheio à terra prometida; mesmo que antes de cruzar o Jordão também haja uma parte aí que pertence à terra prometida. Agora, essa foi a parte que Moisés repartiu as duas das tribos de Israel.

         Agora vejam como o que Deus fez com o povo hebreu…

         O povo hebreu, o qual é chamado “o filho de Deus, Seu primogênito” como nação, representa o Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, que tem como seus membros os filhos e filhas de Deus, escritos no Céu, no Livro da Vida do Cordeiro, os quais são esses irmãos menores de Jesus Cristo.

         Recordam vocês na passagem de São Mateus, capítulo 25, onde se realiza o juízo das nações? Vejam o que diz: “Quando o…” Capítulo 25, versículo 31 em diante, de São Mateus, diz:

         “E, quando o Filho do Homem vier em sua glória, e todos os santos anjos, com ele, então, se assentará no trono da sua glória;

e todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas.

E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.

Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;

porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.

Então, os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber?

E, quando te vimos estrangeiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos?

E, quando te vimos enfermo ou na prisão e fomos ver-te?

E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.”

         E quem são esses irmãos menores de Jesus Cristo? São os redimidos pelo Sangue de Cristo, são os que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo, os quais vêm do Céu, da dimensão de Deus, vêm do Pai.

         Como Jesus disse: “Eu vim de Deus”, “saí do Pai e volto ao Pai”. E assim também disse em outra ocasião: “Eu sou o Pão vivo, o Pão da Vida, que desci (de onde?) do Céu.”

         E agora, todos os filhos e filhas de Deus descem do Céu; suas almas vêm do Céu, vêm da sétima dimensão, que é a dimensão de Deus; e tomam um corpo de carne aqui na Terra por meio dessa criancinha que nasce através de mamãe e papai, e recebem um espírito do mundo.

         Tanto o corpo físico como o espírito que recebem é na permissiva vontade de Deus; por isso aparecemos aqui na Terra como mortais, com um corpo mortal, corruptível e temporário; mas fazemos contato com a Vida Eterna, que é Jesus Cristo. Ele disse: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim.”

         E agora, Jesus Cristo, nosso amado Salvador, também nos disse no capítulo 11 [São João], quando foi ressuscitar Lázaro, onde diz a Marta que Lázaro iria ressuscitar…; vejam, diz capítulo 11, versículo 23 em diante:

         “Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar.

Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último Dia.”

         Marta sabe que no Último Dia, que é o sétimo milênio, será realizada a ressurreição de todos os Santos, de todos os filhos e filhas de Deus que morreram fisicamente; porque Jesus a ensinou no capítulo 6, versículos 39 ao 55. E agora… vejam vocês, Marta já sabia isso porque Ele disse: “… e eu o ressuscitarei no Último Dia”, falando de todos os crentes n’Ele que partiriam; isso está no capítulo 6, versículo 39 ao 55.

         E agora, Jesus diz:

         “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.”

         É uma promessa para todos os crentes em Cristo: que continuam vivendo mesmo que seu corpo físico morra, continuam vivendo em um corpo de outra dimensão, corpo teofânico da sexta dimensão, corpo que se recebe quando a pessoa crê em Cristo como seu Salvador, lava seus pecados no Sangue de Cristo e recebe Seu Espírito Santo, e assim obtém o novo nascimento; nasce na sexta dimensão e, consequentemente, tem um corpo da sexta dimensão.

         E por isso quando morre aqui na Terra, o seu corpo físico, é levado pelos anjos de Deus aonde? Ao Paraíso para viver; nessa dimensão, a qual é parecida com esta dimensão terrena em algumas coisas. Por exemplo: tem árvores, tem rios, tem grama, tem passarinhos, tem animais; ou seja, é outro mundo parecido a este; e aí se vive em um corpo parecido ao nosso corpo, mas é de outra dimensão.

         Mas em outras coisas não se parece com esta dimensão aqui, ou seja: não tem os problemas que temos aqui, não tem a contaminação que há nas grandes cidades (nem nas pequenas), não tem as guerras que têm as nações aqui, umas contra outras; não têm os problemas econômicos que as nações aqui na Terra têm, não têm os problemas sociais que se têm aqui nas nações. Ou seja: os problemas não existem lá.

         Somente ali existe o amor divino, a paz, e ali existe essa harmonia entre uns e outros, que são completamente felizes; e ali nem se come (porque no corpo da sexta dimensão não há necessidade de comer), nem se trabalha, nem dorme (porque não há noite). Mas eles, os que estão ali, vão regressar à Terra: vão tomar um corpo que Cristo lhes dará, um corpo eterno que Cristo criará para eles, e então viverão em um corpo glorificado como o de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         E nós os que vivemos e cremos em Cristo como nosso Salvador e lavamos nossos pecados no Sangue de Cristo e recebemos Seu Espírito Santo, seremos transformados.

         Disso é que São Paulo fala em Primeira de Coríntios, capítulo 15, versículos 49 ao 55, onde nos diz que: “E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial”; e também nos diz que: “que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção.”

         E nos diz também: “Eis aqui, digo-lhes um mistério: Nem todos certamente morreremos (ou seja: nem todos dormiremos, nem todos vamos morrer fisicamente)…” “Eis aqui, digo-lhes um mistério”, nos diz. Vamos ler para que tenham tal como diz… Diz São Paulo em sua carta aos Coríntios: Primeira aos Coríntios, capítulo 15 (vamos lendo), o versículo 49 em diante diz:

         “E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.”

         Ou seja: que seremos à imagem e semelhança de Jesus Cristo, com um corpo eterno, um corpo imortal, incorruptível, um corpo glorificado, exatamente como o corpo de nosso amado Senhor Jesus Cristo, para ir com Ele à Ceia das Bodas do Cordeiro, e também para estar no glorioso Reino Milenial de Cristo como reis e sacerdotes, e para estar com Cristo por toda a eternidade como reis e sacerdotes.

         Talvez aqui neste corpo mortal são poucos os que obtêm uma posição alta econômica ou social ou política; mas no glorioso Reino do Senhor Jesus Cristo todos os filhos e filhas de Deus têm a posição mais alta que se possa ter: a de ser reis e sacerdotes juntamente com nosso amado Senhor Jesus Cristo, que é o Rei e Sacerdote maior que haverá no Milênio e por toda a eternidade; porque Ele é o Melquisedeque que apareceu a Abraão.

         Ele é o Melquisedeque que esteve no Céu fazendo intercessão como Sumo Sacerdote por todos os filhos e filhas de Deus.

         O Melquisedeque que apareceu a Abraão é Rei de Salém e Sacerdote do Deus Altíssimo; e Jesus Cristo é o Rei dos reis e Senhor dos senhores, que reinará nesse glorioso Reino Milenial, e com Ele reinarão reis também. Qem são eles? Os filhos e filhas de Deus, todos nós os que seremos transformados e os mortos em Cristo que ressuscitarão em corpos eternos.

         E Ele também é o Sacerdote, Sumo Sacerdote Melquisedeque; e nós somos sacerdotes também com Ele, dessa Ordem Sacerdotal, da Ordem de Melquisedeque, para ministrar ali — no glorioso Reino Milenial de Cristo — todas as coisas espirituais que correspondem a esse Reino.

         Agora vejam a posição tão alta que temos para o glorioso Reino de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Agora continuo lendo aqui, onde nos diz:

         “E, agora, digo isto, irmãos: que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção.

Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados,

num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.

Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade.

E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.”

         E daí em diante não haverá mais morte para os filhos e filhas de Deus, porque teremos um corpo imortal, incorruptível, um corpo eterno, um corpo glorificado, como o corpo do nosso amado Senhor Jesus Cristo, o qual se manterá jovenzinho, representando de 18 a 21 anos por toda a eternidade.

         Agora vimos que isto é para ser efetuado à Trombeta Final. E o que é a Trombeta Final? Desta Trombeta Final Cristo falou em São Mateus, capítulo 24, versículo 31, quando disse:

         “E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.”

         Essa Grande Trombeta também a encontramos em Apocalipse, capítulo 1, versículo 10 ao 11, da qual falou João o apóstolo no livro do Apocalipse, onde diz:

         “Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,

que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último.”

         E quem é o Alfa e o Ômega? Quem é o primeiro e o último? Pois nosso amado Senhor Jesus Cristo. É a Voz de Jesus Cristo no Último Dia, no sétimo milênio, falando à Sua Igreja, falando aos Seus filhos, com essa revelação da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores. É a Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino revelando o mistério da Segunda Vinda de Cristo a todos os filhos e filhas de Deus, a todos os que serão transformados neste tempo final e levados à Ceia das Bodas do Cordeiro.

         E agora, isto corresponde ao segundo ciclo divino do Ano do Jubileu.

         Agora, para o tempo em que Jesus Cristo veio dois mil anos atrás, se estava vivendo nesse ciclo divino do Ano do Jubileu, e por isso Ele esteve pregando o ano aceitável do Senhor.

         E para este tempo final, nós entramos novamente nesse ciclo divino do Ano do Jubileu, onde se prega o dia de vingança do nosso Deus e se revela também a libertação dos filhos e filhas de Deus, que para este tempo final está prometida para todos serem libertados da morte física e do corpo físico mortal e corruptível, porque receberemos um corpo imortal, um corpo incorruptível, um corpo eterno, e então a morte já não existirá para nós. Nunca mais nenhum filho de Deus morrerá.

         Os mortos em Cristo também ressuscitarão em um corpo eterno, nesse mesmo tipo de corpo eterno, e já não haverá mais morte para os filhos e filhas de Deus, ou seja: para o Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo.

         É neste ciclo divino do Ano do Jubileu, neste segundo ciclo divino que corresponde à Segunda Vinda de Cristo, que os escolhidos de Deus serão liberados: os mortos em Cristo ressuscitados em corpos eternos e nós os que vivemos transformados, conforme à promessa divina.

         Agora, em que ano do sétimo milênio? Não sabemos; mas quando ocorrer a ressurreição dos mortos em Cristo, poderemos olhar o calendário e saber em que ano seria a ressurreição dos mortos em Cristo; e nesse mesmo tempo será a transformação de nós os que vivemos; e ficaremos completamente libertados da morte física, das enfermidades, dos problemas que existem nesta Terra; e já estaremos iguais ao nosso amado Senhor Jesus Cristo, e então veremos Jesus Cristo em Seu corpo glorificado, e depois iremos com Ele à Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu.

         A promessa de Cristo é que nós seremos iguais a Ele; seremos à imagem e semelhança de nosso amado Senhor Jesus Cristo. Por isso é que para este tempo final Jesus Cristo nosso Salvador, o Alfa e o Ômega, nos fala com essa Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino.

         E agora vejamos; que coisas estará nos falando neste tempo final para essa libertação que Ele realizará, assim como a libertação que realizou lá com o povo hebreu escravizado no Egito. No capítulo 4 de Apocalipse nos diz, versículo 1:

         “Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

         Aqui temos novamente esta Voz de Trombeta, que é a Voz de Cristo, a Voz do Alfa e do Ômega nos dizendo: “Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

         E agora, onde vamos subir para que Ele nos mostre todas estas coisas que devem acontecer? Vamos subir à Era da Pedra Angular, que é a Era do Ano do Jubileu, desse ciclo do Ano do Jubileu, para ouvir a Voz de Cristo nos revelando todas estas coisas que vão acontecer, as quais estão no Antigo Testamento e Novo Testamento já profetizadas.

         E agora, por meio de quem nos estará falando Jesus Cristo em Espírito Santo, o Anjo do Senhor neste tempo final?

         Vejamos por meio de quem nos estará revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer; porque sempre que Deus revelou algo foi por meio de um profeta, de um homem. “Porque não fará nada o Senhor, sem que antes revele Seus segredos aos Seus servos Seus profetas”, diz Amós, capítulo 3, versículo 7.

         E agora, no capítulo 22, versículo 6, do Apocalipse, diz:

         “E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos santos profetas, enviou o seu anjo…”

         Quem é o Enviado do Deus Todo-poderoso? O Anjo do Senhor Jesus Cristo. Para que o envia? Para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve devem acontecer.

         E por meio desse Anjo Mensageiro, desse profeta mensageiro, que é o sétimo profeta dispensacional (o profeta da Dispensação do Reino) e o último profeta de Deus que Ele envia ao Seu povo, a este planeta Terra, por meio desse profeta nos revela todas as coisas que em breve devem acontecer, neste tempo final.

         E por isso também João o apóstolo se prostrou aos pés deste Anjo e quis adorar este Anjo. Vejam na continuação aqui… neste mesmo capítulo 22… lemos o versículo 6, e a continuação no versículo 7 até o 10 diz:

         “Eis que presto venho. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.

E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que, mas mostrava para o adorar.

E disse-me: Olha, não faças tal, porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.”

         Agora vejam como este Anjo do Senhor Jesus Cristo diz: “Não o faça, não me adores”; lhe diz:

         “… eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro.”

         E agora, como Deus chama os Seus profetas? Em Amós, capítulo 3, versículo 7, diz: “Porque não fará nada o Senhor, sem que antes revele Seus segredos aos Seus servos Seus profetas”. Aos Seus profetas os chama Seus servos.

         E agora, este Anjo Mensageiro de Jesus Cristo se identifica como um conservo dos profetas, ou seja: um colega dos profetas. E quando, digamos que um médico ou um advogado se encontra com um grupo de pessoas e diz: “Eu sou colega deste grupo que está aqui”, então essas outras pessoas são médicos também.

         E agora, este Anjo Mensageiro de Jesus Cristo é um colega de todos os demais profetas; é um profeta, e é o maior profeta que Deus envia à Sua Igreja, e o envia neste tempo final.

         E é a primeira ocasião em que Jesus Cristo envia à Sua Igreja um profeta dispensacional; e o envia com a Mensagem do Evangelho do Reino para que lhes dê testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer, e assim os escolhidos de Deus escutem a Voz de Jesus Cristo, a Voz do Anjo do Senhor, do Anjo do Pacto por meio de Seu profeta mensageiro da Dispensação do Reino com o Evangelho do Reino, dando testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer.

         Agora vimos por meio de quem obteríamos o conhecimento de todas estas coisas que em breve devem acontecer. Vimos por meio de quem Jesus Cristo estará falando neste tempo final, na Era da Pedra Angular, e nos revelando todas estas coisas que em breve devem acontecer.

         Esta Era, a Era da Pedra Angular, corresponde ao Ano do Jubileu, ao ano número 100 da vida de Abraão, onde Abraão recebeu o filho prometido. E, consequentemente, esta Era, a Era da Pedra Angular, que corresponde ao ano 100 da vida de Abraão, que é o ano número… o ano de jubileu 2, ou segundo ano de jubileu da vida de Abraão, corresponde agora à Era da Pedra Angular, onde a Igreja do Senhor Jesus Cristo estará recebendo a Vinda do Filho prometido, ou seja, a Segunda Vinda de Cristo.

         Tanto o Israel celestial (que é a Igreja de Jesus Cristo) como o Israel terreno (o povo hebreu) estarão recebendo na Era da Pedra Angular a Vinda do Filho prometido, a Segunda Vinda de Cristo.

         Agora, viram por que tinha que ser no segundo ano de jubileu de Abraão (que era o ano número 100) onde o filho prometido do qual Deus falou à Abraão tinha que vir? Porque isso tipifica a Segunda Vinda de Cristo no segundo ciclo do Ano do Jubileu, onde a Igreja do Senhor Jesus Cristo o receberá e em seguida o povo hebreu também o receberá.

         Na Primeira Vinda de Cristo o povo hebreu não o recebeu; mas em Sua Segunda Vinda, no ciclo divino do Ano do Jubileu, o receberá nesse segundo Ano de Jubileu.

         Agora, pudemos ver por que tinha que ser no ano 100 da vida de Abraão que o filho prometido viria, e traria alegria, felicidade e bênção a Abraão e a Sara, e a todo o povo hebreu que descenderia de Isaque por meio — depois — de Jacó e por meio dos filhos de Jacó.

         Agora podemos ver como para a descendência de Abraão — a terrena por meio de Isaque e a celestial por meio de Jesus Cristo — a bênção da Vinda do Filho do Homem, a bênção da Segunda Vinda de Cristo, é a promessa da Vinda do Filho prometido para o tempo final, para a liberação de Israel celestial, ou seja: da Igreja de Jesus Cristo; porque seremos libertados da morte física, seremos libertados também da corrupção deste corpo mortal (porque este corpo é corruptível), seremos libertados de tudo temporal e teremos um corpo glorificado.

         Isso é a libertação dos filhos e filhas de Deus para este tempo final. É chamado também por São Paulo em Romanos, capítulo 8, versículo 14 ao 39, a liberdade gloriosa dos filhos de Deus ou adoção dos filhos de Deus, que é a adoção, ou seja: a redenção do corpo físico, onde seremos redimidos fisicamente sendo transformados e obtendo assim um corpo físico. (Redimir significa ‘voltar ao lugar de origem’).

         E os filhos e filhas de Deus voltarão a ter corpos eternos, e serão a imagem e semelhança de nosso amado Senhor Jesus Cristo, e assim entrarão na terra prometida do corpo novo e depois na terra prometida do glorioso Reino Milenial de Jesus Cristo.

         Todas estas bênçãos estão prometidas para a Igreja de Jesus Cristo e também para o povo hebreu, o qual o verá vindo à Sua Igreja gentia e dirá: “Este é o que nós estamos esperando!”

         E assim como os filhos do Jacó viram José seu irmão entre os gentios…; e no princípio não souberam que era José, o qual eles tinham vendido, mas em seguida, quando José se revelou a eles e lhes disse: “Eu sou José, o qual vocês venderam”, aí eles o reconheceram. E isso representa a Cristo em Sua Segunda Vinda revelando-se ao povo hebreu. Mas onde estava José? Estava entre os gentios.

         E agora, Jesus Cristo entre os gentios, no meio da Sua Igreja gentia, estará manifestado no Último Dia e se revelará ao povo hebreu. Isto será quando entrar a plenitude dos gentios, como nos diz São Paulo em sua carta aos Romanos, capítulo 11 e versículos 25 em diante, onde diz:

         “Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.”

         Quando será que se tirará o endurecimento do coração do povo hebreu? Quando tiver entrado a plenitude dos gentios, ou seja: quando tiver entrado até o último dos escolhidos de Deus dentre os gentios ao Corpo Místico do Senhor Jesus Cristo, e tenha se completado assim o número dos membros da Igreja de Jesus Cristo, e sejam ressuscitados os mortos em Cristo e nós os que vivemos sejamos transformados. E então se revelará ao povo hebreu, e já o povo hebreu reconhecerá a Segunda Vinda de Cristo e o receberá; e já o endurecimento do coração do povo hebreu será tirado.

         Agora, vejam vocês como tudo isto está prometido para ser cumprido no Último Dia.

         “E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades.

E este será o meu concerto com eles, quando eu tirar os seus pecados.

Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.

Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.”

         Agora vejam que por quanto Deus fez a promessa a Abraão, a Isaac e a Jacó, Deus mantém essa promessa, mesmo que o povo hebreu não tenha se portado bem com Deus. E mesmo que Deus tenha tido que derramar juízo sobre o povo hebreu, ainda permanece Sua promessa para ser restaurado o povo hebreu no tempo final, quando tiver entrado a plenitude dos gentios, ou seja: quando tiver se completado o número do Corpo Místico de Cristo, os quais têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro.

         O apóstolo São Paulo tomou essa profecia do capítulo 59 do livro do profeta Isaías, e vejam o que diz aí. Começando no versículo 17 até o 21 de Isaías 59, diz:

         “porque se revestiu de justiça, como de uma couraça, e pôs o elmo da salvação na sua cabeça, e tomou vestes de vingança por vestidura, e cobriu-se de zelo, como de um manto.

Conforme forem as obras deles, assim será a sua retribuição (ou seja: como para vingança), furor, aos seus adversários, e recompensa, aos seus inimigos; às ilhas dará ele a sua recompensa (a recompensa dará, a quem? Aos das costas).”

         Agora vejam vocês, isto é o mesmo do qual Cristo em São Mateus, capítulo 16 e versículo 27, falou quando disse da seguinte maneira:

         “Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras.”

         Veem? Isso vem em um fio de pensamento do Antigo Testamento até o Novo Testamento; vem desde o começo até o final, até o Apocalipse.

         E onde encontramos isso em Apocalipse? Pois aqui no capítulo 22, versículo 12, onde diz:

         “E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para recompensar a cada um segundo a sua obra.”

         Aí está novamente essa promessa.

         Agora, vejam o que a continuação diz [Isaías 59:19]:

         “Então, temerão o nome do SENHOR desde o poente…”

         Aí temos o Nome de Deus, o Nome Eterno de Deus; porque estará realizando a libertação de todos os filhos e filhas de Deus dentre os gentios, da Igreja de Jesus Cristo, e depois do povo hebreu.

         E DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO, como fez lá, libertando o povo hebreu lá no Egito.

         Por isso o profeta Moisés perguntou a Deus, ao Anjo do Senhor, qual era Seu Nome, e disse: “EU SOU O QUE SOU. E dirás ao povo: EU SOU me enviou a vós”. Moisés escutou a pronúncia desse Nome do Anjo do Senhor.

         A pronúncia, ou seja: esse Nome que foi dado lá, quando vamos ao hebraico, ao original, o que foi dito ali são quatro consonantes, as quais são YHWH; mas os estudantes da Bíblia, os teólogos e doutores em divindade acrescentaram algumas vogais para torna-lo pronunciável, mas isso não significa que com essas vogais conseguiram pronunciar o Nome Eterno de Deus.

         Colocaram, por exemplo, o “e” depois do “Y”, e colocaram também o “o” depois do “H”, e colocaram o “a” depois do “V” ou depois do “W”, para que diga Jeová. Em outras ocasiões também, anteriores a essa, tinham colocado algumas vogais e faziam a pronúncia como Yahweh ou Yahveh. Mas nenhuma dessas é a pronúncia exata; mas Moisés sim a escutou.

         Quando veio Jesus… vejam vocês, Jesus, esse nome é em grego; mas em hebraico, o nome que Jesus tinha e pelo qual era chamado no meio do povo hebreu era Yoshua; porque Yoshua é em hebraico, e Yoshua em grego é Jesus.

         E se tornou comum o nome Jesus entre os gentios, e por isso se usa o nome Jesus, porque está se usando conforme ao grego; mas se usa conforme o hebraico; se diria então Yoshua.

         E aí vocês podem ver que nesse nome tem o “Y” (porque Yoshua começa com “Y”, ou seja: com “Y”), também tem o “H”, em certo lugar: Yoshua. Ou seja: é “Y”…, ou seja: Y-o-s-h-u-a, e assim diz Yoshua.

         Também em outras ocasiões colocam mais letras, e em outras ocasiões colocam menos letras. Quando colocam menos letras a esse nome é J-… Quando o traduzem ao grego e aos outros idiomas como o espanhol, colocam J-o-s-u-é: Josué, que é Yoshua, o qual é Josué.

         E sabem vocês que o ajudante de Moisés, quem era Josué, tinha o nome de Jesus? Tinha esse nome colocado aí.

         Antes Josué não se chamava Josué. O nome de Josué era outro, mas Moisés mudou o nome do seu ajudante, um bom ajudante que Moisés tinha.

         Vejam, vamos ver como se chamava Josué antes de mudar o nome; o nome de Josué era outro, vejamos qual era este nome que tinha Josué. Oséias; parece que é o nome que tinha Josué antes.

         E Moisés mudou esse nome para assim Josué introduzir o povo hebreu à terra prometida; Oséias filho de Num, o qual em seguida recebeu um novo nome; e nesse novo nome que recebeu, vejam vocês, estava o nome que o Messias usaria em Sua Primeira Vinda.

         Agora, Josué é um descendente de Efraim; e Efraim é um filho de José, sobre o qual Jacó colocou sua destra [mão direita], e lançou a Bênção da Primogenitura sobre Josué.

         Agora vejam como Josué tem essa bênção de receber o nome que o Messias usaria em Sua Primeira Vinda; e por isso encontramos que Josué pôde entrar com o povo hebreu à terra prometida. Podemos ver que foi um descendente de Efraim quem levou o povo hebreu à terra prometida.

         Foi Josué também quem parou o sol e a lua em uma ocasião que teve necessidade de que o dia não se acabasse, mas que continuasse o dia para obter a vitória.

         Vimos que um homem descendente de José por meio de Efraim, da tribo de Efraim, que é onde estava a Bênção da Primogenitura, teve escrito nele o nome que o Messias usaria, ou seja: teve o Nome do Anjo do Pacto.

         E agora, vejam vocês como com esse nome colocado em seu líder Josué, entrou o povo na terra prometida. Josué representa o Anjo do Pacto, o Espírito Santo no Último Dia levando a povo (ou seja: aos filhos e filhas de Deus, aos membros da Igreja do Senhor Jesus Cristo) à terra prometida, na manifestação do Anjo do Pacto, do Anjo do Senhor, de Jesus Cristo em Espírito Santo através do Seu Anjo Mensageiro.

         Agora vejam que é no Anjo do Senhor que está o Nome de Deus. Disso dá testemunho o mesmo Deus no capítulo 23 de Êxodo, versículos 20 ao 23, onde diz:

         “Eis que eu envio um Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.

 Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebelião; porque o meu nome está nele.”

         Quem libertou o povo hebreu? O Anjo do Senhor, o Anjo do Pacto por meio do profeta Moisés. E no Anjo do Pacto, no Anjo do Senhor, estava o que? O Nome de Deus: YHWH. E por isso foi que o Anjo do Senhor, o Anjo do Pacto, quando Moisés perguntou qual era o Seu Nome, o Anjo do Pacto lhe disse: “YHWH”, porque no Anjo do Pacto, que é o mesmo Deus em Seu corpo teofânico, estava o Nome Eterno de Deus.

         Assim como quando você nasceu aqui na Terra e o registraram, colocaram nesse corpinho que nasceu aqui na Terra, colocaram um nome. Por isso, quando as pessoas veem o seu corpo físico chegar a algum lugar, dizem: “Chegou Fulano de Tal”, e mencionam o nome.

         E quando Deus aparecia em Seu corpo teofânico, nessa teofania, aos Seus profetas no Antigo Testamento, ali estava aparecendo quem? YHW. Mas as pessoas não sabiam pronunciar esse Nome, e Deus tinha ocultado esse Nome; a Moisés o revelou, mas depois as pessoas não podiam nem sabiam pronunciar esse Nome; mas Moisés sim sabia pronunciar, porque ouviu a pronúncia.

         Em seguida encontramos que quando veio o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, o qual é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o qual libertou o povo hebreu lá no Egito, e tinha esse Nome esse Anjo do Pacto, se fez carne no meio dos seres humanos, conforme à profecia de Malaquias, capítulo 3, onde diz:

         “Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim (E quem foi esse mensageiro? João Batista); e, de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais; o anjo do concerto, a quem vós desejais.”

         E depois de João Batista, viria quem? O Senhor, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, onde está o Nome Eterno de Deus.

         E quando veio o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, o qual João Batista lhe preparou o caminho, se chamou como? Jesus. Por quê? Porque o Anjo do Senhor, o Anjo do Pacto se fez carne e habitou no meio do povo hebreu, visitando a raça humana para realizar a libertação, realizar essa libertação morrendo na Cruz do Calvário como o Cordeiro de Deus e efetuar a salvação, a redenção dos filhos e filhas de Deus.

         E por isso é que assim como o povo hebreu teve um cordeiro pascal para aplicar seu sangue sobre o batente de suas portas, e comer esse cordeiro pascal assado dentro de suas casas para evitar a morte dos primogênitos, e em seguida sair durante a manhã do outro dia, livres, libertados, e irem à terra prometida, rumo à terra prometida; assim também a Igreja do Senhor Jesus Cristo, os filhos e filhas de Deus, têm um Cordeiro Pascal, nosso amado Senhor Jesus Cristo, que morreu na Cruz do Calvário; e ao recebê-lo como nosso Salvador somos libertados e obtemos o novo nascimento ao receber Seu Espírito Santo, e já saímos do Egito, ou seja: saímos do mundo, e estamos rumo à terra prometida.

         E em seguida encontramos que para este tempo final os escolhidos de Deus recebem um terceiro êxodo, uma saída, e isto é para irem à terra prometida do novo corpo, que é o corpo glorificado, e em seguida irem à terra prometida do glorioso Reino Milenial de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Para este tempo final, assim como com a Primeira Vinda de Cristo recebemos o segundo êxodo; assim como com Moisés indo ao Egito, o povo hebreu recebeu o primeiro êxodo, para em seguida ir à terra prometida; neste tempo final, com a Segunda Vinda de Cristo recebemos o terceiro êxodo, para irmos à terra prometida do novo corpo e à terra prometida do glorioso Reino Milenial de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

         Na Primeira Vinda de Cristo, vejam vocês, foi a Vinda do Anjo do Pacto, do Anjo do Senhor, que se fez carne e habitou entre os seres humanos. Em São João, capítulo 1, versículo 1 em diante, diz a Escritura:

         “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”

         Ou seja: que Ele é o Criador dos Céus e da Terra. Ele é aquele do qual diz a Bíblia no capítulo 1, versículo 1, de Gênesis:

         “No princípio, criou Deus os céus e a terra.”

         É o mesmo Deus criador dos Céus e da Terra, Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, chamado o Verbo que estava com Deus e era Deus; e em seguida no capítulo 1, versículo 14, do livro de São João, diz:

         “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”

         E quando apareceu assim em carne humana, encarnado o Verbo, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, foi conhecido pelo nome de Jesus. Jesus em grego e também em espanhol, e em hebreu Yoshua.

         E aí está: temos o “Y” e o “H” desse Nome Eterno de Deus, desse Nome do Anjo do Pacto, do EU SOU, do Deus de Abraão, de Isaque e do Jacó.

         E para o Último Dia, no livro do Apocalipse, capítulo 19, temos a promessa da Vinda do Anjo do Pacto, da Vinda do Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, da Vinda do Cavaleiro do cavalo branco de Apocalipse 19, da Vinda do Verbo.

         E agora vem para Sua Igreja gentia, para o Israel celestial, como veio dois mil anos atrás para o Israel terreno. Agora vem no Último Dia para o Israel celestial, que é a Sua Igreja; e também para o Israel terreno, para o povo hebreu.

         Apocalipse, capítulo 19, versículo 11 ao 21, diz:

         “Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça.

E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo.”

         Aí tem um nome que ninguém conhecia. Agora, o nome Jesus todos conhecem. Agora, em Sua Segunda Vinda vem com um nome novo, com um nome que ninguém conhecia.

         “E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus (é a Vinda do Verbo; portanto é o Verbo o que vem; Seu Nome é O VERBO).

         E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro.

 E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-poderoso.

E na veste e na sua coxa tem escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.”

         É o Rei dos reis e Senhor dos senhores, nosso amado Senhor Jesus Cristo, o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor, que libertou o povo hebreu milhares de anos atrás lá no Egito e os levou a terra prometida; o mesmo que em seguida veio em carne humana no meio do povo hebreu e foi conhecido pelo nome de Jesus, e realizou a Obra de Redenção na Cruz do Calvário.

         Esse mesmo Anjo do Pacto, Anjo do Senhor, para o Último Dia virá no meio de Sua Igreja gentia e depois no meio do povo hebreu; e a Ele é ao qual estão esperando tanto a Igreja de Jesus Cristo como o povo hebreu: ao Anjo do Pacto, ao Anjo do Senhor.

         Agora, como virá neste tempo final o Anjo do Pacto, o Anjo do Senhor? O precursor da Segunda Vinda de Cristo, o reverendo William Branham, quem foi enviado para preparar o povo para a Segunda Vinda de Cristo… Assim como João Batista foi o precursor para a Primeira Vinda de Cristo, o reverendo William Branham foi o precursor da Segunda Vinda de Cristo. E ele disse na página 256 do livro Os Selos em espanhol:

         “121. Mas quando nosso Senhor aparecer sobre a Terra, Ele virá sobre um cavalo branco como a neve, e será completamente Emanuel — a Palavra de Deus encarnada em um homem.”

         Isso será a Vinda do Anjo do Pacto, do Anjo do Senhor, isso será a Vinda do Cavaleiro do cavalo branco de Apocalipse 19 no meio da Sua Igreja gentia; e aí estará a manifestação do Nome Eterno de Deus, aí estará a manifestação do Nome do Anjo do Senhor, aí estará a manifestação do Nome Novo do Senhor Jesus Cristo. E isso é para a liberação de todos os filhos e filhas de Deus do Último Dia.

         Agora vejam como no livro do Apocalipse, capítulo 2, versículo 17, nos fala da vinda de uma pedrinha branca. É a mesma pedra que aparece no livro do profeta Daniel no capítulo 2, a qual o rei Nabucodonosor viu que foi uma pedra cortada do monte não com mão, e veio e feriu a imagem nos pés de ferro e de barro. Essa imagem é o reino dos gentios, o qual, no Último Dia, neste tempo final, estará na etapa dos pés de ferro e de barro, ou seja: em sua última etapa.

         Porque o reino dos gentios vem descendo: da cabeça de ouro, que foi o rei Nabucodonosor com seu império, vem descendo; desceu ao peito e os braços de prata, que foi o império medo-persa; e em seguida desceu ao ventre e as coxas de bronze, que foi o império da Grécia; e em seguida desceu às pernas de ferro, que foi o império romano.

         E para este tempo final desce aos pés de ferro e de barro, que é o reino, o império do anticristo, da besta, onde os dez reis darão seu poder e sua autoridade à besta; e o anticristo consolidará seu reino, e ninguém poderá nem comprar nem vender se não tem a marca ou o número de seu nome. Ou seja: que têm que ter o selo, a marca da besta, para poder comprar ou vender no tempo final quando o anticristo, o homem do pecado, estiver com a manifestação do diabo em toda sua plenitude; porque o diabo, conforme a Bíblia, é lançado do Céu à Terra; e então será o choro e o ranger dos seres humanos que estarão vivendo nesse tempo aqui na Terra.

         Vejam em Apocalipse, capítulo 12, vamos ver, nos diz versículos 7 em diante:

         “E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e os seus anjos,

mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus.

E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.

E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.

E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram a sua vida até à morte.

Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.

E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o varão.

E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente (ou seja: por três anos e meio).

         E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio (estes são exércitos), para que pela corrente a fizesse arrebatar.

E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a boca e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.

E o dragão irou-se contra a mulher e foi fazer guerra ao resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus (estes são os hebreus, 144.000 hebreus) e têm o testemunho de Jesus Cristo (estes são os cristãos que para o Último Dia não serão…, não poderão ir no arrebatamento dos Santos à Ceia das Bodas do Cordeiro porque não tinham azeite em suas lâmpadas, ou seja: porque não tinham nascido de novo, não tinham recebido o Espírito Santo; por isso estão representados nas virgens insensatas ou virgens fátuas, que não tinham azeite em suas lâmpadas. E passarão pela grande tribulação, mas darão suas vidas por Cristo; e a besta, o anticristo, os matará; mas viverão eternamente com Cristo, porque ressuscitarão depois do Reino Milenial e entrarão à vida eterna).

         Vejam, em Apocalipse, capítulo 20, versículo 4 ao 6, nos fala da primeira ressurreição e também nos fala da segunda ressurreição.

         Os que correspondem à primeira ressurreição: os Santos do Antigo Testamento ressuscitaram com Cristo e apareceram a muitos na cidade, nos diz São Mateus, capítulo 27, versículo 50 ao 53; e agora os Santos do Novo Testamento ressuscitarão em breve, no Último Dia, porque Cristo disse: “… e eu os ressuscitarei no Último Dia”; e nós os que vivemos seremos transformados. E todos pertenceremos a essa primeira ressurreição, que é para viver eternamente em um corpo eterno.

         Diz capítulo 20, versículo 4 ao 6, do Apocalipse:

         “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.

Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.”

         Reinaremos com Ele como reis e como sacerdotes nesse glorioso Reino Milenial de Cristo, e com Ele administraremos tudo o que corresponde à parte política do Seu Reino e também o que corresponde à parte religiosa.

         Tudo isso é assim porque para este tempo final, assim como aconteceu para Deus libertar o povo hebreu… Ele usou Seu Nome poderoso para libertar o Seu povo lá; e para este tempo final também estará usando Seu Nome poderoso para libertar o Seu povo neste tempo final, na Vinda do Cavaleiro do cavalo branco de Apocalipse 19, que vem com um nome que ninguém conhece. Esse é o Nome Eterno de Deus.

         Por isso diz Apocalipse, capítulo 3, versículo 12:

         “A quem vencer (falando de quem vencer), eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá (fora); e escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.”

         Há pessoas que não sabem que Jesus Cristo tem um nome novo. Pois Apocalipse, capítulo 3, versículo 12, o diz.

         Esse é o Nome Novo que tem a Pedrinha que vem em Apocalipse, capítulo 2, versículo 17, onde diz: “Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”. Essa Pedrinha branca é Cristo em Sua Segunda Vinda com Seu Nome Novo.

         E para este tempo final, Ele envia o Seu Anjo Mensageiro para dar testemunho de todas estas coisas nas Igrejas: “Eu Jesus enviei meu anjo para vos testificar estas coisas nas Igrejas”. (Apocalipse, capítulo 22, versículo 16). E aí é onde está Deus usando Seu Nome Eterno para libertar o Seu povo, à Sua Igreja; e depois o povo hebreu.

         “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”.

         Esse foi nosso tema para esta ocasião; e vimos neste tema e sob este tema a Obra que Deus estaria fazendo neste tempo final no meio dos gentios, no meio da Sua Igreja gentia, e também a Obra que fará no meio do povo hebreu.

Foi para mim um privilégio muito grande, amados amigos e irmãos presentes e radiouvintes, estar com vocês nesta ocasião, dando testemunho de “DEUS USA O SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”.

         Que Deus continue abençoando a todos.

         “DEUS USA SEU NOME PODEROSO PARA LIBERTAR O SEU POVO”.

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16